Category Archives: LBV

12jul/18

LBV entrega cestas de alimentos a famílias no Vale do Jequitinhonha

No Vale do Jequitinhonha, as taxas de escolaridade, renda e expectativa de vida são muito inferiores às médias nacionais. Muitas pessoas enfrentam desafios diários para alimentar a todos da família. Se em grandes centros os empregos estão cada vez mais difíceis, imagina nesses locais, onde as oportunidades são mais escassas.
Sem medir esforços para ajudar a amenizar essa situação, a equipe da Legião da Boa Vontade (LBV) saiu de BH e chegou ao Vale do Jequitinhonha para entregar 1.500 cestas de alimentos a famílias em situação de vulnerabilidade social e pessoal.
Por meio da campanha Diga Sim!, da LBV, moradores de Araçuaí, Berilo, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas, José Gonçalves de Minas e Virgem da Lapa foram beneficiados com esta ação. Essas famílias foram identificadas por entidades parceiras, que a LBV já possui um trabalho por intermédio da Rede Sociedade Solidária.
Ao receber a cesta, Rita Modesto Teixeira, do município de Jenipapo de Minas, contou um pouco sobre a situação dos moradores da região: “Aqui é um lugar de pouca chuva e a colheita é ruim. Somos pessoas que precisam bastante de auxílio. É um prazer receber essa doação que tanto vai me ajudar”.
A família de Maria da Glória foi uma das atendidas na cidade de Berilo. Ela nos contou que muitas vezes precisa fazer a triste escolha da aquisição de remédios ou algum alimento. Emocionada com o presente recebido, ela não vê a hora de chegar em casa: “vai ser uma alegria imensa porque vai ter comida para todo mundo”.
Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, alguns municípios já decretaram situação de emergência ou estado de calamidade pública devido à seca e a estiagem. Com isso, fica cada vez mais difícil o desenvolvimento da agricultura usada para a subsistência. Isso é motivo de desânimo? Não! Neide Rodrigues Vieira, de Jenipapo de Minas, conta que nunca perdeu as esperanças e que esse sentimento se fortaleceu com ação da LBV: “Eu tinha certeza que Deus não ia me deixar de mãos vazias, então hoje eu estou de mãos cheias. Essa cesta é uma bênção! ”.
Rosalina Paula de Souza, moradora do município de Berilo, também agradeceu: “Desejo que Deus abençoe todos os colaboradores, que vocês continuem realizando esse trabalho porque muitas pessoas estão felizes com isso, incluindo eu”.
A campanha Diga Sim!, da LBV, é uma ação emergencial, que está distribuindo cestas de alimentos em locais mais necessitados e cobertores de frio em locais onde o inverno é mais rigoroso. E tudo isso graças à ajuda de pessoas de Boa Vontade e que possuem amor pelo próximo.
Quando a LBV ligar, diga SIM!

09jul/18

A queda de todas as bastilhas

Hoje se faz necessário pôr abaixo as bastilhas invisíveis, todavia de consequências bem palpáveis: espirituais, morais, psicológicas, do sentimento.
Paiva Netto

Dia 14 de julho. Completam-se 229 anos da Queda da Bastilha, episódio que deflagrou a Revolução Francesa (infelizmente manchada pelo sangue dos guilhotinados), cujas origens remontam aos enciclopedistas, vanguardeiros do iluminismo. Relativo ao tema, selecionei apontamentos meus, ao longo do tempo, de palestras, programas de rádio, TV e de artigos publicados no Brasil e no exterior.

Não tenho pretensão de discutir aspectos históricos ― existem bons livros para isso ―, contudo extrair uma importante analogia sobre quanto ainda é forçoso trilhar a fim de que as populações da Terra deixem ruir de suas mentes e corações a pior de todas as bastilhas: a ignorância acerca da realidade gritante da vida após o fenômeno da morte. Fator decisivo para que a valorização do ser integral (corpo e Espírito) dite as regras dos governos das nações no terceiro milênio: Quando garoto, devia ter 9 para 10 anos, assisti com meu pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000), no Rio de Janeiro, a um filme sobre o 14 de julho.

Nos séculos 17 e 18, o absolutismo monárquico atingira intensa projeção. Como geralmente acontece nas relações cotidianas, se afastadas do respeito ao Espírito Eterno do ser humano, houve por parte da monarquia francesa um descaso tremendo com as necessidades básicas do seu povo, cuja expressão mais grotesca seria a frase que teria sido proferida pela rainha Maria Antonieta (1755-1793), ao ser informada por um dos cortesões de que o barulho que a importunava vinha das massas famintas clamando por pão: “Por que não comem brioche?”

Tal contingência desumana tinha de desmoronar por força do curso inexorável da História. A população de Paris, em 14 de julho de 1789, desesperada, marchou contra a prisão, símbolo da tirania de que desejava livrar-se.

Abrir caminhos
No filme de que lhes falei há uma cena impressionante. Ela representa as pessoas que não temem abrir caminhos: o povo estava de um lado e aqueles que protegiam a Bastilha, do outro. Entretanto, os que ameaçavam invadi-la, com temor, não avançavam. De repente, um homem destacou-se do meio daquela multidão e atravessou a ponte que cobria o fosso, sendo abatido por uma descarga de tiros. Esse ato de coragem fez com que os demais o imitassem e, assim, conseguissem entrar na fortaleza. Parece perspectiva romântica de um momento trágico, porém retrata de modo irretocável uma verdade: há sempre alguém que se sacrifica pela mudança substancial do status quo. Não é preciso levar bala para que as transformações ocorram. Há outros choques que ferem mais os vanguardeiros, a exemplo da incompreensão, da inveja, do preconceito, da perseguição e do boicote.

Na sequência do longa-metragem, observamos a tomada da prisão, destruída de cima a baixo.

Existem aqueles que, tentando minimizar o fato histórico, apresentam uma argumentação frugal de que o famoso cárcere não mais tinha relevância naquele período, pois apenas uns poucos presos lá se encontravam.

Ora, o que o povo demoliu não só foi a construção de pedra; no entanto, o mais expressivo emblema, para ele, do absolutismo dinástico!

E a palavra dinastia pode, por extensão, significar muita coisa, uma vez que funciona tanto no feudalismo quanto na burguesia, no capitalismo e no próprio comunismo. Dinastia não implica somente a sucessão por sangue. Existe uma pior: a da ambição desmedida que arrasa o ser vivente, sob qualquer regime.

Uma nova civilização
Hoje se faz necessário pôr abaixo as bastilhas invisíveis, todavia de consequências bem palpáveis: espirituais, morais, psicológicas, do sentimento.

Façamos florescer uma civilização nova a partir da postura espiritual e mental elevada de cada criatura. Já dizia o filósofo: “A fronteira mais difícil a ser transposta é a do cérebro humano”. O homem foi à Lua, mas ainda não conhece a si mesmo.

O Templo da Boa Vontade — aclamado pelo povo como uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF, Brasil, e que, segundo dados oficiais da Secretaria de Estado do Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal (Setul-DF), é o monumento mais visitado da capital do país — convida as criaturas a essa epopeia de empreender uma viagem ao seu próprio interior. Feito isso, sair até mesmo da Via Láctea será facílimo: desde que descubramos o âmago celeste de nosso ser, pois, na verdade, para o Espírito, o espaço não existe.

Assegurou Jesus: “Tudo é possível àquele que crê” (Evangelho, segundo Marcos, 9:23).

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

03jul/18

A condução do pensamento: asas ou algemas?

Paiva Netto

A tradição popular ensina que “pensamento é força”. Logo, caros amigos que me leem com atenção: mentalizemos a todo instante o melhor possível, isto é, o Bem para os outros e para nós. As benéficas consequências, se tivermos sempre bom ânimo, serão patentes, na medida em que nos sentiremos fortalecidos pela Divina Autoridade de Jesus, que jamais esmoreceu diante das provações e nos inspira a vencê-las com Ele.

Em Nos Domínios da Mediunidade, o Espírito André Luiz, por intermédio do sensitivo Chico Xavier (1910-2002), registra valioso esclarecimento de um mentor espiritual a respeito da importância de educarmos nossa mente em conformidade com a senda correta do Amor de Deus:

“Vigiemos o pensamento, purificando-o no trabalho incessante do bem, para que arrojemos de nós a grilheta capaz de acorrentar-nos a obscuros processos de vida inferior.

“É da forja viva da ideia que saem as asas dos anjos e as algemas dos condenados. (…)

“Meus amigos, crede!…

“O pensamento puro e operante é a força que nos arroja do ódio ao amor, da dor à alegria, da Terra ao Céu…

“Procuremos a consciência de Jesus para que a nossa consciência Lhe retrate a perfeição e a beleza!…

“Saibamos refletir-Lhe a glória e o amor, a fim de que a luz celeste se espelhe sobre as almas, como o esplendor solar se estende sobre o mundo”. (Os destaques são meus.)

Que assim seja! Por isso, na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, cultivamos a Sintonia Tríplice com Jesus: a do Bom Pensamento, da Boa Palavra e da Boa Ação.

O piloto e escritor francês Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944) avisou a quem o quisesse escutar: “Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas”.

Essas palavras do autor de O Pequeno Príncipe são um sério alertamento aos sedutores irresponsáveis.

Diante disso, só um louco fará a sementeira do mal, de que desesperadamente se arrependerá depois.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

29jun/18

Sobrepujar a dor

Paiva Netto

A sabedoria antiga revela que as criaturas humanas podem expressar sua melhor capacidade justamente pela atitude que têm diante da Dor.

Especialistas do comportamento humano concordam que, em situações adversas, quando o sofrimento nos surpreende de maneira tão cruel, a superação requer postura de coragem. Deixar de lado sentimentos de angústia e revolta é igualmente indispensável.

Aos que acreditam em um poder superior, na Eternidade, de forma geral, a provação é mais prontamente aceita, enfrentada e vencida. Contudo, mesmo os céticos podem encontrar energia construtiva para dar novo sentido às suas existências. Temos, por exemplo, a Caridade, o auxílio ao próximo, como emblemática ferramenta de reconstrução de nossa própria felicidade.

Não temer os desafios
A crise é o teste da inteligência. A luta instiga o nosso valor. Por que temer os desafios? É a maneira escolhida por Deus para premiar a nossa capacidade. E qualquer vitória no campo espiritual e físico exige sacrifício.

Vitória ao alcance
Ninguém pode sentir-se derrotado antes mesmo de tentar o sucesso. Refletindo a respeito do estado de espírito que devemos manter, de forma que tornemos realidade as boas metas que estabelecermos para a nossa existência, concluí: todas as vitórias estão decididamente ao nosso alcance pela força do nosso próprio e valoroso trabalho. Portanto, de nossa criatividade diligentemente bem aplicada. Administrar é chegar antes!

O negativismo atrasa o progresso
É indiscutível que a conduta psicológica negativa de lideranças e liderados não contribui em nada para o crescimento social das populações. Estou com o escritor, professor e pastor metodista norte-americano William Arthur Ward (1921-1994) quando diz: “O pessimista queixa-se do vento; o otimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas”.

Assim sendo, não percamos tempo! Ajustemos as nossas velas e sobrepujemos os vendavais, a fim de concretizar o Bom Ideal que cultivamos. Isso não tem nada a ver com o famigerado “os fins justificam os meios”, atribuído a Maquiavel (1469-1527), autor de O Príncipe. Mas é triste ver alguns pensadores de grande valor, antigos demolidores de preconceitos e tabus, depois de tanta luta, declarar-se desiludidos de tudo. Ora, quando eu era menino, ouvia, na voz dos mais antigos, este conforto de Teócrito (aprox. 320-250 a.C): “Enquanto há vida, há esperança”.

Certa vez, o saudoso Dom Hélder Câmara (1909-1999), arcebispo emérito de Olinda/PE, Brasil, com a sua inata certeza de eras mais felizes para os povos, manifestou-se desta forma: “Feliz de quem atravessa a vida inteira tendo mil razões para viver”.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

26jun/18

LBV celebra seus 55 anos de atuação em Ipatinga

Em um clima de muita alegria, a Legião da Boa Vontade (LBV) vai comemorar seus 55 anos de fundação na cidade de Ipatinga/MG. São mais de cinco décadas realizando campanhas e desenvolvendo programas socioassistenciais pela melhoria da qualidade de vida das pessoas atendidas neste município.

O evento comemorativo será realizado dia 04 de julho, quarta-feira, às 9 horas. A iniciativa conta com o importante apoio de parceiros, colaboradores e voluntários que ajudam a tornar possível e, com qualidade, o atendimento prestado à meninas e meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente!, provenientes de famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e/ou pessoal e o programa Vida Plena, que atende pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, visando fortalecer a cidadania e incentivar a participação desses idosos em atividades, a fim de que tenham uma vida digna e feliz.

Para abrilhantar a cerimônia, as crianças farão uma apresentação musical e teatral em agradecimento a todos que, ao longo destas décadas têm ajudado a LBV a transformar para melhor a vida de todos que são atendidos nesta Unidade da instituição.

Serviço:
Evento: Comemoração dos 55 anos de trabalho da LBV em Ipatinga/MG
Data: 04 de julho (quarta-feira)
Horário: 09 horas
Local: Centro Comunitário de Assistência Social da LBV
Endereço: Rua João Patrício de Araújo, 225, Veneza I — Ipatinga/MG
Informações: (31) 3822-8600 | www.lbv.org

18jun/18

Clima de deserto

Paiva Netto

O clima seco a cada ano preocupa mais a população de várias regiões do Brasil, agravado, principalmente, pelas secas e queimadas. A baixa umidade relativa do ar gera, além de problemas de saúde, transtornos na vida de milhões de brasileiros.

Por isso, torna-se imprescindível hidratar o organismo adequadamente com líquidos (água, água de coco e sucos), manter a residência ou local de trabalho livres da poeira, evitar a prática esportiva em horários em que o sol esteja mais forte e usar soro fisiológico em narinas e olhos. Ainda é aconselhável colocar nos ambientes vasilhas com água, toalhas molhadas ou umidificadores. Toda a atenção é pouca com crianças e idosos, grupos de maior risco.

Síndrome do olho seco
Entre os principais prejuízos ao corpo, o clima seco provoca dor de cabeça, sangramento das vias respiratórias, maior incidência de asma e bronquite, além da síndrome do olho seco.

Numa entrevista ao programa Vida Plena, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), o dr. Alessander Tsuneto, oftalmologista, integrante da Associação dos Portadores de Olho Seco (Apos), esclareceu que essa síndrome atinge de 10% a 15% dos indivíduos acima dos 50 anos. É a segunda maior causa de atendimento nos consultórios, e muitos desconhecem essa enfermidade. Alguns fatores, como cirurgia prévia, uso de lentes de contato sem avaliação oftalmológica, diabetes, doenças reumáticas e queimaduras, podem causar a secura ocular.

O médico também comentou que a baixa umidade relativa do ar pode desencadear precocemente a doença. “Os níveis saudáveis, segundo a Organização Mundial da Saúde, são em torno de 60%. Li uma reportagem na internet falando que a umidade relativa do ar em São Paulo está abaixo dos 20%. Só como curiosidade, no deserto do Saara é de 10% a 15%. Isso faz com que aumente a evaporação das lágrimas e agrave o olho seco, ou quem não tem o problema corre o risco de possuí-lo.”

Brasília já conhece bem esses baixos índices.

Para o dr. Alessander, o exame preventivo da síndrome do olho seco pode evitar graves doenças oculares, inclusive a cegueira. “Tudo depende do grau de severidade. Se o paciente tiver uma queixa leve, só um desconforto ou uma irritação ocular, a gente pode tratá-lo somente com colírio ou pomada. Mas, se apresentar alguma gravidade, pode ser até caso de cirurgia.”

Deficientes visuais
Durante o bate-papo, o telespectador Lucas Fernando Gouveia, de Porto Alegre/RS, perguntou ao dr. Alessander se pessoas com deficiência visual padecem com o problema. De acordo com o oftalmologista, “mesmo uma pessoa que não enxerga, mas possui as estruturas oculares e as glândulas que produzem a lágrima, pode ter alteração da qualidade da lágrima e ter olho seco”.

Dicas e cuidados
Ao fim da entrevista, passou importantes dicas para que se saiba se os olhos estão ressecados. “O paciente vai sentir algum grau de desconforto, o olho vermelho, uma irritação ocular. Vai ser difícil piscar, porque, não tendo uma lágrima boa e suficiente na pálpebra, ela não vai deslizar sobre o olho. Então, ela dá uma travadinha.” Também alertou para o fato de que quem fica exposto ao ambiente com ar-condicionado e os que exercem atividades no computador têm maior probabilidade de adquirir a doença, já que o local fica mais seco por causa da falta de umidade, e a fixação por demasia na tela do computador desestimula a pessoa a piscar.

Outra questão de relevância é o perigo da automedicação. “Só o oftalmologista vai saber se o paciente tem o olho seco, que grau e qual colírio deve usar”, evidenciou. Mais informações sobre o tema podem ser obtidas no site www.apos.org.br.

Cabe a todos nós, além de informar a população dos riscos que corre com a baixa umidade atmosférica, iluminar as mentes a respeito das graves consequências da seca e queimadas provocadas pela ganância humana.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

11jun/18

Doe sangue

Paiva Netto

Ao doar sangue, você se torna a diferença entre a vida e a morte para aquele que necessita de transfusão. Um pedido recorrente do Ministério da Saúde é “que as pessoas sejam doadoras também durante o período das férias, para que o estoque dos bancos de sangue nos hemocentros esteja assegurado”.

Atendamos a essa convocação. Saiba antes se você possui as condições físicas ideais para ser um doador. Seu gesto de Caridade pode salvar muitas vidas. Procure um hemocentro perto de sua casa.

Deus tem muitos sinônimos
Tudo que do Amor Divino nasce é verdadeiramente sublime. De certo, firmado nessa realidade, o dramaturgo e poeta francês Victor Hugo (1802-1885) ensinava que “o Espírito se enriquece com aquilo que recebe, e o coração, com o que dá”. Ora, sem o Amor, que é Deus, o ser humano vive desgovernado, longe da Verdade, que é a Palavra Dele. (Evangelho de Jesus, segundo João, 17:17: “Pai, Tua Palavra é a Verdade”.)

Se você não crê na existência do Pai Celestial, não se sinta excluído pela minha afirmativa. Pense então em bom senso, porque quem não o exercita também vive em desgoverno.

Deus tem muitos sinônimos, tais como Amor, Fraternidade, Solidariedade, Compaixão, Clemência, Generosidade, Misericórdia, Altruísmo, Justiça e tudo o mais que valoriza a criatura humana, conduzindo-a à Paz consigo mesma, extensivamente aos outros.

A Face Divina
Por consequência, o Criador não apoia manifestações de ódio em Seu Santo Nome. Muito apreciável, portanto, esta admoestação de Martinho Lutero (1483-1546): “Não desejo que as pessoas lutem em favor do Evangelho pela força e pelo morticínio. O mundo tem de ser conquistado com a palavra de Deus”.

A que Deus se refere o Reformador? Certamente que não ao antropomórfico, criado à imagem e semelhança do homem, mas a respeito Daquele, definido por João Evangelista, na sua Primeira Epístola, 4:16: “E nós conhecemos e cremos no Amor que Deus tem por nós. Deus é Amor. E aquele que permanece no Amor permanece em Deus, e Deus, nele”.

E tamanha é a compreensão que Lutero tinha de Deus que o versículo de sua preferência na Bíblia fala por si mesmo, a quem tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir”: “De tal maneira amou Deus ao mundo, que lhe deu o Seu Filho Unigênito, de forma que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a Vida Eterna”. (Evangelho do Cristo, segundo João, 3:16.)

O velho pregador germânico sabia que não há outro caminho, senão o do Amor, sinônimo de Caridade.

Outro sábio da História, Dante Alighieri (1265-1321), em A Divina Comédia, escreveu: “O Amor é a força que move o Sol e outras estrelas”.

Por isso, viver afastado Dele é sofrer a orfandade da Alma. O Deus Divino não tem bigode nem barba. A Sua Face é o Amor.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

09jun/18

Crianças da LBV participam de blitz educativa e plantio de árvore na Semana Mundial do Meio Ambiente

Com objetivo principal de conscientizar as crianças e os adolescentes atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social sobre a importância da preservação e valorização do Meio Ambiente, a Legião da Boa Vontade promoveu, durante a semana uma programação diversificada com confecção de cartazes, faixas, sacolinhas, blitz, passeata e plantio de árvore para celebrar a Semana Mundial do Meio Ambiente.

Com muita criatividade e soltando a imaginação, dia 4, na Oficina de Artes, usando tintas, TNT, lápis de cor e cartolina, os pequenos confeccionaram cartazes, faixas e sacolinhas para utilizarem na passeata e na blitz. Todos participaram demonstrando interesse e entendimento pela atividade proposta.
“Aqui na LBV é muito legal! Aprendemos muitas coisas importantes que precisamos saber para ter uma vida melhor. Aprendi que não podemos fazer mal para o planeta terra porque vai ser ruim para nós vivermos nele, então temos que avisar todo mundo para cuidar dele. Hoje estamos fazendo cartaz, faixa e sacolinhas para levar e mostrar isso para todas as pessoas. O meu cartaz está ficando muito bonito, colorido e todos vão ver direitinho. Eu estou muito feliz fazendo esta atividade”, disse a atendida Laiz Esmeralda Pessoa, 10 anos.

Na terça-feira, dia 5, data em que se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente, crianças e adolescentes realizaram uma passeata com cartazes e faixas nas ruas próximas à Instituição chamando a atenção das pessoas para a preservação do meio ambiente. Ao chegarem na avenida principal, em um semáforo com acompanhamento e orientação de integrantes do 14º Batalhão da Policia Militar de Minas Gerais, realizaram uma blitz orientando e entregando aos motoristas, sacolinhas para depositarem os lixos evitando assim jogarem nas ruas, prejudicando o meio ambiente, além de gerar multas. Todos que paravam seus carros sendo abordados pelas crianças parabenizaram a iniciativa.
“Foi muito legal ver as pessoas parando o carro, nos dando atenção e parabéns! Eu entregava uma sacolinha e falava: vamos ajudar a cuidar do meio ambiente, faça sua parte não jogue lixo na rua. Foi a primeira vez que fiz isso e gostei muito, acho que todos que nos viram ali aprenderam a cuidar e vão falar com outras pessoas também. Então, isso será ótimo para o planeta, né!?”, disse a atendida, Layane Francisco Lima, 14 anos.

O encerramento das ações, sexta-feira, dia 8, a garotada realizou o plantio de mudas doadas pelo Viveiro Municipal, de árvores nativas e frutíferas, ao longo da Avenida Cândido Rondon, no Bairro Veneza, próximo à LBV. Esta atividade foi coordenada por técnicos da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente – SESUMA, da prefeitura de Ipatinga e a Infrater Engenharia.

O senhor Gilmar Luciano Alves, secretário da SESUMA ressaltou a importância de proporcionar à criança e ao adolescente oportunidades em ações educativas como esta: “A criança é o nosso futuro, nossa esperança! Por isso começamos por elas para que abracem a causa, levem para o pai, a mãe, o tio, o irmão e o sucesso será garantido porque estamos começando a formação do cidadão desde cedo. Trazendo as crianças para estes trabalhos de intervenções ambientais elas vão entender e se preocupar com o que há de mais valioso na nossa vida que é a natureza. A iniciativa da LBV é excelente! Que vocês nos ajudem a divulgar e cuidar do meio ambiente”.

Na Legião da Boa Vontade, este trabalho socioambiental é realizado durante todo o ano. Há décadas, a Instituição trabalha temas ligados ao não desperdício da água e de outros recursos naturais, entre outros assuntos relacionados à preservação da Natureza e ao comportamento sustentável, dentro da campanha “A destruição da Natureza é a extinção da Raça Humana”.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

04jun/18

Tabagismo na idade escolar

Paiva Netto
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos fumantes tiveram o primeiro contato com o tabaco em idade escolar, na faixa etária entre 5 e 19 anos. O programa Educação em Debate, da Super Rede Boa Vontade de Rádio, abordou esse grave tema, procurando demonstrar a enorme responsabilidade dos educadores, bem como da família, na busca de mecanismos que previnam a aproximação com o fumo, porta de entrada para drogas mais pesadas.

Em entrevista concedida à pedagoga Suelí Periotto, a dra. Mônica Andreis, mestre em psicologia clínica pela USP, vice-diretora da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT), destacou o papel da escola na prevenção desse vício: “É a oportunidade que o educando tem de aprender um pouco mais sobre o tabagismo e, com isso, ter mais consciência da importância de não começar a fumar. A escola pode contribuir bastante não só enfocando a questão da saúde, contudo ir além, com a discussão sobre por que as pessoas fumam, o papel da propaganda, o quanto isso afeta não só a saúde, mas o meio ambiente em que se vive. Os estabelecimentos de ensino podem abordar o assunto sob diferentes ângulos. O acúmulo de bitucas, por exemplo, é uma das coisas que mais poluem as praias brasileiras, que matam animais marinhos, porque se engasgam com aquilo; muitas florestas acabam sendo devastadas para a produção de cigarro, pois se usa lenha, se usa papel. E essas informações são muito importantes. Os alunos podem levar esse conhecimento para casa e partilhar com seus pais, familiares ou a própria comunidade. A escola pode organizar uma feira de ciências, e esse pode ser um tópico a ser discutido; apresentar um filme, chamar a família para participar e depois fazer um debate. Temos várias maneiras de explorar o assunto, e os educadores têm um papel fundamental na prevenção do tabagismo”.

Lei antifumo
Segundo a dra. Mônica, a lei antifumo contribui de fato para o desinteresse da criança pelo cigarro: “Hoje, esse impedimento é um desestímulo para que ela comece a fumar, porque as pessoas não estão mais fumando em todos os lugares como se fazia antigamente. Isso, aliado a uma abordagem da escola sobre o tema, de uma forma constante, acaba favorecendo para que não se comece a fumar na adolescência”.

O poder da influência
Indagada a respeito dos aspectos emocionais que podem influenciar a criança e o jovem com relação ao tabagismo, a dra. Mônica esclareceu ainda: “Alguns fatores acabam favorecendo para que elas experimentem ou comecem a fumar. A gente sabe que filhos de pais fumantes têm maior tendência de se tornar fumantes no futuro. Muitas crianças começam a fumar por causa desse modelo que elas têm em casa, ou mesmo na escola, daquele professor que admiram e que fuma. Daí a necessidade dessa consciência por parte dos familiares e dos professores, do poder de influência que possuem sobre a vida de uma criança. Além disso, na adolescência, a gente passa por uma série de modificações. É natural que a insegurança apareça e, às vezes, o cigarro é a válvula de escape na busca de um prazer instantâneo. É importante que a criança tenha essa percepção de que fumar não irá lhe trazer sustentabilidade ou lhe garantir sucesso na vida. O cigarro é uma droga e, uma vez que a criança o experimente, pode torná-la facilmente uma dependente química. Então, se ela tiver essa consciência, consegue, naturalmente, dizer não”.

Morte evitável
Em suas considerações finais, a psicóloga Mônica Andreis enfatizou que “o fumo passivo é considerado pela Organização Mundial da Saúde a primeira causa de mortes potencialmente evitável. É uma dimensão muito grande. Na verdade, como a gente tinha antes toda uma avaliação cultural de que o tabagismo não era um problema tão grave assim, as pessoas negligenciavam um pouco isso. Hoje temos informações e a clareza do malefício do tabaco para a saúde. É importante também que a escola possa valorizar isso e, de fato, implantar atividades para auxiliar os jovens no conhecimento e na prevenção”.

Grato, dra. Mônica. Nas escolas da Legião da Boa Vontade e nos seus programas socioeducacionais, o assunto é tratado com a seriedade devida. É o nosso contributo a fim de alertar principalmente as futuras gerações quanto ao efeito destruidor do tabagismo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

24maio/18

Semana do Brincar por uma infância sadia e digna

Brincar é a melhor maneira de estimular as crianças a interagir com o mundo exterior. Por meio das atividades lúdicas, elas aprendem a se comunicar, a trabalhar em grupo, a desenvolver os movimentos motores, além de melhorar o raciocínio e outros aspectos cognitivos. Por isso, elas têm o direito de brincar e de exercer com dignidade a primeira fase da vida.

Sabendo da importância desse tema, a Legião da Boa Vontade (LBV) promove inúmeras brincadeiras que ajudam no bem-estar, na boa convivência, na aproximação dos vínculos afetivos e no fortalecimento de valores da cultura de Paz das crianças atendidas em seus Centros Comunitários de Assistência Social e em suas escolas no Brasil.

Para valorizar e assegurar ainda mais esse direito, a LBV participa anualmente da “Semana Mundial do Brincar”, uma iniciativa promovida pela Aliança pela Infância em parceria com dezenas de outras organizações sociais em vários países, com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a importância do Brincar.

Neste ano, a ação ocorrerá no período de 21 a 28 de maio, e a LBV realizará em suas unidades socioeducacionais, durante uma semana, uma série de atividades, entre elas jogos, gincanas, brincadeiras, atividades esportivas, culturais e musicais voltadas aos atendidos e a seus familiares, mostrando a importância do brincar para a construção de uma infância digna e sadia.

Para saber mais sobre o trabalho que a LBV promove em suas unidades, acesse www.lbv.org. Siga e curta as ações de prestação de contas diária da Instituição nas redes sociais: LBV Brasil no Facebook, Youtube e Instagram.

21maio/18

Dependência virtual

Paiva Netto

Se existe algo que podemos denominar revolução dinâmica – a que não somente inaugura uma nova etapa no desenvolvimento da sociedade, mas também se renova permanentemente – é a tecnologia. O que é lançado hoje no mercado como de última geração logo se torna ultrapassado.

Constantes avanços cibernéticos vêm desencadeando melhorias em vários campos de atuação humana. A internet é um dos pilares desse sistema sem fim, e cada vez mais pessoas têm acesso ao mundo virtual.

Universo sedutor
A busca pelo saber, pelo entretenimento (games, bate-papo e redes sociais), comodidades como realizar movimentações financeiras no conforto de sua casa, escritório ou lan house, em apenas um clique, são alguns dos benefícios que a rede mundial de computadores propicia. Assistimos pelo mundo que recursos da internet são usados até mesmo na aceleração de mudanças governamentais. Contudo, a utilização desses meios desacompanhada do bom senso imensos prejuízos pode provocar. Um deles é o que os especialistas chamam de ciberviciado. Trata-se de internautas com compulsão ou dependência da internet. Estudiosos a consideram uma das mais graves doenças psíquicas da atualidade. O internauta compulsivo fica ainda propenso a desenvolver doenças, como trombose venal profunda, ansiedade, depressão e obesidade. Sem contar os funestos resultados dos que não conseguem se livrar da teia virtual no campo afetivo, familiar e profissional.

São perigos a que todos estão expostos, em particular os adolescentes. Os jovens se encontram numa fase de descoberta da própria identidade. Muitos procuram nas redes sociais sua “turma” e, ao ultrapassar o limite da autoafirmação, se deparam com a dependência digital, resumindo sua vida ao sedutor universo virtual.

Tratamento
Na maioria dos casos, a cura se resume, de acordo com especialistas, no afastamento do ciberviciado do contato com o computador, criando novos e prazerosos hábitos. Para muitos psicólogos, porém, não basta proibir, já que, de acordo com o grau de dependência, ele pode trocá-la pelas drogas. Situações assim requerem um psicoterapeuta, profissional habilitado que ajudará o paciente a encontrar as razões que o levaram ao vício e buscar alternativas na solução do problema.

No Brasil, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo é uma das instituições que desenvolvem tratamento para essa doença. Outras informações podem ser obtidas pelo site www.dependenciadeinternet.com.br.

Não desprezemos também os recursos da prece. A oração sincera de quem deseja curar-se ou daquele que quer ajudar a quem precisa pode produzir verdadeiros milagres. Jesus, no Seu Evangelho, segundo Mateus, 7:7 a 11, nos ratifica essa esperança: “Pedi, e Deus vos dará. Deus não é indiferente nem à morte de um passarinho. Se teu filho te pede um pão, tu lhe dás uma pedra? Se teu filho te pede um peixe, tu lhe dás uma serpente? Ora, se tu, que és mau, sabes dar boas coisas a teu filho, que é que não dará o Pai que está no Céu?”

O progresso é o que todos almejamos, mas o usemos realmente a favor da Humanidade.

Saúde da Alma
Minha saudação ao economista Paulo Azor, a quem agradeço página a mim endereçada. Nela são destacadas especialidades médicas de Jesus nos inúmeros milagres que realizou, conforme o relato dos Evangelistas na Boa Nova do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista. O texto é atribuído a um discurso dos formandos de Medicina da PUC-PR/2010. Eis um trecho: “O tratamento que Ele [Jesus] oferece é mais do que a cura de uma doença física, é uma vida de paz e alegria aqui na Terra e mais uma eternidade inteira ao seu lado no Céu”.

Jesus personifica a Divina Caridade à disposição de todos. Aquele que dela usufrui, em primeiro lugar, conquista a saúde da Alma.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

17maio/18

Segurança infantojuvenil

Paiva Netto

Abuso e exploração sexual infantojuvenil. Assuntos que não podem ser ignorados. Problemas de magnitude global que exigem alerta constante de todos nós, principalmente dos pais e dos governos. Nada melhor que procurarmos caminhos eficientes em prol da assistência aos pequeninos.

Juntamos nossos esforços aos de numerosas organizações do Terceiro Setor e aos do próprio governo no combate a essa terrível violência.

A Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), no programa Sociedade Solidária, trouxe elucidativa entrevista com a professora Dalka Chaves de Almeida Ferrari, membro da diretoria do Instituto Sedes Sapientiae, de São Paulo/SP, e coordenadora-geral do Centro de Referência às Vítimas de Violência (CNRVV).

A segurança das crianças e dos jovens, segundo a professora Dalka, carece de uma mobilização geral: “Trata-se de trabalho contínuo que merece uma atenção constante da política pública para fazer esse enfrentamento. E hoje são necessárias a capacitação e a sensibilização dos hotéis, com seus gerentes e todo o corpo de trabalho, dos taxistas, do pessoal da rodoviária, dos ônibus, dos aeroportos. Se for pensar em política, todos os ministérios teriam que ser capacitados para fazer esse enfrentamento”.

Quebrar o pacto do silêncio
Durante sua conversa com o sociólogo Daniel Guimarães, apresentador do Sociedade Solidária, a professora Dalka Ferrari enfatizou também a imprescindível providência de proteção da criança dos abusos sexuais nos ambientes doméstico e social: “Quebrar o pacto do silêncio, conseguir falar desse assunto, porque ainda é muito velado, é meio tabu dentro da sociedade. Se a gente tiver jovens esclarecidos, conscientizados, sensibilizados sobre os cuidados que têm que ter com o próprio corpo, os limites que são dados, eles se sentirão bem e não deixarão que esse corpo seja invadido. Então, é quase que uma reeducação do autoconhecimento. A pessoa tem que se conhecer, saber exatamente o que ela quer para sua vida, os riscos que pode correr com os envolvimentos”. (…)

E prossegue, enfática: “Isso tudo é algo que precisa ser discutido, porque, se a gente não conscientizar, desde a criança, o adolescente, o jovem até os pais, os educadores, que cuidam dessa criança e desse adolescente todo dia, a gente não vai fazer esse problema vir à tona. As pessoas têm vergonha de falar, não querem enfrentá-lo. E, à medida que o jovem ficar autônomo, sabendo como se defender, ele poderá ajudar outro jovem, poderá ser um multiplicador desses conhecimentos”.

Psicóloga, especialista em violência doméstica, ela reforça: “Então, o objetivo maior de tudo isso é fazer com que eles conheçam (…) quais são as situações perigosas em que podem se envolver, ou em que precisam se defender dentro e fora da família. Porque é assim: a proteção dos pais existe por um tempo, mas há uma hora que vai depender da criança e do jovem fugirem, saírem ou pedirem ajuda por causa do risco que estão enfrentando”.

Estamos tratando de tema realmente complexo e que deve ser salientado e discutido na mídia, em casa, nas igrejas, nas escolas, nas universidades, no trabalho, em toda a parte, de modo a ampliarmos a guarda em torno da infância e da juventude. E tenhamos em nossas agendas o Disque 100 (Disque Direitos Humanos), para fazer denúncias, procurar ajuda.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

11maio/18

Adoção rima com coração

Paiva Netto

Em maio, o Dia das Mães (sempre no segundo domingo do mês) e o Dia Nacional da Adoção (25 de maio) guardam especial afinidade. O sagrado dom da maternidade, também expresso no belo gesto da adoção, deve compartilhar amor e afeto igualmente de forma inclusiva.

Esse importante tema foi discutido na Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), no programa Sociedade Solidária. Na ocasião, o sociólogo e apresentador Daniel Guimarães entrevistou Mônica Natale de Camargo, gerente executiva do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo (Gaasp).

Mudança de cultura
Estimativas apontam que, para cada criança na fila de adoção, há seis casais ou indivíduos pretendentes. Mônica Natale esclarece: “Ainda temos aquela cultura do perfil. O que a maioria dos pretendentes deseja? Eles geralmente querem aquelas crianças menores, bebês, brancos ou da mesma etnia. E as crianças que estão disponíveis geralmente são de grupos de irmãos e com idade avançada, e algumas com necessidades especiais. Então, o que tem de se fazer? Mudar essa cultura em torno da adoção no Brasil. O pretendente tem que entender qual é a realidade do país, e começar a olhar com carinho para as crianças, mudar aquela concepção do filho idealizado para o filho possível”.

Longe de nós o preconceito
O alto sentido de humanidade precisa habitar o coração das criaturas, não deixando espaço para preconceitos. A gerente do Gaasp aponta para o que pode ser feito: “Primeiro, uma divulgação maior do que é a adoção, entender o que significa adotar, o que significa um filho na sua vida. Isso é importante! A cultura da adoção tem que ser mudada, sim, com programas de TV como este onde se discute, onde se fala dessas necessidades”.

O assunto realmente merece um olhar mais atento da parte de todos, seja das políticas públicas ou da sociedade. É direito básico de toda criança ter uma família que a proteja, ame e respeite.

Quem quiser se informar melhor, acesse o site do Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo: www.gaasp.org.br. Procure também conhecer a legislação brasileira sobre o tema.

Tirem o vidro!
No dia 27 de maio, completam-se 32 anos de dois grandes eventos da Legião da Boa Vontade na capital federal. Na ocasião, além de inaugurar o primeiro anexo (sede administrativa) do Conjunto Ecumênico, comandei a cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do Templo da Boa Vontade.

Momentos antes do início do cerimonial, um fato curioso proporcionou a todos importante lição. Eu me encontrava no segundo andar do prédio administrativo da LBV com os meus filhos e, ao olhar para o pátio, que estava superlotado, vi que o palco era baixo demais. E decidi: Sabem de uma coisa? Vou falar aqui de cima da marquise de entrada. E perguntei: Essa marquise aguenta o peso da gente? Ao que me responderam que sim, ao mesmo tempo em que me perguntavam: “Mas como é que o senhor vai passar para lá? Tem um vidro na frente!” Ora, se o vidro atrapalha, tirem o vidro!, disse-lhes. O vidro foi retirado e pude, então, fazer o discurso lá de cima mesmo.

Naquele momento, destaquei, lembrando-me de Moisés e de Alziro Zarur (1914-1979), que o Templo da Paz surgia para que houvesse a interiorização de bons e elevados valores. Porque não se pode exteriorizar coisa alguma de útil se a criatura não tem nada para oferecer. É a questão do conteúdo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

07maio/18

Faça um gol pela infância brasileira!

Campanha da LBV mobiliza sociedade a investir em um futuro mais justo

Fazer do Brasil campeão é o que desejam os ídolos do futebol nacional e também todos os brasileiros. Por isso, mais uma vez, a Legião da Boa Vontade (LBV) também entra em campo, com seu time solidário, para jogar por um Brasil vencedor e ajudá-lo a conquistar um título que ainda lhe falta: o de país justo.

Para isso, a LBV inicia sua campanha Fiz um gol pela infância brasileira!, iniciativa realizada tradicionalmente a cada edição da Copa do Mundo da Fifa, que visa mobilizar doações para a manutenção dos programas socioeducacionais que a Instituição realiza em todo o país. Essas ações oferecem educação, cultura, saúde, alimentação e capacitação profissional, melhorando as condições de vida de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos em situação de pobreza.

Nesta edição, a campanha recebeu a adesão de jogadores que autografaram uma camisa, a qual será entregue a colaboradores da Instituição que fizerem doações para a iniciativa. Destacam-se os jogadores: Miranda (zagueiro), do Internazionale, de Milão; Marcelo (lateral-esquerdo), do Real Madri, da Espanha; Cássio (goleiro), do Corinthians; Roberto Firmino (atacante), do Liverpool, da Inglaterra; Renato Augusto (meia), do Beijing Guoan, da China; Rodrigo Caio (zagueiro), do São Paulo; Eduardo Sacha (atacante), Gabigol (atacante), David Braz (zagueiro) e Vanderlei (goleiro), do Santos; Fábio Santos (lateral-esquerdo), Róger Guedes (atacante), Victor (goleiro) e Erik (atacante), do Atlético Mineiro; Fábio (goleiro), do Cruzeiro; Marcos Júnior (atacante) e Gum (zagueiro), do Fluminense; Marcelo Grohe (goleiro), do Grêmio; Rildo (atacante), Yago Pikachu (lateral-direito) e Wagner (meia), do Vasco da Gama.

A campanha ainda homenageia vários ídolos do esporte que também assinaram a camisa: Pelé, Careca, Rivellino, Clodoaldo, Paulo Roberto Falcão, Ronaldo Fenômeno, Zico, Dunga, Taffarel, Marcos e Caio Ribeiro (comentarista).

A LBV convoca você para se juntar a este time em prol da construção de um país justo, solidário e com oportunidades iguais para todos. Sua ajuda é fundamental. Acesse www.lbv.org/digasim e vista esta camisa para viver toda a emoção que a Solidariedade oferece. Vamos ganhar essa partida!

04maio/18

Oração, trabalho e Paz

Paiva Netto
Meu filho mais novo, hoje um adolescente, desde pequenino, ao proferir com nossos familiares e amigos uma breve oração à mesa antes das refeições, sensibiliza a todos com um simples mantra, que poderia resumir grandes compêndios de sabedoria, aquela que compartilha Solidariedade sem fronteiras de qualquer espécie. Exclama o jovenzinho: “Deus, peço-Te que não falte a comida no prato de ninguém nem no nosso!”

Nos desafiantes momentos por que passa o planeta, considero de muita valia invocar aos Poderes Celestiais análoga súplica: Que não falte o decente meio de ganhar o próprio sustento a nenhuma batalhadora mulher, a nenhum dedicado trabalhador nem aos nossos familiares! Amém!

Façamos juntos essa rogativa, mas na atuante esperança de que esse “assim seja” encontre, nos planos de governos do mundo, acertadas providências que atendam às urgentes necessidades das populações.

Seres humanos bem empregados e devidamente valorizados em seus esforços são garantia de Paz e de sustentável progresso para todos. Jesus, o Administrador Celeste de seres espirituais e humanos, foi pragmático ao afirmar em Seu Evangelho, segundo Lucas, 10:7: “Digno é o trabalhador do seu salário”.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

27abr/18

Alerta à população

Paiva Netto

O Ministério da Saúde declara 26 de abril Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, campanha em que alerta a sociedade para o aumento dos casos de pressão arterial alta.

De acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde, de 2012 para 2016, o número de brasileiros com o problema subiu de 24,3% para 25,7%. O levantamento aponta que a doença atinge todas as idades, principalmente os idosos. Foram abordados 53 mil adultos. Entre as pessoas com 65 anos ou mais, a porcentagem chegou a 64,2%, contra 59,2% em 2012. De acordo com o estudo, a proporção de hipertensos é maior entre mulheres (27,5%) do que entre homens (23,6%).

A Sociedade Brasileira de Hipertensão, em parceria com o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia, esclarece que 50% das pessoas desconhecem o seu estado de pressão alta, e dos que sabem, apenas 25% buscam realmente um tratamento. Este assunto deve, nos dias atuais, também ser tratado com os jovens. De acordo com o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), que analisou dados de 73 mil estudantes de 12 a 17 anos, de escolas públicas e privadas de 124 municípios de todo o país, um em cada dez adolescentes apresenta hipertensão arterial. A pesquisa, conduzida entre 2013 e 2014 por diversas universidades brasileiras e financiada pelo Ministério da Saúde, mostra que essa alteração somado ao excesso de peso (sobrepeso ou obesidade) e taxas acima do recomendável de colesterol total ampliam o risco de morte por infarto e favorecem o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes.

Fica, portanto, o aviso aos jovens e adultos: cuidar da saúde, com a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada com pouco ou nenhum sal, é o caminho para diminuir os malefícios que o desequilíbrio da pressão arterial provoca em nosso organismo, particularmente nos rins, cérebro e coração.

O assunto merece atenção e cuidados urgentes, tanto no campo fisiológico como no espiritual, até porque Alma saudável é medicina preventiva para o corpo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

24abr/18

Consumidores conscientes” é tema de projeto na LBV

Com o objetivo de conscientizar crianças e adolescentes atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social, sobre seus direitos e deveres, a Legião da Boa Vontade (LBV) desenvolveu, em Ipatinga/MG, durante os meses de março e abril, o projeto “Consumidores conscientes” coordenado pela educadora social da Instituição, Débora Gonzaga.

Neste período, meninos e meninas receberam orientações necessárias à proteção de seus direitos no dia a dia. Roda de conversas, pesquisas, confecção de desenhos, cartazes e panfletos, atividade com representantes do Procon, panfletagem e teatro foram algumas das atividades realizadas durante o projeto.

“Foi muito bom descobrir que eu tenho direitos. Quando comprar uma coisa e tiver algum problema, eu posso devolver. Eu achava que só os adultos podiam fazer isso. É muito bom ficar na LBV porque todo dia aprendemos coisas importantes, além de poder brincar, ter muitos amigos e comer coisas gostosas no almoço e no lanche”, destacou a atendida KamillaKetlyn de Souza, 12 anos.

Gabriela Cristina, 13 anos, citou detalhes sobre os deveres:“Aprendemos que temos também deveres. Por exemplo: quando for reclamar de alguma coisa você não pode mentir, porque isso vai tirar o seu direito de conseguir o que quer; sempre temos que pedir a nota de tudo porque a nota é nosso comprovante, pesquisar antes de comprar porque as vezes a gente se arrepende quando vê em outro lugar mais barato; saber se realmente precisamos, pra não desperdiçar nada e nem poluir o planeta, devemos procurar diminuir o lixo em casa, na escola e em todo lugar que a gente for”.

O apoio do Procon a este projeto aconteceu com a presençada advogada Manoela Martins de Medeirose a atendente Maria Aparecida de Carvalho. Elasparticiparam de um teatro com as crianças e adolescentes e de um pequeno mercado (na quadra) com guloseimas e objetos diversos. As crianças desenharam notas de “dinheiro” e assim compravam os produtos. Algumas crianças eramconsumidores e outras, vendedores. Surgiram situações nas quais a garotada procuravao Procon e a doutora Manoela ou a Maria Aparecida orientavam sobre seus direitos.

“O que mais gostei foi do mercadinho. Foi muito legal as pessoas que trabalham no Proconparticiparem! Assim, ficou mais fácil de entender os direitos que temos e a quem devemos procurar para ter esses direitos. Elas explicarampra gente, então eu cheguei em casa e expliquei para meus pais para eles saberem que quando precisar é só procurar o Procon que existe para os consumidores”,Thaynara Nobre, 12 anos.

O encerramento do projeto aconteceu nesta terça-feira, 24, com a educadora e a garotada realizando uma panfletagem pelas ruas próximas à Instituiçãofalando para as pessoas sobre os seus direitos dos consumidores. Ao orientar as pessoas nas ruas, crianças e adolescentes demonstraram o quanto aprenderam sobre direitos e deveres do consumidor.

“A melhor coisa para não ter problemas de compra e venda é conhecer os direitos do consumidor. As crianças e adolescentes, por sua curiosidade natural e receptividade a novas informações, podem ser facilmente orientadas sobre este assunto. E, quanto antes for a sensibilização dessas crianças e adolescentes, maior será o número de cidadãos e cidadãs responsáveis no futuro”, destacou a educadora social da LBV, Débora Gonzaga.

Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

24abr/18

Protótipo de um mundo melhor

Paiva Netto

Ao assistirmos às cerimônias de abertura dos Jogos Olímpicos, enquanto desfilam, diante dos nossos olhos, centenas de nações representadas por seus mais destacados atletas, somos levados a refletir sobre a magia benéfica das Olimpíadas. O esporte é capaz de congregar, nem que apenas durante a sua realização, as mais díspares culturas, etnias, regimes e economias do planeta, pois isso é do seu espírito original. O idioma utilizado para comunicar-se é o da saudável competitividade. A barreira a ser vencida é o limite do corpo, dos milésimos de segundo ou dos centímetros das marcas recordes.

É evidente que o doping deve ser decididamente combatido.

A Vila Olímpica, apesar das naturais falhas humanas, não deixa de ser protótipo de um mundo melhor. Dizer o contrário seria negar os benefícios que as práticas desportivas trazem. Os desencontros que sempre ocorrem onde atuam os homens existem para ser corrigidos, ora! Lá se respira a diferença. Compartilham-se os sonhos dos jovens de países desenvolvidos, emergentes e subdesenvolvidos. Trata-se de imagem emblemática da globalização do Amor Fraterno que há décadas defendemos e cuja tese mandamos à Organização das Nações Unidas (ONU), numa publicação especial, por ela divulgada nos seus seis idiomas oficiais: árabe, chinês, espanhol, francês, inglês e russo.

Esse cenário que convida à Paz reporta-nos ao Templo da Boa Vontade, uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF, que diariamente vivencia as Olimpíadas do Espírito.

Um pouco de História
Em 1896, o Rei Jorge I (1660-1727), da Grécia, abria em Atenas a moderna fase das Olimpíadas. O imperador romano Teodósio I (347-395) encerrara, em 393 da chamada Era Cristã, o primeiro período dos famosos jogos que imortalizaram Olímpia, cidade situada na parte ocidental da península do Peloponeso. Considerou-os pagãos. Pelo espaço de 1.500 anos a ideia ficou adormecida, até que o Barão Pierre de Coubertin (1863-1937), em 1892, para uma nova época nos esportes, iniciou as providências que, em 1894, levaram ao “Congresso pelo restabelecimento dos Jogos Olímpicos”, o que se deu em 1896 na milenar capital helênica. Milhares de pessoas viram a competição entre treze países em nove modalidades: atletismo, natação, ciclismo, luta, halterofilismo, tênis, ginástica, esgrima e tiro. Participaram 285 atletas. No princípio quase ninguém acreditava na retomada dos jogos. Em Paris, 1900, houve a primeira participação das mulheres: seis concorreram nas provas de tênis. O Brasil ingressou nas competições somente em 1920, em Antuérpia, Bélgica. De lá trouxe a sua primeira medalha de ouro: Guilherme Paraense (1884-1968), pistola automática, na prova de tiro.

Conta a mitologia grega que da luta entre Zeus e Cronos pela posse da Terra nasceram os Jogos Olímpicos, que ao longo de toda a Antiguidade observaram caráter religioso. Em 776 AD, fixaram-se em Olímpia que, também de quatro em quatro anos, promovia uma “reunião de Paz, Fraternidade, cooperação e amizade entre os povos”. Sob a mesma invocação, De Coubertin resgatou aquelas empolgantes disputas para os nossos dias. É dele esta consideração que se tornou conceito máximo das Olimpíadas: “O importante não é vencer, mas competir”.

Boas lembranças
Sempre amei os esportes. Meu pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000), gostava de nadar, remar e fazer musculação. Era um touro.

Recordo-me de que, quando menino, jogava descalço, com meus colegas de infância, futebol no chão de cimento (vejam só!) da vila em que, por um bom tempo, morei. Só de pensar, sinto calafrios na espinha (risos). Os blocos eram separados entre si com frestas suficientes para quebrar os dedos de qualquer um, à menor topada, o que nunca aconteceu. Graças a Deus! E depois há os que não acreditam em milagres (risos). (…) Nadei com meu pai e com o meu primo Orlando, em Paquetá, na Pedra de Guaratiba, Urca, Copacabana, no Rio de Janeiro. Com outros jovens, armava arraiais para a festa de São João, num terreno baldio. Também, andei de bicicleta à beça. Contudo, mais do que isso, apreciava ler e preencher palavras cruzadas. Esta era a minha paixão maior: a leitura, costume desenvolvido pelo forte incentivo do seu Bruno.

Estamos aqui torcendo pelo sucesso de nossos atletas. A eles, dedico este meu pensamento: Todas as vitórias estão decididamente ao nosso alcance pela força do nosso próprio e valoroso trabalho.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

16abr/18

Ore, Terra amada!

Paiva Netto

Abril é um mês de importantes celebrações para o país e para o planeta: 19, Dia do Índio; 21, Tiradentes e Inauguração de Brasília; e 22, além de ser o Dia da Terra, marca o “achamento” do Brasil, em 1500, por Pedro Álvares Cabral (1467-1520).

Considero oportuno, inspirado pela operosa Fé em prol do bem desta nação, sempre buscar renovadas energias no Pai Celeste. A prece – seja ela a devoção de um crente ou o ato do pensador, ao refletir sobre os mais elevados ideais – é uma ferramenta que deveríamos melhor utilizar. Assim encontramos, a partir do interior de nós mesmos, recursos indispensáveis para a solução dos mais complexos problemas que possam surgir.

Ao meditar sobre como colaborar para o legítimo auxílio a todas as famílias e comunidades, igualmente conquistamos a compreensão de que o Amor Fraterno é essencial à vida. Quando há verdadeiro Amor e íntegra Justiça, tudo dá certo. Um exemplo? Se, movidos pelo espírito de Caridade, levarmos um remédio a um enfermo, esse medicamento trará melhor resultado a quem está sendo socorrido. O Bem é o encanto da existência espiritual e humana. E Deus quer o nosso benefício, não segundo a estultícia terrena; entretanto, de acordo com a Sua Sabedoria Excelsa. Por isso, pregamos o imperativo urgente da União das Duas Humanidades, preconizada por Alziro Zarur (1914-1979) e que aqui defendemos: a da Terra com a do Céu, de forma consciente. (…)

Nunca estamos abandonados. Anjos da Guarda continuamente permanecem ao nosso lado. É o galardão com que o Governo Espiritual Invisível felicita os seres terrenos, porquanto concretiza a profecia apocalíptica da junção das dimensões que, apesar de separadas em aparência, estarão claramente unidas com o baixar ao orbe terrestre da Jerusalém Celestial (Apocalipse, 21:2).

Quem não precisa de preces? Que país não necessita urgentemente de orações? Então, vamos falar com Deus.

Ó Jesus, Mestre Amado, nosso Senhor, nossa Rocha, nossa Força, nosso Escudo, nossa Salvação, Tu trazes a fórmula perfeita para premiar as Almas com a felicidade perpétua, nascida da Fé Realizante, geradora das Boas Obras, as quais Tu apregoas por meio do Teu Mandamento Novo, de Amor Divinal (Evangelho, consoante João, 13:34 e 35; 15:7, 8, 10 a 17 e 9).

E, no Livro das Profecias Finais, encontramos a confirmação encorajadora da Tua Volta Triunfante, que a muitos surpreenderá, como Tu mesmo advertiste, no Evangelho, segundo Lucas, 17:24: “Assim como o relâmpago, num repente, fulgura de uma à outra extremidade do Céu, da mesma forma será a volta do Filho de Deus”.

Isso ocorrerá, conforme as advertências que, pelos milênios, mandaste ao mundo: “Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente venho sem demora. Amém! Ora vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse, 22:20).

Ó Senhor, clareia o nosso Espírito, fortalece o nosso íntimo, conforta o nosso coração, para que persistamos até aquele dia esplendoroso do Teu Magnífico Retorno.

E agora, Celeste Provedor das nossas mais justas súplicas, Tu, que és o Amor que nunca morre, acolhe o pedido que neste instante vamos fazer-Te. O meu é este: protege o Brasil e o mundo! Atende-o, Mestre dos mestres, na exata razão do nosso merecimento, porque Tu mesmo ensinaste que cada um é merecedor do prêmio ou da reprimenda mediante as próprias realizações.

Graças, Senhor! Dá-nos a Divina Paz, que prometeste àqueles que vivem o Teu Novo Mandamento: “Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus, que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie, porque Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo!” (Evangelho, segundo João, 14:27 e 1, e Mateus, 28:20).

“Glória a Deus nas Alturas, Paz na Terra aos Homens [às Mulheres, aos Jovens, às Crianças e às Almas Benditas, os Espíritos Luminosos] da Boa Vontade de Deus!” (Evangelho, segundo Lucas, 2:14).

Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho. (…)

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

12abr/18

Projeto Resgatando a infância é desenvolvido na LBV

A Legião da Boa Vontade (LBV), em Ipatinga, promoveu de fevereiro a abril, na Oficina de Cidadania Ecumênica, desenvolvida no programa Criança: Futuro no Presente!, o projeto “Resgatando a infância!”.

A iniciativa mostrou à garotada a importância do resgate de brincadeiras e brinquedos, bem como o entendimento do conceito de infância, além de introduzir noções das fases do desenvolvimento humano, envelhecimento e passagem do tempo.

No decorrer do projeto, meninas e meninos realizaram diversas pesquisas, leituras, brincadeiras, roda de conversa com idosos, construção de painel, assistiram a filmes, tudo isso com o objetivo de refletir sobre os tipos de infância através dos tempos, criando momentos de interação e construção de respeito.

Quanto às pesquisas, as crianças foram orientadas a conversar com os pais, tios, avós e demais pessoas do convívio, sobre as brincadeiras e brinquedos de quando eram crianças. Depois, em uma roda de conversas todos compartilharam o que descobriram e se divertiram bastante na quadra conforme o relato de suas pesquisas. “O que eu mais gostei foi de brincar das brincadeiras da infância da nossa mãe e avós. Eles não tinham televisão e, na rua, brincavam de pique bandeira, queimada, pique cola, pique pega, pau na lata e outros”, disse Layane Lima, 14 anos.

No encerramento do projeto, as crianças e adolescentes receberam para um bate-papo, na LBV, a visita de alguns idosos da Ação Evangélica de Amparo dos Necessitados, que atende idosos em situação de longa permanência. Eles trocaram experiências falando como foi infância deles e as crianças contaram como é a infância hoje.

Lauane dos Santos, 10, muito atenta, guardou detalhes: “Gostei muito! Aprendi com eles que a vida passa rápido, que temos de aproveitar a nossa infância porque quando ficarmos velhos vamos sentir saudades. Alguns deles não brincaram muito porque tinham que trabalhar desde pequeno para ajudar os pais. Outros não podiam comprar brinquedos, então eles mesmos faziam seus brinquedos usando pano, sabugo de milho, penas de galinha, palhas, sementes, cascas de frutas, faziam brinquedos com tudo que achavam na roça e brincavam, se divertiam muito!”

“Durante a visita, pude observar o carinho imenso e respeito demonstrados pelas crianças da LBV às nossas internas, em contrapartida a alegria das idosas em compartilhar suas lembranças da infância. Elas interagiram, gostaram muito, disseram que querem voltar. Eu achei ótimo, amei tudo! Fomos bem recebidos por todos, o trabalho de vocês é lindo, parabéns por esta iniciativa!”, ressaltou a cuidadora de idosos da Ação Evangélica de Amparo dos Necessitados, Eva Ferreira.

A Legião da Boa Vontade sempre desenvolve projetos que ampliam a visão dos atendidos quanto aos valores imprescindíveis à vivência da Cidadania Ecumênica. “O projeto visa despertar as crianças e adolescentes para viverem com plenitude essa fase da vida, porque vivemos numa época em que estão perdendo momentos de diálogo, de fazer amigos, tudo está se tornando muito individual. Levando-os a conhecerem como era a infância dos seus pais, mostramos que existem várias maneiras saudáveis e divertidas de se viver e ter uma infância feliz”, destacou a educadora social da LBV Patrícia Costa.

Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

09abr/18

A Política mais inteligente

Paiva Netto
No livro É Urgente Reeducar! (2010), escrevi:

O Ecumenismo da Fraternidade será a razão de ser das criaturas humanas no transcurso do terceiro milênio. É uma questão de progresso (e de sobrevivência), no qual, de certa forma, acreditou boa parte de gerações e gerações que nos antecederam. Se assim não cressem e não agissem, onde estaríamos hoje? Talvez na era da pedra lascada!…

O Amor não é degradação de corpos nem de mentes, e sim a Força de Deus, da Sabedoria Suprema em nós, ou lá como pensem os Irmãos ateus acerca dos assuntos mais elevados. Amar é um ato de coragem. Foi o exemplo que nos ofereceu Jesus. É a Política mais inteligente que um indivíduo pode conceber. Ela contempla ainda o correto entendimento do axioma de Confúcio (551-479 a.C.): “Paga-se a Bondade com a Bondade, e o mal com a Justiça”, ou seja, é imperioso ter bom senso.

Conforme ressaltei ao meu velho amigo jornalista Paulo Rappoccio Parisi (1921-2016), em 1981, instruir com acerto é boa Política, porque educar e espiritualizar redime as criaturas, as nações, a Natureza, o planeta. Não podemos progredir destruindo o mundo, a nossa casa coletiva, por efeito de ignorância não apenas intelectual, como também, e principalmente, moral e espiritual.

Trata-se de Política excelente, a providência de educar, reeducar, instruir, espiritualizar no caminho da Paz, resultante da confraternidade das numerosas culturas que compõem a civilização que, em si mesma, é una, planetária. (E não esqueçamos jamais que a nossa existência não é unicamente física, porquanto começa no Alto, antes de sermos carne.) Do contrário, o que poderá vir a abater-se sobre a Terra será o doloroso inverso do Amor, a exemplo desse ecocídio que provocamos por aí. Pois, na verdade, já que fazemos indissociável parte do esquema planetário de sobrevivência, estamos então cuidando, com contumácia, de nossa automatança coletiva.

Talvez, ao descrever “A Grande Tribulação” (Evangelho, segundo Mateus, 24:3 a 28; Marcos, 13:3 a 23; e Lucas, 21:7 a 24), Jesus esteja narrando a consequência desse esforço humano colérico. Diante disso, é flagrantemente necessário espiritualizar, dentro do Ecumenismo dos Corações, as pessoas. Somente assim, e com perseverança, os diversos segmentos da sociedade passarão a viver em harmonia, demore o tempo que for preciso até que isso venha a ocorrer. Cabe aqui, perfeitamente, este raciocínio profundo de Abraão Lincoln (1809-1865), que se encontrava exposto no gabinete de Alziro Zarur (1914-1979), na antiga Rádio Mundial, no Rio de Janeiro/RJ, Brasil, naquele tempo, de 1956 a 1966, a Emissora da Boa Vontade: “O homem que se decide a parar até que as coisas melhorem verificará, mais tarde, que aquele que não parou e colaborou com o tempo estará tão adiante que jamais poderá ser alcançado”.

Costumo afirmar em minhas palestras que, se é difícil, comecemos já, ontem!, porque resta muito a ser feito.

E quando digo seres espiritualizados, quero reiterar: revestidos do Amor Fraterno, que a Humanidade precisa viver, também politicamente, com urgência. Como escreveu José Bonifácio (1763-1838), o patriarca da Independência brasileira: “A sã Política é filha da Moral e da Razão”.

Assim é a ação religiosa e política do Ecumenismo dos Corações, aquele que levanta o caído; que não se precipita ante as ilusões das contendas filosóficas, quando estas ocorrem apenas pelo prazer de discutir assuntos, sem levar em conta o que padece à beira do caminho. Ele não se influencia pelas lucubrações do intelecto quando arrogante. Pelo contrário. Ilumina-o incansavelmente toda vez que é convocado a manifestar sua qualidade excelsa. Desconhece os ódios, isto é, não os vive nem os dissemina. É Amor Fraterno, que promove a Estratégia da Sobrevivência, que espiritualiza a Economia e a disciplina. (…) É o Ecumenismo Irrestrito.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

03abr/18

Autismo e desafios da inclusão

Paiva Netto

Para ampliar a conscientização de todos, alguns temas devem estar sempre em pauta. Um deles é o autismo, que atinge mais de dois milhões de brasileiros e representa 70 milhões de pessoas no mundo, cerca de 1% da população mundial, conforme dados da Organização das Nações Unidas (ONU).

O diagnóstico precoce pode fazer enorme diferença no desenvolvimento do indivíduo. Este, ainda que seja portador de limitação física ou psíquica, possui a extraordinária capacidade para se adaptar e alcançar importantes objetivos de vida. O mundo está repleto de exemplos. O que falta às vezes é o devido investimento no Capital de Deus, ou seja, na própria criatura humana.

Sintomas e cuidados
Alguns autistas apresentam determinadas habilidades que superam as da média da população. “Eles têm bastante facilidade para números, decorar, resolver expressões matemáticas e para várias questões diferenciadas da vida. Mas não conseguem dar funcionalidade a isso”, explica a assistente social Simone Bruschi.

Um ponto que prejudica o acompanhamento especializado do autista é, num primeiro momento, a negação do problema, situação frequente no seio familiar. Simone, integrante da Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social (Abads), em entrevista ao programa Sociedade Solidária, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), comenta: “Quando falamos do autismo, abordamos algo que não se pode identificar por exame de sangue, eletroencefalograma, tomografia. E o diagnóstico é muito difícil de ser aceito pela família. Existe a avaliação clínica — que é muito rica —, porém, os familiares sempre questionam: ‘Ah, não. Acho que pode ser algo diferente’”.

Nesses casos, de acordo com Simone, devem-se buscar outros profissionais, inclusive para que também eles se envolvam na vida dessa família, dessa criança ou desse adolescente.

É fundamental procurar um especialista ao perceber na criança qualquer indício constante de preferir ficar sozinha, de apatia diante dos brinquedos, de não reclamar por ser deixada no berço, em vez do colo dos pais. “Existem famílias que só começam a levar para o tratamento na idade escolar, quando o professor sinaliza: ‘Olha, o seu filho precisa de auxílio’. Quanto mais cedo o diagnóstico, maiores as possibilidades de tratamento.”

Simone ressalta que “algumas pessoas com autismo podem apresentar uma deficiência intelectual, mas não é necessariamente uma regra”.

E aí entra um desafio, o de inserir no mercado de trabalho portadores de deficiência intelectual. “É mais fácil — não sei se posso usar essa expressão — contratar um jovem com deficiência física, por conta das acessibilidades existentes, do que alguém com deficiência intelectual, para o que não temos ainda a tecnologia assistiva. Por isso, é um desafio para o consultor de emprego apoiado. Ele tem de ir à empresa e provar que a pessoa com transtorno é capaz. É necessário um trabalho de sensibilização tanto com os empregados e colaboradores quanto com os empregadores e a família”.

É preciso ampliar as condições para a inclusão social dos portadores de qualquer deficiência, seja física, seja intelectual.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

27mar/18

Morte e Ressurreição

Paiva Netto

Pelos milênios, a celebração da Semana Santa demonstra-nos o inigualável suplício vivenciado por Jesus, o Cristo Ecumênico, o Celeste Estadista, na Sua dedicação extremada em prol da Humanidade, como no drama do Getsêmani. Sendo Espírito sem mácula, o Ungido de Deus voluntariamente carregou nossos erros sobre Seus ombros, a fim de nos livrar da ignorância que origina a Dor.

Pouco antes de ser preso pelos beleguins do poder da época, de conformidade com a narrativa de Lucas (22:39 a 46), o Divino Crucificado reitera para todos nós:

Jesus no Getsêmani
“E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os Seus discípulos O seguiram. E, quando Jesus chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação! E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, afasta de mim este cálice; todavia, não se faça a minha vontade, mas a Tua.

“Então, Lhe apareceu um Anjo do Céu, que O confortava. E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o Seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.

“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos e os achou como que dormindo de tristeza. E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação”.

Jesus, o Senhor do Apocalipse, o Pão que desceu do Céu, doa a Sua própria vida
De que modo o ser humano pode manter-se acordado dignamente, perante Jesus e a Sua Política Eterna, a ponto de compreender o significado divino da Dor, que fez com que Deus O abençoasse com Poder e Autoridade? Alimentando-se do Pão que desceu do Céu, porquanto, antes da definitiva reforma social, necessário se faz realizar a do Espírito, mas com Amor, Fraternidade, Solidariedade e Generosidade. Afinal, as palavras e os exemplos do Sublime Ser, que derramou Seu sangue para o nosso resgate, constituem esse alimento eterno, consoante lemos nas Escrituras:

I — “Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém comer desse Pão, viverá eternamente” (Evangelho de Jesus, segundo João, 6:51); e

II — “(…) pelo Seu sangue [Jesus] nos libertou dos nossos pecados” (Apocalipse, 1:5).

Não há Política sem Amor Solidário
Como?! É o seguinte: dizer que Jesus nos libertou dos nossos pecados significa asseverar também que o Divino Mestre nos deixou um roteiro doutrinário excelente para nossa vitória. Ao seguirmos esse Sagrado Estatuto com verdadeiro espírito de Caridade e de Justiça, nos transformaremos no esteio de nossos semelhantes na Terra. Porquanto não há pecado maior do que a ausência de Amor solidário para com os cidadãos (ou cidadãs) de cada país.

E nós ressuscitamos com Ele
Prossigamos, pois, aprendendo com Jesus que, superando os dramas do Getsêmani e do Gólgota, ressuscitou dentre os mortos para conforto e esclarecimento dos corações terrenos. E repetiremos, então, o que bradamos em 1997, no Rio de Janeiro/RJ, no dia 31 de dezembro, na passagem do ano-novo: Jesus ressuscitou, e nós, com Ele. Graças a Deus!

A morte é apenas a abertura de novas experiências de vida. Todavia, que ninguém considere o violento ato do suicídio e suas trágicas consequências como uma escolha libertadora. Tudo, até a morte, tem leis disciplinantes.

Esses e outros modestos comentários fazem parte de meu livro Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade (2014), que, para meu gáudio, tem comovido muitos corações.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

23mar/18

Liderança nova

Paiva Netto

Há quinze anos, ao acompanhar pela Super Rede Boa Vontade de Rádio, a partir da AM 1.210 kHz, o programa Soldadinhos de Deus, da LBV (apresentado por crianças da Legião da Boa Vontade e dirigido ao universo infantil), senti-me motivado a entrar ao vivo na programação e propor aos meninos e meninas da LBV um desafio: a criação de um fórum para que essa novíssima geração pudesse discutir e apontar soluções para os principais problemas que preocupam os pequeninos. É velha a minha assertiva de que quem pensa que criança é boba é que é bobo.

Compartilho aqui alguns trechos desse meu improviso naquele memorável 22 de março de 2003:

Quero fazer-lhes uma proposta. É algo que considero importante. O que vemos hoje em toda parte? Uma tremenda ganância, e vocês são a primeira vítima. É aquilo que afirmei em 2 de março de 1996, ao inaugurar na cidade do Rio de Janeiro/RJ o Centro Educacional da LBV, e que foi destacado pela revista IstoÉ: A criança geralmente apenas devolve aquilo que a sociedade lhe proporciona. Se a sociedade lhe oferecer lixo, em geral ela vai devolver-lhe lixo, mas, se der Amor — que significa Fraternidade, Solidariedade, Generosidade, Compaixão —, vai ser mais bonita de Espírito e de rosto. Portanto, a minha preocupação, como disse numa palestra em Brasília/DF, no lançamento da Operação Jesus, em 25 de março de 1995, é a de abrir caminhos para uma liderança nova. As Instituições da Boa Vontade (IBVs) têm de se apresentar ao mundo com a sua face decisiva de realizações. Jesus espera isso de cada um de nós. Ele revelou: “Vós sois deuses. Eu voltarei ao Pai, vós ficareis aqui na Terra, portanto, podereis fazer muito mais do que Eu” (Evangelho, segundo João, 10:34 e 14:12). Milagre não é só salvar a pessoa que sofre de uma doença incurável no corpo. Principalmente, é fazer sarar os Espíritos, mostrar a eles a iluminação que possuem. Vocês têm merecimento diante do Pai Celestial, ó novíssima geração!

É necessário estabelecer uma ambiência em que as pessoas, de forma decidida mas educada, digam o que pensam; com o que querem contribuir a fim de transformar o mundo para melhor. E vocês, crianças, têm esse carisma: de fazer com que todos se sintam à vontade. Quero uma agenda de vocês.

Convidaremos psicólogos, educadores, profissionais compromissados com a educação e que têm algo a acrescentar ao desenvolvimento saudável das crianças. O pensamento delas é uma reflexão que nos dá perspectiva de um mundo melhor. Vocês possuem força diante de Deus. Vão ter a oportunidade de manifestar-se (…), porque precisam aprender a se defender (com Amor e inteligência, alicerçados na Espiritualidade Ecumênica).

Vamos fazer um grande fórum? Naquele momento todas as crianças responderam com vigor: Vamos!

Daí surgiu, no mesmo ano, o Fórum Internacional dos Soldadinhos de Deus, da LBV.

“Guardião do Amor Fraterno eu sou. Unir os corações eu vou” é o tema de sua 16a edição, que ocorrerá no dia 24/3 (sábado), em diversas cidades do Brasil e do exterior.

Promovido pela Legião da Boa Vontade, o evento, que inaugura uma série de atividades e reflexões sobre o tema proposto, será protagonizado pelos próprios Soldadinhos de Deus, como são carinhosamente chamadas as crianças na LBV.

A programação inclui rodas de conversa, debates, dinâmicas, jogos, apresentações teatrais, coreográficas e musicais, painéis temáticos e mostras culturais.

As atividades do fórum terão prosseguimento até março de 2019, nos Centros Comunitários de Assistência Social e nas escolas da LBV, assim como nas Aulas de Moral Ecumênica que ocorrem nas Igrejas Ecumênicas da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Entidade parceira na realização do encontro.

Participe. Informações pelo portal www.boavontade.com

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

22mar/18

LBV celebra Dia Mundial da Água com passeio em nascente

Nesta quinta-feira, 22, comemora-se o Dia Mundial da Água. Para comemorar a data, instituída, em 1992, pelas Nações Unidas, a Legião da Boa Vontade (LBV) intensificou o seu trabalho de educação ambiental e promoveu nessa terça-feira, 20, para as meninas e os meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente!, um passeio ao Parque Samambaia, reserva ambiental de 131,7 mil metros quadrados que possui lago, nascente e uma mata nativa remanescente da Mata Atlântica, localizada no bairro Bom Jardim, em Ipatinga.

A iniciativa contou com o apoio da ASAS – Associação Ambientalista Samambaia que desde 2015 desenvolve ações voltadas para questões ambientais. O técnico em meio ambiente e diretor administrativo da associação, senhor Antônio Mendes e o responsável pela comunicação, senhor Vilton Silva, através de um bate-papo com as crianças e adolescentes, falaram sobre os conceitos atuais da água no Planeta, o que devemos fazer para a preservação, a economia desse bem tão precioso e o trabalho que realizam para recuperação das nascentes.

“Através de um trabalho realizado com o Ministério Público e Instituto Interagir, conseguimos a informação de que são em torno de quinhentas nascentes, nas áreas urbana e rural de Ipatinga. No bairro Bom Jardim, onde realizamos um trabalho de educação socioambiental, identificamos e catalogamos quatorze nascentes, todas perenes e com grande evasão de águas. Parabenizo a LBV pelo trabalho de tamanha importância que é conscientizar aqueles que serão o futuro do nosso planeta, são crianças e adolescentes que desde já se apropriam da situação que estamos vivendo de escassez hídrica e se preocupam realmente na preservação do ambiente”, disse o técnico em meio ambiente e diretor administrativo da ASAS, sr. Antônio Mendes.

“O que eu mais gostei no passeio foi conhecer as pedras de onde escorre a água que formou aquela lagoa linda! O lugar é muito fresco e com ar puro, muito gostoso. Aprendi que se não fosse o trabalho que fizeram de recuperar as nascentes, não existiria aquela lagoa e com certeza a água da nascente já teria secado, por isso o trabalho de recuperação das nascentes é ótimo! A energia acaba, ficamos no escuro, sem água não sobreviveremos, então precisamos urgente ajudar de alguma forma para não deixar que a água do planeta acabe. Eu posso ajudar não desperdiçando água, plantando arvores e outras coisas, todos nós podemos ajudar. Se não tiver agua, o planeta morre”, disse a atendida, Raiele Santos Neves, de 11 anos.

No final deste passeio especial, as crianças e adolescentes plantaram no parque uma muda de icsória, planta ornamental, contribuindo assim, não só com a recuperação da nascente, como também tornando o local ainda mais belo. “Aprendi que se cada um fizer um pouquinho, ajudaremos a preservar a água para não acabar. Hoje plantamos uma muda no parque, então estamos ajudando também a cuidar dessa nascente. A água é muito importante para o mundo, temos que parar de desperdiçar água, não demorando no banho, não deixar torneira aberta muito tempo, não poluindo os rios, é cuidar para a água não acabar”, disse a atendida, Camila Aparecida Guimarães, de 11 anos.

A Legião da Boa Vontade, desde os seus primórdios, promove ações socioambientais como essa. Em suas Unidades de atendimento, promove ao longo do ano, palestras, passeios, oficinas lúdicas e atividades práticas sobre a importância de preservar o Meio Ambiente. “Os projetos da LBV abordam com as crianças e adolescentes a responsabilidade de todos diante do desafio de economizar água, as diversas formas de evitar o desperdício, bem como a importância de ajudar os pais na economia da família. Sabemos que infelizmente a cada ano a água se torna mais escassa, é responsabilidade de cada um de nós cuidar para que esta realidade mude”, destacou a gestora social da Entidade no município, Rariane Oliveira.
Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

19mar/18

Gestores da água

Paiva Netto

Em 22 de março, celebramos o Dia Mundial da Água. Vale lembrar que Brasília sedia, em 2018, entre os dias 18 e 23 de março, o 8o Fórum Mundial da Água, espaço para um bom diálogo, cujo exercício básico é a democracia, que é o regime da responsabilidade. Portanto, devemos dar a devida atenção às resoluções propostas por esse evento para a agenda internacional.

Discutir sobre o líquido sustentador da vida e se o utilizamos de modo sensato é na atualidade uma pauta indispensável. O Brasil, de forma geral, pode se considerar privilegiado, como declarou o dr. Paulo Lopes Varella Neto, ex-diretor de Gestão da Agência Nacional de Águas (ANA). Ele explica: “Nós somos o país que mais dispõe de água doce no mundo, e 12% dela é gerada em território nacional. Mas, se considerarmos a água que vem de outros países e que por aqui passa e, portanto, está disponível para uso, dispomos de aproximadamente 18% da água doce na Terra”. Contudo, a questão é conseguir administrar bem essa fartura, a fim de atender às necessidades de todos. Apesar de abundante em certas regiões, ela é escassa em outras. Um ponto igualmente relevante é o cuidado que devemos ter para não degradar os recursos hídricos.

Integrador geográfico e geopolítico
O dr. Paulo Varella, que é hidrogeólogo, trouxe-nos um exemplo interessante: “Como a água carrega no seu sabor, na sua cor, no seu cheiro a memória dos territórios por onde passa, ela é um integrador geográfico. E, como também não respeita limites de Estados, nem mesmo de países, ela é um integrador geopolítico. De maneira que vi, há pouco tempo, ao visitar uma determinada instalação nos Estados Unidos, uma frase que me chamou a atenção e agradou: ‘No mundo da água estamos todos ajudantes’. O que quer dizer o seguinte: temos responsabilidades de que a água que passa por nós, a que usamos, afetará a outros que estão mais abaixo. E a água que estamos usando certamente já passou por alguém que estava águas mais acima”.

Falando ao Portal Boa Vontade, comentou: “O esforço que a Agência Nacional de Águas faz, que o governo faz, que os comitês de bacias fazem, tem como motor a posição individual de cada um de nós. Os maiores gestores de água do planeta somos nós. Se cada um tomar consciência disso, tudo pode mudar. Temos que passar de observadores para atores dentro desse processo. E é na forma como se vai colocar o lixo, como vai tomar o banho, lavar o carro, e assim por diante, que a gente pode realmente dar uma contribuição (…)”.

Ao informar-nos do reconhecimento alcançado pelo nosso país no mundo por seu modelo de gestão da água, não deixou de expor também os imensos desafios que enfrentamos, por exemplo, com grandes cheias na Amazônia; secas históricas em São Paulo, Rio, que se repetem e que, há décadas, afetam o nordeste do Brasil, no semiárido. Diz ele: “Apesar de toda a riqueza que possuímos, realmente a gente tem que se preocupar em encarar a questão do gerenciamento desse recurso”.

Valendo-se do Dia Mundial da Água, o entrevistado desejou ainda ressaltar: “Que entendamos a água como um grande vetor de progresso, e os usos múltiplos são absolutamente cruciais para que possamos ter um desenvolvimento sustentável. E termino dizendo da importância que acredito seja o papel de cada um de nós enquanto — vamos chamar — minigestores, mas num conjunto de grandes gestores dessa água”.

Agradeço ao dr. Paulo Lopes Varella suas esclarecedoras palavras. Aliás, com satisfação, soube que é um frequentador do Templo da Boa Vontade e possui destacada Fé na Espiritualidade Maior.

Agradecimento
Minha saudação ao dr. Arnaldo Rocha, do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), órgão do Ministério da Defesa. Com estas palavras se manifestou: “Agradeço a atenção prestimosa da qual sempre fui objeto por parte dos meus irmãos e amigos da Legião da Boa Vontade. Abaixo, a nossa singela contribuição, ratificando as preocupações do líder da LBV”. E nos prestigiou com um poema dedicado ao meu artigo “Água e Escassez”, no qual escrevi que água é vida e poluí-la é crime de lesa-humanidade:

“(…) ‘É preciso haver uma conscientização/ Por parte de todos, sobre essa questão:/ A falta desse precioso líquido, na verdade,/ Poderá decretar a morte da coletividade.

“‘Se administrarmos esse recurso vital,/ Não se transformará em fator de guerra,/ Pois sem a água potável é impossível/ Qualquer tipo de existência na Terra’.

“Abracemos em conjunto essa causa,/ Dando a nossa contribuição pessoal,/ Preservando e economizando sabiamente/ Esse mais valioso bem natural”.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

08mar/18

A intrepidez feminina

Paiva Netto

Há exemplos de extraordinárias mulheres em todos os cantos do mundo, desde as mais destacadas às mais simples, a começar pela mais singela das mães. Uma delas é “a doceira de Goiás”, no vasto interior do Brasil. Trata-se da exímia poetisa Cora Coralina (1889-1985). Aos 75 anos de idade, apenas contando com instrução primária, publicou seu primeiro livro.
Disse a saudosa Cora:

— Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.

É o talento do povo bem instruído e espiritualizado que transforma miséria em riqueza! A fortuna de um país situa-se, antes de tudo, no coração solidário e na consciência esclarecida de sua gente — valorizando a mulher e dignificando o homem. Neles se encontra a capacidade criadora. É assim em todas as nações.

Benjamin Franklin (1706-1790) há muito se levantara para esclarecer:

— A verdadeira sabedoria consiste em promover o bem-estar da Humanidade.


Serviço — Tesouros da Alma (Paiva Netto), 304 páginas. À venda nas principais livrarias e nas bancas de jornal.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

05mar/18

Dia Mundial do Rim

Dia Mundial do Rim
Paiva Netto

Em todo mês de março, mundialmente é comemorado o Dia do Rim. A iniciativa tem como prioridade a prevenção da Doença Renal Crônica (DRC), fornecendo informações sobre a importância do diagnóstico precoce e quanto aos cuidados com os fatores de risco, entre eles a hipertensão arterial, o diabetes mellitus, a obesidade, o tabagismo e a presença de histórico familiar de doença renal.

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), em 2015, mais de 1,5 milhão de pessoas estiveram em terapia renal substitutiva (Diálise Peritoneal, Hemodiálise ou Transplante Renal), sendo 100 mil só no Brasil.

O dr. Daniel Rinaldi dos Santos, ex-presidente da SBN, ressaltou que, “através de exames extremamente simples, você consegue detectar precocemente se é portador de alguma alteração renal e tomar medidas preventivas para evitar a evolução da doença”. Portanto, não deixemos para amanhã providências que podem impedir graves problemas.

Em 2014, ao comentar a campanha de conscientização da SBN realizada naquele ano, mas que continua com o seu recado sempre atual, o conhecido nefrologista afirmou: “Uma das coisas que a equipe da Sociedade Internacional [de Nefrologia] está preconizando é que se comemore o Dia Mundial do Rim, bebendo um copo d’água! Uma forma de lembrar que a água faz bem para o rim. Todo mundo brindar com um copo d’água!”

Para outras informações, acesse os sites www.sbn.org.br e www.boavontade.com.

Saúde espiritual e material
Os rins devem ser muito bem tratados. Do seu bom funcionamento depende a saúde geral do organismo. Ao filtrar o sangue, tirando-lhe as impurezas, torna-se um parceiro indispensável do coração que, por sua vez, faz o fluido vital circular pelo corpo.

Não é por acaso que esses dois órgãos estão destacadamente mencionados nas Escrituras Sagradas. No Apocalipse de Jesus, 2:23, temos a famosa passagem em que o Médico Celeste declara: “Todas as igrejas conhecerão que Eu sou aquele que sonda rins e corações. E retribuirei a cada um segundo as suas obras”. Ele conhece bem o nosso íntimo e os processos com que nos intoxicamos e desintoxicamos, porque os rins (como de certo modo o fígado) são os filtros do corpo. Espiritualmente falando, ocorre o mesmo.

É possível observar que o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, nos avalia de acordo com o que produzimos, de bom ou de mau, resultante de nossas emoções (coração) e pensamentos (rins). Contudo, fica subentendido ainda que a qualidade da saúde será um reflexo do tratamento dado a essa admirável engenharia fisiológica (corpo humano) que serve ao Espírito de instrumento para evolução na Terra.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

22fev/18

Jesus, a medicina preventiva

Paiva Netto

Alguns pensam que só nos devemos lembrar do Amigo Celeste quando enfrentamos o sofrimento. Todavia, Jesus é a medicina preventiva de que as nações necessitam. Daí O considerarmos a Religião da Vida, neste e no Outro Lado da existência. Afinal de contas, Ele superou a Dor, tão presente no mundo. Do infortúnio, do qual tantos retiram derrota, sob a inspiração de Deus construiu a Sua Autoridade e estabeleceu o Seu Poder diante dos olhos materiais, visto que, reiteramos, já os possuía antes mesmo da criação do planeta. “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e nada do que se fez foi feito sem Ele: Cristo Jesus. A vida estava Nele, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, mas as trevas não prevaleceram contra ela” Jesus (João, 1:1 a 5).

Portanto, em vez de invocar Aquele que é UM com o Pai Celestial apenas na hora do perigo ou da agonia, não é melhor debruçarmo-nos sobre o que Ele pregou e viver em consonância com os Seus libertários — espiritualmente falando — preceitos? Busquemos respostas no irreprochável Mentor Divino, uma vez que O aceitamos como padrão ecumênico, isto é, universal. Ele disse: “Passará o Céu, passará a Terra, mas as minhas palavras não passarão” (Evangelho, consoante Lucas, 21:33).

Será isso brincadeira?! É evidente que não!

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

20fev/18

Pais e filhos contra a droga

Paiva Netto

Meu artigo de hoje visa colaborar na prevenção contra o crack, terrível droga que lamentavelmente se alastra pelo país. De acordo com a pesquisa de 2012, divulgada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), o consumo do crack disseminou-se por todas as classes sociais.

Pari passu com as políticas públicas e os cuidados médicos aos usuários em sua luta contra a dependência química, não se pode deixar de lado a devida valorização da família — a atenção dos pais e responsáveis com as companhias de seus filhos e a imprescindível presença da Espiritualidade Ecumênica no diálogo entre pais e filhos.

Nos idos de 1980, apresentei, na Super Rede Boa Vontade de Comunicação, “Carta de um filho para o pai”, publicada em O Imparcial, de Monte Alto/SP. Nela, um jovem de 19 anos, usuário de entorpecentes, escreve um bilhete de adeus ao seu pai. Diante da comoção dos ouvintes, providenciei que o texto fosse impresso em diferentes idiomas.

É indispensável o esclarecimento dos familiares. Nas passeatas e panfletagens, em conferências, na rádio e na TV, os orientamos a prestar maior atenção ao cotidiano dos filhos, suas amizades, dúvidas, ambientes que frequentam.

Tóxicos: “Carta de um filho para o pai”
“Acho que neste mundo ninguém procurou descrever seu próprio cemitério. Não sei como meu pai vai receber este relato, mas preciso de todas as forças enquanto é tempo. Sinto muito, meu pai, acho que este diálogo é o último que tenho com o senhor. Sinto muito, mesmo… Sabe, pai, está em tempo de o senhor saber a verdade de que nunca desconfiou. Vou ser breve e claro, bastante objetivo.

“O tóxico me matou. Travei conhecimento com meu assassino aos 15 anos de idade. É horrível, não, pai? Sabe como conheci essa desgraça? Por meio de um cidadão elegantemente vestido, bem elegante mesmo, e bem-falante, que me apresentou ao meu futuro assassino: a droga.

“Eu tentei recusar, tentei mesmo, mas o cidadão mexeu com o meu brio, dizendo que eu não era homem. Não é preciso dizer mais nada, não é, pai? Ingressei no mundo do vício.

“No começo foi o devaneio; depois as torturas, a escuridão. Não fazia nada sem que o tóxico estivesse presente. Em seguida, veio a falta de ar, o medo, as alucinações. E logo após a euforia do pico, novamente eu me sentia mais gente do que as outras pessoas, e o tóxico, meu amigo inseparável, sorria, sorria.

“Sabe, meu pai, a gente, quando começa, acha tudo ridículo e muito engraçado. Até Deus eu achava cômico. Hoje, no leito de um hospital, reconheço que Deus é mais importante que tudo no mundo. E que sem a Sua ajuda eu não estaria escrevendo esta carta. Pai, eu só estou com 19 anos e sei que não tenho a menor chance de viver. É muito tarde para mim. Mas, ao senhor, meu pai, tenho um último pedido a fazer: mostre esta carta a todos os jovens que o senhor conhece. Diga-lhes que em cada porta de escola, em cada cursinho de faculdade, em qualquer lugar, há sempre um homem elegantemente vestido e bem-falante que irá mostrar-lhes o futuro assassino e destruidor de suas vidas e que os levará à loucura e à morte, como aconteceu comigo. Por favor, faça isso, meu pai, antes que seja tarde demais para eles.

“Perdoe-me, pai… já sofri demais, perdoe-me também por fazê-lo padecer pelas minhas loucuras.

“Adeus, meu pai.”

Algum tempo após escrever essa carta, o jovem morreu.

Cuidar bem da juventude
Eis por que fraternalmente advertimos: Cuidemos bem de nossa juventude, como o faz a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, porque a nenhum de nós interessa ter amanhã uma pátria de drogados, bêbados e frustrados. Queremos, isto sim, uma geração, uma civilização de homens e mulheres, jovens e crianças honrados, realizadores no Bem, amantes da Paz, da Verdade e da Justiça. É por isso que a Religião Divina trabalha incessantemente. Se o mundo quiser evoluir, precisa, antes de tudo, preparar a geração que surge, com o que tiver de melhor, e confiar mais nela. Já é tempo.
A propensão dos jovens é acreditar e batalhar pelo futuro. Graças a Deus! Ainda bem!

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

19fev/18

LBV presenteia crianças e adolescentes com material escolar

Aconteceu nesta sexta-feira, 16, a entrega dos kits de material pedagógico da campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro, para centenas de crianças e adolescentes que participam do programa Criança: Futuro no Presente!, no Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade (LBV), em Ipatinga/MG.
A ajuda serve de motivação para a continuidade dos estudos, além de representar um importante apoio aos pais e/ou responsáveis que não têm recursos para adquirir o material escolar. Os kits são compostos de acordo com a faixa etária dos atendidos e contém itens, a exemplo de: estojo, lápis preto e de cor, canetas, apontador, borrachas, tesoura, tubos de cola, cadernos, mochila, régua, entre outros.
Para celebrar, a Instituição reuniu, voluntários, parceiros, atendidos e colaboradores. “Investir na educação das crianças é começar em casa com a família, porque a escola, os projetos vão enriquecer o que eles trazem de casa. Educação é partilhar o que for de bom para o crescimento da criança tornando-a um adulto feliz, realizado e de bem. E a LBV tem esta preocupação, esse cuidado, tanto na aprendizagem quanto no relacionamento para uma boa convivência. Ao presenciar a entrega do material escolar eu percebi a alegria das crianças e das famílias porque colabora na questão financeira, favorece muito as famílias”, ressaltou a diretora adjunta da Escola Municipal Nelcina Rosa de Jesus, Maria das Dores Lopes.
“Foi um prazer enorme participar da entrega de material pedagógico na LBV, ver a alegria das crianças e das famílias é muito bom. Ressalto a importância da LBV na garantia dos direitos como educação. A LBV tem contribuído nesse aspecto da garantia ao acesso à educação”, destacou a psicóloga e coordenadora do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS, Jany Mara Bartolomeu.
Conheça um pouco da história da senhora Marlene Maria da Silva, mãe de Railander Júnior e avó de Ana Carolina atendidos pela LBV. “Desde que meu filho veio para a LBV nossa vida mudou para melhor porque ele não precisa ficar na rua e nem em casa, sozinho. Na época eu catava reciclagem, então à tarde, ou eu deixava ele sozinho ou levava comigo. E ele sujava muito as roupas podia pegar até alguma doença. A LBV veio nesse momento pra gente. Meu menino aprendeu muito! Aprendeu ser educado, a ter respeito, a agradecer a Deus. Ele come de tudo porque na LBV tem uma alimentação saudável, tudo temperadinho, na hora certa, ele chega em casa muito satisfeito e eu mais ainda porque as vezes você tem só um arroz e feijão e aqui ele tem de tudo: carinho, alimentação e educação, ele desenvolveu na disciplina e nas atividades da escola”
Sobre sua gratidão pelo recebimento do material escolar, Marlene Maria disse: “Estou desempregada no momento, então me ajudará muito, esse kit é um presente, ele veio em boa hora porque material está muito caro e em casa são três que estudam então para manter na escola é difícil. As pessoas têm que vir conhecer o trabalho para ver que a LBV é importante na vida da gente e na vida dos filhos da gente”.
Ao receberem o kit pedagógico, os atendidos ficaram muito felizes, elogiando a beleza, a qualidade e tudo que recebem: “Material de qualidade e muito bonito! Além disso, ajuda minha mãe que não vai precisar comprar tanta coisa gastando dinheiro. Eu gosto de tudo aqui na LBV: a oficina do saber, de arte, a comida é muito gostosa, todo dia eu almoço aqui é muito bom. Eu gostaria de fazer engenharia civil, uma faculdade federal ou estadual porque no futuro eu me imagino um adulto realizado e a base para ser o adulto que eu quero está aqui na LBV e na escola onde eu estudo”, Pedro Henrique Gonçalves Paula, 13 anos.
Ana Carolina Rodrigues da Silva, de 11 anos, disse que leva os estudos a sério e o que quer ser quando crescer: “Aqui na LBV eu aprendi muitas coisas, principalmente a fazer amigos e conviver com os outros. Estou levando os estudos a sério porque eu quero ser advogada, vou estudar muito. Aqui eles me ajudam na educação, me tratam bem eu aprendo muitas coisas boas assim vai me ajudar a ser uma aluna boa e um adulto bom”.
A Legião da Boa Vontade acredita que a educação iluminada por valores espirituais, éticos e ecumênicos transforma o ser humano para melhor, por isso, há mais de 68 anos, ela atua ao lado das populações em situação de vulnerabilidade social. “Sabemos que grande parte das famílias brasileiras, têm bastante dificuldade de adquirir os materiais escolares dos seus filhos, devido ao baixo poder aquisitivo. A LBV auxilia essas famílias com kit de materiais pedagógicos de ótima qualidade que incentivam a permanência na escola e o prazer em estudar, evitando situação de risco e isolamento, além de elevar a auto estima”, destacou a gestora social da LBV, Rariane Oliveira.
Em Ipatinga, a instituição desenvolve o programa Criança: Futuro no Presente!, onde atendemos crianças e adolescentes e suas famílias, oferecendo um serviço de convivência e fortalecimento de vínculos. E, a partir de março, iremos implementar o programa Vida Plena para pessoas a partir de 50 anos. Endereço do Centro Comunitário de Assistência Social da LBV: Rua João Patrício de Araújo, 225, Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822 – 8600 ou acesse o site www.lbv.org.

14fev/18

Transformar dor em vitória

Paiva Netto

Não duvidemos de nossa capacidade, como seres espirituais e humanos, de alcançar o hoje considerado insuperável. Temos muito mais aptidão para sobrepujar problemas, por maiores que os julguemos, segundo avalia o médico, psicólogo, filósofo e escritor norte-americano William James (1842-1910): “A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente num círculo muito restrito do seu potencial. Faz uso de uma parte muito pequena da sua possível consciência e dos recursos da sua alma em geral, assim como um homem… que se habitua a usar e a mover somente o seu dedo mínimo. Grandes emergências e crises nos mostram como os nossos recursos vitais são muito maiores do que supúnhamos”.

Se as dificuldades são maiores, superiores serão os nossos talentos para suplantá-las. Se desse modo não fosse, onde estaríamos hoje caso os que nos antecederam, pelos séculos, se acovardassem? A pior tragédia é desistir por causa das adversidades do mundo. É falhar, portanto, com aqueles que confiam em nós. Os que vieram antes — com o combustível da Fé — sublimaram dor em vitória.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

06fev/18

Câncer de Mama

Paiva Netto

O Dia Mundial Contra o Câncer e o Dia Nacional da Mamografia (respectivamente em 4 e 5 de fevereiro) chamam-nos a atenção sobre um mal que acomete cada vez mais pessoas.

Segundo informa o Instituto Nacional de Câncer (Inca), quase 60 mil novos casos de câncer de mama deverão ser diagnosticados no país a cada ano. E ainda ressalta que este é o “tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença”.

Conforme ressalta o Inca, “o exame clínico da mama deve ser feito uma vez por ano pelas mulheres entre 40 e 49 anos. E a mamografia deve ser realizada a cada dois anos por mulheres entre 50 e 69 anos, ou segundo recomendação médica”. E mais: “Embora a hereditariedade seja responsável por apenas 10% do total de casos, mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente se uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmãs) foram acometidas antes dos 50 anos, apresentam maior risco de desenvolver a doença. Esse grupo deve ser acompanhado por um médico a partir dos 35 anos (…)”.

Quando detectado nos estágios iniciais, as chances de cura são de aproximadamente 95%. Contudo, aponta Ricardo Caponero, presidente do Conselho Técnico-Científico da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), “ainda falta conscientização das mulheres para a importância da realização periódica da mamografia. (…) Apenas 30% das mulheres fazem o exame”. Desde 2009, o procedimento tem cobertura gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), direito assegurado pela Lei nº 11.664/2008. Em prol de sua saúde, as mulheres não podem abrir mão desse benefício.

Prevenção
Para melhor conhecimento de todos sobre o assunto, vale consultar o site do Inca (www.inca.gov.br). Vejam, por exemplo, algumas dicas de prevenção: “Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor”.

Não prescindamos igualmente de recorrer ao Amparo Celeste, que tem em Jesus, o Divino Médico, o abundante manancial da saúde almejada por todos.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

27dez/17

Ano-Novo e ação humana

Paiva Netto

Com a proximidade de um novo ano, repete-se o salutar costume dos votos de esperança por tempos mais felizes. Na palestra que proferi em 20 de dezembro de 2008, transmitida pela Boa Vontade TV, pela Super RBV de rádio e internet (www.boavontade.com), procurei analisar esse anseio de renovação, fundamentando minhas palavras nos versículos iniciais do capítulo 21 do Apocalipse de Jesus, segundo São João, e nos derradeiros do capítulo 22.
Visei com a mensagem demonstrar que o Livro das Profecias Finais apenas relata as consequências dos feitos humanos. Em nossa intimidade, escrevemos as páginas do nosso destino. Logo, quanto mais espiritualizado o povo, educado e instruído, melhor o rumo das nações. Como sempre ressalto: Ano-novo! Ano-bom? Depende de nós!

21:1 – “E vi novo céu e nova terra, porque o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar não mais existe”.

A profecia de Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, anuncia profunda transformação batendo às portas. E se é “um novo céu e uma nova terra”, vislumbra-se Humanidade renovada! Contudo, aquilo que o Amor não consegue concretizar a Mestra Dor comparece e apresenta a lição.

21:2 – “Eu, João, vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que da parte de Deus descia do céu, vestida como noiva adornada para o seu esposo”.

Jerusalém é um grande símbolo religioso, político e social no mundo, principalmente para judeus, cristãos e islâmicos, de várias etnias. Todos filhos de um mesmo Pai, pois assim devemos ver-nos, para, aliados, auxiliar na prevenção de tanto assunto que pode ser diplomaticamente afastado ou resolvido, até mesmo com antecedência.

A Esperança não morre nunca
Notem que João Evangelista narra Jerusalém descendo do Céu. Por que esse e não outro burgo? Vamos por partes: Ele era judeu. A ideia que tinha de cidade maior, para o seu coração crente, era Jerusalém. Também conhecia Roma. Entretanto, dificilmente diria: “Desce do céu a nova Roma”. Esta era metrópole culta, cosmopolita, porém altamente bélica. Cartago que o diga. Jerusalém possuía algumas dessas características. Não obstante, o seu povo acreditava num Deus único, assim como o Evangelista-Profeta.
Jerusalém é um encanto místico. Comove o coração da gente. Mas tem sido pelos milênios pretexto para tristes acontecimentos. Todavia, a Esperança não morre nunca, raciocínio que concebi, há muitas décadas, ao ver, na televisão, um moço lamentar haver perdido a fé no futuro. Alguns, até com motivo envinagrados, retrucam: “Eu não creio nessa coisa de Esperança”. Então, o que propõem? O desânimo? O desprezo da criatura por si própria e por seus pares? Tem de haver Esperança! E, acima de tudo, vontade de realizar. Do contrário, o que lhes resta? Deitar e morrer? A Alma carece de bom estímulo. (…) Como dizer aos jovens que não alimentem a Esperança? Se o idealismo não sobreviver, que lhes sobrará? Um campo aberto para o esmorecimento. Todos percebem que, num mundo globalizado, o mal que acontece lá (qualquer lá) poderá nos abranger. Vejam a questão da economia, em 2008, de que poucos suspeitavam. Inacreditável, não é? (…) Outrossim, necessário se faz algo além do presente estágio do conhecimento terrestre: ligarmo-nos ao governo ideal que começa no Céu. Trata-se de tema que, um dia, a cautelosa Ciência abordará sem preconceitos. A intuição é a inteligência de Deus em nós. Muita vez, o que a razão demora a captar ela mais rápido alcança.
Que no novo ano busquemos na Espiritualidade Superior a bússola de nossa existência. E que haja Esperança, sim, e trabalho, de modo que ergamos para os moços condições de usufruírem um mundo mais digno, sem nunca esquecer os mais vividos, idade a que a maioria, com o avanço da medicina, certamente atingirá.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

21dez/17

A grande família Humanidade

Paiva Netto

Embora a realidade contemporânea ofereça-nos panorama de violência doméstica; de número cada vez maior de jovens envolvendo-se com drogas; da própria descoberta da sexualidade, pelas crianças, pulando etapas importantes na sua formação psicológica; na contramão desses tristes fatos, pesquisas também relatam que até mesmo “os mais modernos”, na hora em que a porca torce o rabo, vão procurar apoio na casa da mamãe ou da vovó…
Respeito a opinião dos que apontam como certa a falência da família. Todavia, questiono o raciocínio de afirmarem que o seu valor, no fortalecimento da sociedade, chegou ao fim. Ora, ela não existe sem a família. E nenhuma transformação na Terra tem sido pacífica.
No 9o Congresso da Mocidade Legionária da LBV, 1984, declarei que — num mundo constantemente ameaçado pela selvageria, convém lembrar que, pela queda das barreiras de espaço e tempo, quanto mais anunciam seu fim, a família cresce e passa a chamar-se Humanidade. Não estamos, no século da bomba de hidrogênio, a coberto de coisa alguma, mesmo que aconteça aos antípodas… Num período de profundas mutações, todos precisam de auxílio. O “bloco do eu sozinho” deixará de ter vez, apesar da globalização e das muitas análises contraditórias feitas sobre ela. Não são apenas os videntes de fim de ano que erram… Os analistas dos fatos sociais, políticos e econômicos também. A carência crescente de bom senso no mundo forçará o ser humano, por intensa necessidade, a recompor a família, família universal, a Humanidade, ainda que tendo algumas ovelhas transviadas.…

E a família? Sobrevive!
A família está acabando? Não. Está evoluindo, como é natural. E dentro de toda a confusão desta passagem de milênio, por mais incrível que pareça aos apressados, ela está, embora aos trancos e barrancos, à procura de Algo, que um dia descobrirá ser Deus — com um nome ou nome algum —, que é Amor, sem o qual o indivíduo não pode subsistir dignamente, porquanto, querendo ou não, faz parte Dele. Anotou Paulo Apóstolo, na Segunda Epístola aos Coríntios, 6:16: “Vós sois o Templo do Deus vivo”.

Sem traulitada no crânio
E continuei: Nada sobrevive sem Amor. Um dia, chegaremos a essa feliz compreensão. A mudança dos costumes é um procedimento mais antigo do que muita gente pensa… Está causando espécie, porque a sua rapidez aumentou bastante e a mídia aí está em plena ação. Vejam bem como o processo é remoto: quando um primata qualquer resolveu não mais usar traulitada no crânio para seduzir a sua escolhida, certamente alguns daquele tempo temeram “tamanho absurdo”: “Isto é um perigo, onde é que está o respeito? Dessa maneira a família está fadada ao mais triste fim”.
E não foi nada disso… O que ocorria era efeito da evolução. Afinal, mulher não é caça. A família só acabaria caso não houvesse Amor. E este não termina jamais, visto que está para o Espírito como o oxigênio para o corpo.

A consideração de Fernanda
Gosto de citar o exemplo da grande atriz Fernanda Montenegro, quando, num programa de TV, perguntaram-lhe: “Você acha que o teatro está acabando?” Com finura respondeu: “O teatro é como a família; desde pequena ouço falar que ela vai acabar, e ela continua aí”.
Certíssima, a querida Fernanda: a família evolui, porém não morrerá nunca. O Amor, se autêntico, sempre vence! Pode demorar, mas triunfa, mesmo porque temos várias existências que se vão complementando até a nossa integração total em Deus, que é — como com insistência repetimos — justamente Amor (Primeira Epístola de João, 4:8). Numa época de tanta azedia, é vital que mais se acredite nele. Em períodos de intensas reformas, geralmente se peca pelo exagero. Aí então é que o Amor se torna imprescindível. Quando há seca, suplicamos chuva.
Ora, a violência alcançou planos absurdos. Contudo, virá a época de equilíbrio. Todo excesso cansa, enfara e é lançado fora. Quanto mais se estende um elástico, mais ele volta sob o impacto da esticada que se lhe deu. E pode atingir a face de quem o puxou com ímpeto. É conclusão da Física. A Terceira Lei de Newton, plenamente em vigor.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

19dez/17

Atendidos pela LBV terminam o ano com festividades

Durante o ano todo a Legião da Boa Vontade (LBV) realiza diversas ações visando sempre à melhoria da qualidade de vida dos atendidos, bem como da comunidade em que vivem. 2017 foi mais um ano de trabalho solidário intenso e com bons resultados.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em Ipatinga, a LBV encerrou neste mês de dezembro suas atividades socioeducativas deste ano, em clima festivo. Todas as crianças e adolescentes que participam do programa Criança: Futuro no Presente!, tiveram uma linda festa com presentes escolhidos por eles e apadrinhados por pessoas solidárias. Dando pulos de alegria e bradando alto, o pequeno Paulo Toso, 9 anos, disse: “Finalmente realizei meu desejo, ganhei os presentes que eu sempre quis. Este é o dia mais feliz da minha vidaaaa!”
Pedro Henrique, de 13 anos, ressalta o aprendizado alcançado durante o ano: “Aprendi muitas coisas legais aqui na LBV: a cuidar do meio ambiente, não desperdiçar agua, ser uma pessoa boa, ajudar quem precisa e muitas outras coisas. Nos passeios que fizemos, conhecemos lugares que eu tinha muita vontade de ver que é onde ficam os cavalos e cachorros da polícia. Eu gosto muito de ficar aqui! Neste ano foi ainda mais legal porque ganhei, de uma pessoa que eu não conheço, o presente de Natal que eu queria muito. Estou muito, mas muito feliz!”

Crianças, adolescentes e suas famílias participaram também de uma confraternização e receberam cestas de alimentos arrecadados por meio da campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, que visa proporcionar a essas famílias um Natal sem fome, digno e feliz. Parceiros, colaboradores, voluntários e imprensa local marcaram presença prestigiando o evento que foi abrilhantado pelas crianças e adolescentes entoando músicas natalinas, acompanhadas pelo músico Wellington Assunção emocionando a todos.
“A luta é muito grande. Se não fosse a LBV, que tem sempre me ajudado, eu estaria passando muito aperto porque às vezes falta o arroz ou outra coisa e sempre a LBV me socorre. Durante todo esse ano eu ganhei aqui alimentos, experiência e aprendizado. É muito gratificante ter meus filhos aqui, eles gostam das atividades que fazem, tem oficina de artes, ensina fazer o dever de casa, minha filha sempre fala que a comida é muito boa e bem-feita. Tudo isso eu ganho não só neste ano, mas desde que eu e meus filhos conhecemos a LBV. Esta cesta de alimentos vai encher meu armário que está vazio. Muito obrigada!”, afirmou a senhora Eliane Rodrigues Viana Afonso, mãe de Andressa Mayra , 14 anos e Jhean Karlos, 13 anos.

Com mais de 80 unidades no Brasil, a LBV chegou em Ipatinga no ano de 1963 com o seu trabalho socioassistencial, promovendo importantes transformações na vida de famílias em situação de vulnerabilidade. Por meio de oficinas lúdicas, recreativas, esportivas e educativas, promove conhecimento, troca de experiências e convívio social, contribuindo para a participação delas na sociedade. Além da preocupação com a qualidade de seus programas e projetos, a Entidade oferece aos atendidos um ambiente seguro e apoio de profissionais capacitados.

A assistente social da LBV, na cidade, Cristina Vasconcelos ressalta o perfil das famílias atendidas: “São famílias em vulnerabilidade social, referenciadas pelos CRAS, que se encontram desempregadas ou inseridas no mercado informal de trabalho, com a segurança alimentar comprometida e que vivem em área de risco. Ao longo do ano, a LBV desenvolveu diversas ações para contribuir para o protagonismo destas famílias com temas relevantes relacionados à cidadania e ao acesso a direitos. Além de eventos internos para fortalecer os vínculos afetivos e familiares e trabalhar a autoestima”.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

18dez/17

A força da Oração

Paiva Netto

Constantemente me chegam cartas, bilhetes, recados daqueles que enfrentam grandes padecimentos. São mães cujos filhos morreram, pais lutando para afastar seres queridos do vício, jovens à procura de um rumo certo, gente fragilizada por um mal incurável, velhinhos abandonados por quem lhes deveria proteger a existência. E igualmente há o problema da “solidão acompanhada”. Talvez seja um dos fatores pelos quais as pessoas hoje se exponham tanto, como a dizer, apesar de toda a proclamação de sucesso que se lhes fazem: “Ei, estou aqui! Também tenho coração!”
Uma senhora, a quem chamarei de Dona Rosalina, é uma dessas criaturas sofridas que anseiam, pelo menos, por uma palavra de conforto. Não vou entrar na particularidade do seu caso. Mas posso revelar uma pequena sugestão que lhe fiz e que, segundo me relata, lhe tem servido de apoio.
Vali-me de minha própria experiência. Nas horas de dificuldade, quando parece que não há saídas para certas questões, recorro à oração e ganho forças para o trabalho. E não me tenho arrependido, ao concordar com o lema do venerável São Bento (480-547): “Ora et labora” [Ora e trabalha].
Passei-lhe então uma prece que, pela primeira vez, ouvi do saudoso mineiro de Santos Dumont, Geraldo de Aquino (1912-1984). Espero que sirva a quem me honra com a atenção, se, na liça diária, estiver atravessando provações que, às vezes, não pode revelar ao maior amigo ou à mais sincera confidente. Ninguém, religioso ou ateu, se encontra livre disso.
Essa oração, desde o nome, invoca um sentido de que todos necessitamos: Charitas, palavra latina que significa Caridade. Esse divino sentimento aprimora o convívio dos que buscam ver no semelhante algo além de um saco de carne ou fonte inesgotável de exploração. A Caridade não é cativa da restritíssima acepção a que alguns a querem condenar. Trata-se da mais elevada política. Ilumina o Espírito do cidadão. Ela inflama a coragem da gente. Por que perder a Esperança? A primeira vítima do desespero é o desesperado. Mas vamos à oração. De autoria do Espírito Cáritas, ela foi psicografada na noite de Natal, 25 de dezembro de 1873, por Madame W. Krell, em Bordeaux (França), e publicada em Rayonnements de la Vie Spirituelle.

Prece de Cáritas
“Deus, nosso Pai,/ que sois todo o Poder e Bondade,/ dai forças àqueles/ que passam pela provação,/ dai luz àqueles que procuram a Verdade,/ ponde no coração do homem/ a compaixão e a Caridade./ Deus!/ Dai ao viajor a estrela-guia,/ ao aflito, a consolação,/ ao doente, o repouso./ Induzi o culpado ao arrependimento./ Dai ao Espírito a Verdade,/ à criança, o guia,/ ao órfão, o pai./ Senhor! Que a Vossa Bondade/ se estenda sobre tudo o que criastes./ Piedade, Senhor,/ para aqueles que não Vos conhecem,/ esperança para aqueles que sofrem./ Que a Vossa Bondade permita/ aos Espíritos consoladores/ derramarem por toda a parte a Paz, a Esperança, a Fé!/ Oh! Deus!/ Um raio, uma centelha do Vosso Amor/ pode iluminar a Terra,/ deixai-nos beber nas fontes/ dessa Bondade fecunda e infinita./ E todas as lágrimas secarão,/ todas as dores se acalmarão./ Um só coração, um só pensamento subirá até Vós,/ como um grito de reconhecimento e de Amor./ Como Moisés sobre a montanha,/ nós Vos esperamos com os braços abertos,/ Oh! Bondade,/ Oh! Beleza,/ Oh! Perfeição./ Nós queremos, de alguma sorte,/ merecer a Vossa misericórdia./ Deus!/ Dai-nos força,/ ajudai o nosso progresso/ a fim de subirmos até Vós;/ dai-nos a Caridade pura e a humildade;/ dai-nos a fé e a razão;/ dai-nos a simplicidade,/ Pai,/ que fará de nossas Almas/ o espelho onde se refletirá/ a Vossa Divina Imagem.”

Com a palavra, um Nobel de Medicina e Fisiologia
O dr. Alexis Carrel (1873-1944), Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia (1912), famoso autor de O homem, esse desconhecido, escreveu a respeito do assunto que alenta as Almas:
“A oração é (…) a forma de energia mais poderosa que o homem é capaz de gerar. Trata-se de uma força tão real como a gravidade terrestre. Na minha qualidade de médico, tenho visto enfermos que, depois de tentarem, sem resultado, os outros meios terapêuticos, conseguiram libertar-se da melancolia e da doença, pelo sereno esforço da Prece. É esta, pois, no mundo, a única força que parece capaz de superar as chamadas ‘leis da Natureza’. Há muitas pessoas que se limitam a ver na Prece (…) um refúgio para os tímidos, ou mero apelo infantil movido pelo desejo de coisas materiais. Concebê-la, entretanto, nesses termos, é menosprezá-la erroneamente. (…) ‘Ninguém jamais rezou’, disse Emerson (1803-1882), ‘sem que houvesse aprendido alguma coisa’. (…) O mais profundo manancial de energia e perfeição, que se acha ao nosso alcance, tem sido miseravelmente abandonado. (…) Se a força da Prece for posta em ação na vida de homens e mulheres; se o Espírito proclamar os seus desígnios claramente, invictamente, haverá então confiança de que não sejam em vão os nossos anseios por um mundo melhor”.
Vejam que não se trata da opinião de nenhum “místico delirante”, porém, de um respeitado homem de ciência. Todo aquele que sofre, da choupana ao palácio, com certeza já teve o ensejo de comprovar essa realidade.
Independência da dor só se consegue com o coração forte.
Não é mesmo, Dona Rosalina?

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

15dez/17

REFLEXÃO DE BOA VONTADE

Relatório da Unesco sobre a educação e a pobreza
Paiva Netto
Há décadas, temos defendido que no ensino reside a grande meta a ser atingida, já! Educação e Cultura com Espiritualidade Ecumênica para o povo, desde a infância — com a Pedagogia do Afeto e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico —, figuram entre as preocupações maiores da LBV, ao lado de sua aplaudida Promoção Humana e Social. Nesses quase 70 anos de atividade solidária, a Instituição tem transformado para melhor milhões de vidas a partir do intelecto instruído e, sobretudo, da sabedoria do coração. Como tive o ensejo de destacar ao notável ex-presidente e ex-primeiro-ministro de Portugal, dr. Mário Soares (1924-2017), enquanto não prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, qualquer nação padecerá cativa das limitações que a si mesma se impõe. Aliás, o fato se deu assim: em visita ao Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, em Brasília/DF, Brasil, em 1997, o saudoso estadista, ao ver estampado, numa das paredes do local, esse meu pensamento — “Enquanto não prevalecer o ensino eficaz por todos os de bom senso almejado, o Brasil padecerá cativo das limitações que a si mesmo se impõe” —, de forma entusiástica, que era sua característica, virou-se para mim e exclamou: — “Mas por que só o Brasil?! Isto é válido para o mundo inteiro!”, razão por que, aceitando a sugestão dele, estendi esses dizeres para quem deles quiser valer-se em qualquer país. Nesse mesmo dia, o dr. Mário Soares foi homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, na categoria Hors-Concours, cerimônia que também condecorou, na categoria Esporte, o Atleta do Século 20, Pelé.
A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) realizou importante pesquisa que monitorou, durante os anos de 1965 a 2010, a relação entre Educação e erradicação da pobreza. O recém-lançado estudo “Reduzindo a pobreza global através das educações primária e secundária” revela, na página 11: “Alcançar a conclusão do ensino primário e secundário na população adulta ajudaria a tirar mais de 420 milhões de pessoas da pobreza, assim reduzindo em mais da metade o número de pessoas pobres no mundo. Os efeitos seriam particularmente grandes na África Subsaariana e no sul da Ásia, onde uma redução da pobreza em quase dois terços é esperada”. Segundo informa a Unesco, “se as tendências atuais continuarem, dos 61 milhões de crianças em idade escolar atualmente fora da escola, 17 milhões nunca pisarão numa sala de aula”.
Esses dados são muito alarmantes e chamam todos à responsabilidade de não apenas combater efeitos, mas atuar nas causas, o que conduzirá a resultados mais sólidos e sustentáveis na luta contra a miséria, que vergonhosamente ainda campeia pelo orbe.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

04dez/17

Campanha da LBV arrecada doações de alimentos não perecíveis

Mobilização social por um Natal mais feliz a milhares de famílias

A Legião da Boa Vontade promove anualmente a Campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, com o objetivo de oferecer um Natal digno e feliz a milhares de famílias em situação de vulnerabilidade social.

Neste ano, a iniciativa visa arrecadar um milhão de quilos de alimentos não perecíveis a serem entregues, em cestas, no mês de dezembro, a 50 mil famílias atendidas pelos programas socioeducacionais da LBV e as apoiadas por organizações parceiras da Instituição em todo o país.

Cada cesta é composta de itens de acordo com os costumes de cada região tais como: arroz, feijão, óleo, açúcar, leite, café, macarrão, farinha de mandioca e de trigo, fubá, goiabada, massa para bolo, extrato de tomate, gelatina entre outros. As doações para a campanha podem ser feitas pelo site www.lbv.org, pelo telefone 0800 055 50 99 ou em uma das unidades de atendimento da LBV no Brasil (confira o endereço mais próximo acessando www.lbv.org/enderecos).

Natal Permanente da LBV
Movida pelo ideal de Fraternidade Ecumênica que a sustenta, sentimento inspirado nos ensinamentos e exemplos de Jesus, a Legião da Boa Vontade trabalha, desde seus primórdios, para melhorar a qualidade de vida das populações menos favorecidas. Desde a década de 1940, realiza uma campanha diária e ininterrupta contra a fome e a pobreza, instituindo seu Natal Permanente. A partir daí, além do amparo imediato e da constante atuação nos campos da assistência social e da educação, que vêm mudando o destino de milhares de pessoas no Brasil, a LBV tem tradicionalmente mobilizado a população a fim de proporcionar um Natal melhor às famílias em situação de risco social.

27nov/17

Depressão infantil

Paiva Netto

Levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstra que, em todo o planeta, 20% das crianças e dos adolescentes apresentam sintomas de depressão, como irritabilidade ou apatia e desânimo. Os dados referentes ao Brasil sugerem que esse tipo de distúrbio se faz presente entre 8% e 12% da população infantojuvenil.
É um número preocupante. Saber lidar com essa problemática, que jamais esteve restrita a adultos e idosos, é providência urgente para pais e educadores.
O programa Educação em Debate, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), que discute os principais assuntos da educação pela ótica da Espiritualidade Ecumênica, entrevistou o dr. Gustavo Lima, psiquiatra da Infância e da Adolescência, que nos aponta algumas causas da depressão nas fases iniciais da vida e como notá-las: “Primeira coisa — uma investigação clínica pormenorizada. Segunda coisa — é muito importante lembrar que os transtornos afetivos na infância e na adolescência são de causa multifatorial, ou seja, diversos fatores podem causar a depressão: genéticos, ambientais, entre outros. Entretanto, na nossa prática clínica, o que aumenta muito a chance de uma criança ficar deprimida são os ambientes familiar e escolar desfavoráveis”.

Diferença comportamental
O que dificulta, de certa maneira, pais e educadores perceberem que o filho ou o educando está deprimido é o comportamento dessa patologia entre as faixas etárias: “Diferentemente dos adultos, as crianças não ficam deprimidas o tempo inteiro. Às vezes, os pais deixam de levar o filho para uma avaliação porque em algum momento do dia ele se divertiu. E isso não significa que não esteja deprimido”, esclareceu o especialista.
E alertou ainda: “É preciso, também, muito cuidado com os sintomas de ideação de morte, quando vêm à mente ideias suicidas. Quando você está diante de uma criança deprimida com esses sintomas, é muito importante uma avaliação médica e um tratamento com psicólogo. Em alguns casos, dependendo da gravidade, recorrer a tratamento farmacológico”.

Prevenção
Para o dr. Gustavo Lima — que é membro do Programa de Atendimento a Transtornos Afetivos do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP —, existem algumas atitudes que podem ajudar a prevenir a depressão nas crianças: “Além de um acompanhamento pediátrico, cuidar das horas de sono e da alimentação, um ambiente familiar estruturado é fundamental. Outra coisa importante é uma escola que favoreça o desenvolvimento da criança, que consiga identificar as reais potencialidades dela. Então, saúde, bem-estar, ambientes familiar e escolar favoráveis, prestar atenção também em questões genéticas contribuem, e muito, para se prevenir a depressão infantil”.
Atentemos, pois, às elucidativas recomendações do dr. Gustavo Lima. E não descuidemos de proporcionar aos pequenos e aos jovens um espaço sadio, enriquecido por uma Espiritualidade Ecumênica orientada pelos melhores princípios éticos. Desde cedo, devemos ter consciência de que a prece, a meditação, a confiança em Deus ou nas forças da Natureza são eficientes recursos ao equilíbrio bio-psíquico-espiritual.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

21nov/17

Violência patrimonial

Paiva Netto

Escolhi apresentar a vocês hoje o retrato da violência patrimonial, que provoca lastimável sofrimento, mormente a mulheres e crianças.
A advogada Cíntia de Almeida, fundadora e diretora-executiva do Centro de Integração da Mulher, em Sorocaba/SP, trouxe-nos valiosas informações sobre o assunto:
“A violência patrimonial envolve aquela mulher que deseja colocar as suas potencialidades a serviço do trabalho para contribuir com a família, mas seu companheiro, seu marido, a impede. Ele destrói os seus documentos pessoais, a sua carteira de trabalho. É também quando as divergências se instalam na vida da família. Ao optar pela separação, a mulher faz a denúncia competente. Então, o companheiro destrói os seus bens, os bens que ambos adquiriram conjuntamente. Ou quando ele a coloca para fora do lar: ‘A casa é minha. Os filhos são seus. Então, eu fico com a casa’”.
Segundo a dra. Cíntia, “essa outra forma de violência patrimonial depois na Justiça se esclarece, mas há uma demora grande. A Justiça está assoberbada, e existem numerosos casos. Até que se resolva tudo, muitas vezes, a mulher é obrigada a sair com os filhos dessa situação constrangedora e violenta para buscar um abrigo, uma casa onde possa falar que é sua por um tempo predeterminado, intermediário, e onde vai ter toda a assistência possível. Mas não é a casa dela. Então, é um constrangimento que ela vive. Essa é uma violência patrimonial, além de psicológica, em que ela vê os sonhos destruídos, e uma violência moral, em que se vê impossibilitada de reação. O companheiro que ela ama a destrói como pessoa e destrói a sua vontade de viver, de ser feliz e de transformar os filhos dessa união em pessoas saudáveis para a sociedade. Ela fica muito vulnerável, muito exposta”.

O agressor
Atenção agora a esta consideração de nossa entrevistada: “Geralmente, o agressor é alguém que conhece a mulher em todas as situações e como reage; sabe de todos os detalhes do seu dia a dia e conhece o seu cheiro, os seus sonhos”.
Grato, dra. Cíntia, pelas elucidações levadas ao ar no programa Sociedade Solidária, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196). William Shakespeare (1564-1616) dizia que “aos infelizes o melhor remédio é a esperança”. Contudo, é dever de todos nós e dos poderes constituídos tornar realidade o socorro às vítimas da violência em seus vários aspectos. Mais que isso, chegar antes, não permitindo que ocorram.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

17nov/17

Exposição: “Arte de fazer brinquedos e brincadeiras”

No próximo dia 20 de novembro, às 9 horas, terá início no Espaço Cultural da Inter TV dos Vales, localizado na Rua Eucaliptos, 220 _ Bairro Horto, em Ipatinga/MG, a exposição “Arte de fazer brinquedos e brincadeiras”.

Todo o material foi produzido pelas crianças e adolescentes atendidos pela Legião da Boa Vontade (LBV) nesta cidade, durante diversas Oficinas sobre este tema desenvolvido durante o ano no Programa Criança: Futuro no Presente! A exposição ficará aberta ao público para visitação de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h, de 20 de novembro a 8 de dezembro.

As atividades da Oficina conscientizaram os atendidos de que é possível produzir os Brinquedos e Brincadeiras, se divertir e aprender com eles, além de contribuir com o meio ambiente, diminuindo a poluição. Neste contexto, a Instituição procura fazer valer também o direito de Brincar, para a garotada atendida.
Sobre o Criança: Futuro no Presente!
Desde 30 de julho de 1963, nesta cidade mineira, a LBV desenvolve o programa Criança: Futuro no Presente! que contribui para o protagonismo de crianças e adolescentes de 6 a 15 anos, considerando a história de vida e as singularidades deles, por meio de atividades que despertem competências e habilidades, promovam a vivência de valores e fortaleçam os vínculos familiares. São oficinas lúdicas, recreativas, esportivas e educativas que promove conhecimento, troca de experiências e convívio social, contribuindo para a participação deles na sociedade.

Além da preocupação com a qualidade de seus programas e projetos, a Entidade oferece aos atendidos um ambiente seguro e apoio de profissionais capacitados, proporcionado assistência e orientação fundamentais para a melhoria da qualidade de vida das crianças, bem como às suas famílias.
Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: (31) 3822 – 8600.

10nov/17

Brasil — vocação para o progresso

Paiva Netto

Nas comemorações dos 128 anos da Proclamação da República, reflitamos sobre o papel do Brasil no contexto mundial, que é também o de iluminar as consciências com sua cultura imanente de fraternidade. No ensaio Sociologia do Universo, comento a respeito de como vem se formando nossa História, cuja vocação trilha o caminho do êxito:
Não se edifica uma pátria sem generosidade de Alma e espírito pragmático. Demanda tempo, pois este ainda não é um mundo de seres pacificados. Neste planeta de tantos desafios, é trabalhoso, mas possível. Apesar de os povos estarem se tornando cada vez mais impacientes. Gamal Abdel Nasser (1918-1970), que nacionalizou o canal de Suez, com o inesperado apoio dos Estados Unidos, no governo de Dwight D. Eisenhower (1890-1969), e deu início, com financiamento da ex-União Soviética, à construção da grande represa de Assuã, carpido pelas lutas para erguer um Egito moderno, concluiu: “Construir fábricas é fácil, levantar hospitais e escolas é possível, mas erigir uma nação de homens é tarefa longa e árdua”.
Urge fazer-se entendido pelo coração das criaturas. Quem vai ao cerne da criança chega ao jovem. Quem ensina a mocidade pacifica a Alma do adulto. E quem tem este último espiritualizado levanta uma nação. É pelo exemplo que se constrói. Já dizia Napoleão Bonaparte (1769-1821) que “as palavras indicam o caminho, mas os exemplos arrastam”. O Corso continua repleto de razão. (…)

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

07nov/17

Segurança no trânsito é tema de projeto na LBV

Com o objetivo de despertar crianças e adolescentes para a conscientização a respeito das leis de trânsito, tornando-os cidadãos conscientes e críticos, a LBV desenvolveu, em seu Centro Comunitário de Assistência Social, o projeto “Segurança no Trânsito”, coordenado pela educadora Débora Gonzaga.
Neste projeto, as meninas e os meninos aprenderam informações básicas sobre formas, cores e significado das placas mais utilizadas no trânsito; do semáforo; da faixa de pedestres e demais componentes das vias públicas; bem como, atitudes solidárias no trânsito, referentes à segurança do pedestre e do próprio passageiro. Roda de conversa, pesquisas, vídeos, dramatização, palestra, confecção de desenhos, cartazes e jogos usando materiais recicláveis, foram algumas das atividades realizadas durante o projeto.
“Eu costumo respeitar os sinais de trânsito porque se eu não respeitar eu posso ser atropelado”, destacou o atendido Raylander da Silva, de 10 anos. Isabelle Cristine, 15 anos, citou ainda mais detalhes de seu aprendizado: “As orientações que recebi sobre o trânsito foram muito legais! Muitas coisas eu já sabia, aprendi principalmente que devemos respeitar as regras do trânsito, ser educado e solidário no trânsito porque assim evitamos muitos acidentes”.
O projeto contou também com o apoio do Instituto Raquel Barreto. Pedro Henrique, de 10 anos, também fez questão de se expressar sobre esta iniciativa: “Durante o projeto achei tudo importante! Mas, o que mais gostei foi da palestra com o psicólogo Charles Barreto que veio aqui na LBV porque ele explicou tudo direitinho e fez muitas brincadeiras sobre o trânsito, foi muito legal. ”
“Atualmente existem muitos veículos nas ruas, as crianças e adolescentes saem mais de casa e, na maioria das vezes, sem a companhia de um responsável por perto. No percurso que eles fazem até chegar à LBV, deparam com semáforos, faixa de pedestre, placas, os meios de transportes e um fluxo maior de pedestres nas avenidas de nossa cidade. Diante dessa realidade, faz-se necessário abordar com os nossos usuários conceitos de segurança no trânsito”, disse a educadora social Débora Gonzaga.
Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

06nov/17

Reflexão de Boa Vontade

Educação com Espiritualidade Ecumênica

Paiva Netto

A ausência de Solidariedade, de Fraternidade, de Generosidade tem suscitado grande defasagem entre progresso material e amadurecimento moral e espiritual. Daí o nosso fraterno alertamento: é hora de aplacar as paixões. Se, apenas como argumento, o Brasil não progredir, os maiores perdedores serão os brasileiros. Além do mais, é sempre hora de superar ressentimentos. Entretanto, não haverá Paz enquanto persistirem cruéis discriminações e desníveis sociais criminosos, provocados pela ganância, que, por meio de eficiente Educação com Espiritualidade Ecumênica, devemos combater. Se não optarmos por caminhos semelhantes, estaremos sentenciados à realidade denunciada pelo Gandhi (1869-1948): “A menos que as grandes nações abandonem seu desejo de exploração e o espírito de violência, do qual a guerra é a expressão natural e a bomba atômica, a consequência inevitável, não há esperança de paz no mundo”.

A solução está em Deus
Sempre um bom termo pode surgir quando os indivíduos nele lealmente se empenham. E isso tem feito com que a civilização, pelo menos o que andamos vendo por aí como tal, milagrosamente sobreviva aos seus piores tempos de loucura. A sabedoria do Talmud dá o seu recado prático: “A Paz é para o mundo o que o fermento é para a massa”.
Exato!
Há quem prefira referir-se ao espírito religioso, exaltando desvios patológicos ocorridos no transcorrer dos milênios. (De modo algum incluo nestes comentários os historiadores e analistas de bom senso.) Creio que essa conduta beligerante, que manchou de sangue a História, urge ser distanciada de nossos corações, por força de atos justos, porquanto maiores são as razões que nos devem confraternizar do que as que servem para acirrar rancores. O ódio é arma voltada contra o peito de quem odeia. Muito oportuna, então, esta advertência do pastor Martin Luther King Jr. (1929-1968), que não negou a própria vida aos ideais que defendeu: “Aprendemos a voar como os pássaros e a nadar como os peixes, mas não a arte de conviver como irmãos”.
De fato, o milagre que Deus espera dos seres espirituais e humanos é que aprendam a amar-se, para que não ensandeçam de vez, como na pesquisa para o uso bélico da antimatéria. O melhor altar para a veneração do Criador são Suas criaturas. Torna-se urgente que a Humanidade tenha humanidade.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

31out/17

O mundo nasceu com música

Paiva Netto

Refletindo sobre em que períodos a música se vem decisivamente manifestando pelas eras, podemos concluir que ela existe desde antes dos tempos. De fato, é instrumento dessa grande obra-prima do Pai Celestial, o Universo.
Ao lermos os capítulos iniciais do Gênesis Mosaico, sentimos a forte harmonia nascida do surgimento dos rios, das árvores, dos animais, da separação das terras, da expansão dos mares e da própria formação do nosso Espírito eterno.
A partir daí, é possível estabelecer diversos e significativos momentos em que a música se casa com a história das muitas civilizações e correntes de pensamento que dão vida à Terra. (…) A boa música é um elo inquebrantável que une a criatura ao Criador.
Diante disso, temos a noção exata de que o pulsar da Vida, o Bem, a Solidariedade, o Respeito e a Caridade são igualmente melodias, sons, ritmos que afinam nossos pensamentos, palavras e ações pelo diapasão da Justiça e do Amor.

Deus em cada criatura
Aproveito o ensejo para agradecer a correspondência que recebi da professora Adriane Schirmer, de São Paulo/SP, na qual comenta sobre minha modesta produção: “Gostaria de parabenizá-lo por suas melodias. Tocam profundamente nossa Alma e despertam em nós os melhores sentimentos. Valem por uma súplica, uma oração ao Pai Celestial. Quando as entoamos, sentimos, tal qual nos momentos de prece, o coração limpo. E, quando isso acontece, vemos Deus em cada criatura, em cada planta, em cada pôr do sol… Assim, de coração limpo e Alma ajoelhada, nos tornamos aptos a aprender a amar sem imposições, a amar com o Amor de Jesus”.

Música e medicina
Grato, leitora Adriane, inclusive por me ter encaminhado o belo texto de apresentação da obra O Médico, de Rubem Alves (1933-2014):
“Instrumentos musicais existem não por causa deles mesmos, mas pela música que podem produzir. Dentro de cada instrumento há uma infinidade de melodias adormecidas, à espera de que acordem do seu sono. Quando elas acordam e a música é ouvida, acontece a Beleza e, com a Beleza, a alegria. O corpo é um delicado instrumento musical. É preciso cuidar dele, para que ele produza música. Para isso, há uma infinidade de recursos médicos. E muitos são eficientes. Mas o corpo, esse instrumento estranho, não se cura só por aquilo que se faz medicamente com ele. Ele precisa beber a sua própria música. Música é remédio. Se a música do corpo for feia, ele ficará triste – poderá mesmo até parar de querer viver. Mas se a música for bela, ele sentirá alegria e quererá viver. Em outros tempos, os médicos e as enfermeiras sabiam disso. Cuidavam dos remédios e das intervenções físicas – bons para o corpo – mas tratavam de acender a chama misteriosa da alegria. Mas essa chama não se acende com poções químicas. Ela se acende magicamente. Precisa da voz, da escuta, do olhar, do toque, do sorriso. Médicos e enfermeiras: ao mesmo tempo técnicos e mágicos, a quem é dada a missão de consertar os instrumentos e despertar neles a vontade de viver…”
Fica aqui então minha homenagem aos bons músicos, bons criadores de instrumentos musicais e, é claro, aos bons médicos e enfermeiras.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

19out/17

O Armagedom à mesa

Paiva Netto

Aprendamos a respeitar a Vida, senão a deusa morte multiplicará o seu trabalho. Foi o que reafirmei em 1991, na Serra do Pilar, em Vila Nova de Gaia, Portugal, gravando o Programa Boa Vontade, para a Rede Bandeirantes de Televisão, do Brasil.
Muita gente pensa que o Armagedom (Apocalipse, 16:16) se refere apenas à possibilidade de uma guerra nuclear, química, bacteriológica, cibernética. Mas o desrespeito à criatura humana, que nem mesmo pode defender-se no útero materno, é um Armagedom. O crime organizado é um Armagedom. O analfabetismo espiritual e material é um Armagedom. A implosão da família é um Armagedom. O avanço tecnológico sem o espírito de solidariedade social é um Armagedom. O fanatismo religioso é um Armagedom. O materialismo desbragado é um Armagedom. A fome é um Armagedom. O Armagedom está à nossa mesa: os vegetais cheios de agrotóxicos, as carnes repletas de antibióticos e hormônios. O Armagedom reflete-se nas águas poluídas dos oceanos, lagos, rios e, mesmo, fontes. Os flagelados da seca padecem um Armagedom. Sair às ruas para o serviço, o estudo ou a diversão, sem a certeza de um retorno tranquilo ao lar, diante da violência e da insegurança que por toda parte hoje se manifestam, o que é isso senão um Armagedom? A falta de Amor nos corações é um Armagedom. As pessoas ficam esperando o Armagedom, e ele já está aí…

Alimentos contaminados
Por sinal, recebi da leitora Lucí Andréa, especializada em Comércio Exterior, alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS), cujo conteúdo vem ao encontro do que abordamos neste artigo. Dele, separamos estes significativos trechos: “Alimentos e bebidas contaminados estão ligados à morte de cerca de 2 milhões de pessoas por ano — incluindo muitas crianças. Os alimentos que contêm bactérias nocivas, vírus, parasitas ou substâncias químicas são responsáveis por mais de 200 doenças, que vão desde a diarreia até ao câncer. As novas ameaças à segurança alimentar surgem constantemente. Alterações na produção de alimentos, distribuição e consumo; alterações no ambiente; novos e emergentes patógenos; resistência antimicrobiana — todos esses fatores constituem enormes desafios aos sistemas nacionais de segurança alimentar. Sucessivos aumentos no turismo e no comércio exterior agravam a probabilidade de que a contaminação pode se espalhar internacionalmente”.

Respeito à Vida
Entretanto, todos os problemas têm solução quando os seres humanos realmente se dispõem a resolvê-los. É uma questão de respeito ao divino privilégio de existir. Por isso, aqui se encaixa como uma luva este pensamento de Henry Ford (1863-1947), que certa vez definiu a Boa Vontade como a maior força da Vida: “Os tempos de riqueza não nascem por acaso. Surgem como resultado de muito esforço e pertinácia”.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

06out/17

Saúde ocular

A falta de informação e de exames preventivos leva a maioria das pessoas a procurar auxílio apenas quando a doença se encontra em estágio avançado.

Paiva Netto

Ainda hoje, em pleno terceiro milênio, ouve-se nos consultórios médicos que a falta de informação e de exames preventivos leva a maioria das pessoas a procurar auxílio apenas quando a doença se encontra em estágio avançado.
Diante dessa realidade, vi-me no dever de utilizar este espaço para também trazer à população esclarecimentos de especialistas das mais variadas áreas de saúde.
Assisti, no programa Viver é Melhor, na Boa Vontade TV (Oi TV — canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — canal 196), ao valioso bate-papo da jornalista Angélica Beck com o dr. Jorge Mitre, oftalmologista e diretor do Hospital de Olhos de São Paulo.
Destaco, a seguir, alguns trechos dessa entrevista:

Boa Vontade TV: “A questão da saúde dos olhos é algo que as pessoas costumam deixar para cuidar só quando algo incomoda mais seriamente?”.
Dr. Mitre: “Só vamos tratar de nossa saúde quando já estamos com algum problema. Isso é um erro grave. O olho é o órgão que mais fornece, por toda a vida, informações para o ser humano. A criança, por exemplo, não sabe dizer se está enxergando bem ou não. Portanto, quando começar a frequentar a escola, necessitará fazer uma avaliação dos olhos. Talvez ela tenha uma vista boa e a outra ruim e a mãe não saiba. E se tiver doenças prévias na família? Daí a criança já terá de ser monitorada para se avaliar se ela está com boa visão”.

Boa Vontade TV: “A partir de que idade a criança deve ser examinada?”
Dr. Mitre: “Aos 4 ou 5 anos já é uma boa idade, é óbvio, se ela não apresentar nenhum distúrbio antes disso. Por exemplo, um estrabismo, um olho com a pupila branca ou alteração que a mãe ou o pai notem, deve-se procurar imediatamente um oftalmologista”.

Boa Vontade TV: “Um bebê pode desenvolver já nos primeiros meses de vida uma patologia?”
Dr. Mitre: “Algumas doenças são próprias da infância. Por exemplo, o globo ocular vai se formar totalmente por volta do sexto mês de vida intrauterina. Uma criança que nasça com 6 meses tem grande possibilidade de tê-las extremamente graves na retina, porque o sistema vascular do olho não foi totalmente completado. Então, ao sair do útero materno, a colocamos numa incubadora sob alta concentração de oxigênio. A retina sente esse oxigênio muito alto e pode descolar. Com isso, a criança corre o risco de perder a visão. Portanto, ela tem de ser examinada dentro da incubadora pelo oftalmologista e tratada antes que saia, senão será tarde demais”.

Boa Vontade TV: “Os olhos também podem refletir outras alterações no organismo apontando o surgimento de alguma patologia?”
Dr. Mitre: “O olho é o único órgão em que você consegue ver as artérias e as veias ao vivo. As do cérebro, do estômago, do fígado, do pulmão, você não as vê. Vamos supor que a pessoa tenha pressão arterial alta. O organismo dispõe de mecanismos de defesa para diminuir a pressão sanguínea. Os vasos se contraem e se fecham para diminuir o fluxo de sangue, a fim de proteger o coração que está bombeando muito forte. Ao realizar o exame de fundo de olho, podemos perceber esse problema. Outro exemplo é a artrite reumatoide que, também, dá reflexo na visão. O diabetes é outra doença extremamente traiçoeira, que atinge demais as vistas. Depois da catarata, da degeneração de mácula, o diabetes, na população ativa dos 20 aos 50 anos, é o que mais leva à cegueira nos países desenvolvidos. Todo mundo tem um parente ou um amigo diabético cego. Há muita gente perdendo a visão e não está fazendo nada contra isso. (…) Tenho obrigação de alertar o povo do perigo do diabetes. Você que come açúcar, tem excesso de peso e acha que não está acontecendo nada com seu organismo, saiba que está aos poucos perdendo a visão. Na hora em que procurar o oftalmologista, já será tarde demais. Para ilustrar, imagine um cano d’água que passa dentro das paredes da sua casa, se ele tiver um furinho vai provocar umidade, pois é uma área de vazamento. É isso que o diabetes produz dentro do olho. Ele vai produzindo furos nos vasos. O sangue, no lugar de caminhar dentro de um tubo, começa a sair antes da hora, criando micro-hemorragias que podemos identificar no exame de fundo do olho. Depois de algum tempo, isso leva à cegueira. O tratamento exige raio laser ou aplicação de drogas dentro do olho para tentar preservá-lo (…)”.

Boa Vontade TV: “É, portanto, fundamental controlar a glicose…”.
Dr. Mitre: “O controle é importante, contudo, mesmo assim, o diabético não está totalmente imune de perder a visão. Depois de oito a dez anos já começa a apresentar lesões, mesmo que haja controle. Se não cuidar, em três, quatro anos, poderá estar cego, principalmente com o diabetes do tipo 1, que é o de jovem, aquele que tem 18, 19 anos. Você que é garoto se cuide, sua glicemia tem de estar 90, 100 todo dia”.
Eis aí a nossa contribuição para que tenhamos um cuidado maior com a saúde do corpo.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

04out/17

Templo da Boa Vontade: 28 anos promovendo a Paz nos corações

O Templo da Boa Vontade (TBV), monumento da Espiritualidade Ecumênica e uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF, completará, no dia 21 de outubro, 28 anos. Para celebrar a data, durante todo o mês, ocorrerá o tradicional evento “Outubro no TBV”, que este ano enfoca o tema: “Em Jesus, o Roteiro da Felicidade”.

Integram a programação exposições, espetáculos musicais, apresentação de corais, palestras, preces e outros acontecimentos especiais. Dentre estes, a Corrente Ecumênica de Preces, a ser realizada todos os dias, às 18 horas (Hora do Ângelus), na Nave do TBV, em prol da saúde das pessoas e das famílias que sofrem com o câncer de mama. O momento mais aguardado por todos os peregrinos que se dirigirem à capital federal é a mensagem fraterna e ecumênica do fundador do Templo da Paz, José de Paiva Netto, que será transmitida no dia 21 (sábado), às 16 horas.

Vale lembrar que todas as quintas-feiras, às 19 horas, ocorrem, na Sala Egípcia, as Reuniões de Meditação. Durante todo o mês, também estarão abertas à visitação a exposição de obras em homenagem a São Francisco de Assis, Patrono da Legião da Boa Vontade (LBV), no Salão Nobre, e a Mostra Cultural e Artística “O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração”, na Galeria de Arte.

O TBV é o monumento mais visitado da capital brasileira — segundo dados da Secretaria de Estado de Turismo do Distrito Federal (Setur) — e possui infraestrutura para receber todos.

Destaque na programação para os principais eventos:
30 de setembro | sábado
19h: Iluminação das Faces do Templo da Boa Vontade, em adesão ao Outubro Rosa. Local: Nave do TBV.

19 de outubro | quinta-feira
15h: Ato ecumênico em homenagem ao Dia do Ecumenismo (celebrado em 21 de outubro), com a participação de representantes dos mais variados ramos do saber humano. Local: ParlaMundi da LBV.

20 de outubro | sexta-feira
Das 9 às 17h: Momento de Arte com as crianças. Local: Galeria de Arte.
11h: Palestra “A luta pela vida: superando a tristeza e a depressão”. Local: Auditório Tom Jobim.
15h (1ª sessão) e 19h (2ª sessão): Espetáculo Música Legionária — “Fim dos Tempos e os perseverantes em Jesus”. Local: ParlaMundi da LBV.

21 de outubro | sábado
9h30 — Musical infantil “Os Milagres de Jesus”. Local: Plenário José de Paiva Netto.
11h — Oficina “Educando os filhos para um futuro seguro”. Local: Auditório Tom Jobim.
11h — Oficina “As lições de Jesus para a felicidade dos casais”. Local: Auditório Austregésilo de Athayde.
11h — Encontro Jovem de Boa Vontade, com programação de Arte, Cultura e Música. Local: Plenário José de Paiva Netto.
16h — Sessão solene, com a palavra do fundador do Templo da Boa Vontade, José de Paiva Netto. Local: Nave do TBV.

31 de outubro | terça-feira
20h — Iluminação das Faces do Templo da Boa Vontade, em adesão ao Novembro Azul, campanha mundial de conscientização sobre a importância da prevenção do diabetes e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Local: Nave do TBV.

PARTICIPE COM SUA FAMÍLIA!
Quadra 915 Sul — Brasília/DF
Informações: (61) 3114-1070 | www.boavontade.com
www.tbv.com.br | #EUNOTBV

29set/17

Fraternidade realizadora e direitos humanos

Paiva Netto

Para a 58a sessão da Comissão do Status da Mulher (CSW), que ocorreu na sede da ONU em Nova York, EUA, de 10 a 21 de março de 2014, junto das recomendações da LBV às autoridades no evento, enviei mensagem publicada na revista BOA VONTADE Mulher, especialmente preparada para a ocasião, em português, inglês, francês e espanhol. Por oportuno, apresento a vocês, prezados leitores, alguns extratos:
A mulher tem sido o sustentáculo verdadeiro de todas as nações, quando integrada em Deus ou nos ideais mais nobres a que um ser humano possa aspirar: a Bondade Suprema, o Amor Fraterno, a Justiça Supina, a Fraternidade Real — mesmo não professando uma tradição religiosa. (…)
Congratulamo-nos com as vitórias alcançadas por meio das metas globais de desenvolvimento propostas pela ONU, a partir de 2000. Sabemos, porém, que há muito ainda a fazer pelo próximo. Daí a importância dos temas debatidos pelos estados membros, delegações internacionais, autoridades e demais participantes das reuniões promovidas todos os anos pelas Nações Unidas durante a Comissão do Status da Mulher.
Trata-se de oportuno momento para avaliar os acertos e empenhar-se ainda mais nas melhorias que devem ocorrer, visando a soluções, por exemplo, no campo da educação, da saúde, no combate à pobreza e à violência, entre as quais a hedionda exploração sexual de mulheres, jovens e meninas. Jamais podemos esmorecer no que se refere à luta pela causa da dignidade humana e pela erradicação das desigualdades sociais e de gênero no mundo.
É inadmissível que no planeta, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma a cada três mulheres sofra algum tipo de violência (física e sexual), tendo como autor, por vezes, o próprio parceiro.
É fundamental que igualmente se avance para a extinção da diferença de salários entre os gêneros, no acesso mais equânime a posições gerenciais no mercado de trabalho e na divisão dos afazeres domésticos entre homens e mulheres. Enfim, trata-se sempre de garantir os princípios de cidadania e os direitos humanos.
A propósito, acreditar que possa haver direitos sem deveres é levar ao maior prejuízo a causa da liberdade. (Importante é esclarecer que, quando aponto os deveres do cidadão acima dos seus próprios direitos, em hipótese alguma defendo uma visão distorcida do trabalho, em que a escravidão é uma de suas facetas mais abomináveis.) E prossigo: por isso, queremos que todos os seres humanos sejam realmente iguais em direitos e oportunidades, e cujos méritos sociais, intelectuais, culturais e religiosos, por mais louvados e reconhecidos, não se percam dos direitos dos demais cidadãos. Porquanto, liberdade sem fraternidade é condenação ao caos.
Trabalhamos, pois, por uma sociedade em que o Criador e Suas Leis de Amor e Justiça inspirem zelo à liberdade individual. É o que nos suscita o Natal Permanente de Jesus, a mensagem universalista do Libertador Divino, Aquele que, pelo Seu sacrifício, se doou pela Humanidade. Tudo isso para garantir segurança política, social, jurídica, sob a Sua visão divina (…).
A escritora, filósofa e feminista francesa Simone de Beauvoir (1908-1986) belamente expressou-se sobre a importância da solidariedade e dedicação ao próximo ao dizer: “A vida conserva seu valor enquanto atribuímos um valor à vida dos outros, por meio do amor, da amizade, da indignação, da compaixão”.
As virtudes reais, de fato, serão aquelas constituídas pela própria criatura na ocupação honesta dos seus dias, na administração dos seus bens e no respeito pelo que é alheio, na bela e instigante aventura da vida. Uma nação que se faça de tais elementos será sempre forte e inviolável.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

27set/17

Reflexão de Boa Vontade

Reconhecer defeitos próprios é saída para crise

Paiva Netto

Quando almejamos o apuramento das coisas, é imprescindível que localizemos o que está errado, a começar no nosso íntimo, porquanto, se não reconhecermos os nossos defeitos, como nos poderemos corrigir? Temos basicamente de deixar de enganar-nos a nós próprios, sob o risco de encenarmos, como protagonistas, este desabafo de La Fontaine (1621-1695): “A vergonha de confessar o primeiro erro leva-nos a muitos outros”.
Ora, isso se aplica a todos e a tudo para a melhor convivência global.
Tomemos como exemplo a atual crise. O capitalismo é uma sucessão delas. O que está a exigir, agora mais do que nunca, além das medidas técnicas corretivas, uma reforma que tenha como bandeira a dignidade, o respeito à criatura humana. Do contrário, a próxima explosão da bolha será muito pior que a da primeira década do século 21.

Erigir uma comunidade mundial mais responsável
Retificar esse costume doentio seria, digamos para argumentar, um categórico primeiro passo para erigir-se, no decurso do terceiro milênio, uma nova comunidade mundial mais responsável, portanto, com menos repentinas crises, incluídas as financeiras e econômicas — embora possível e ciclicamente armadas e previstas, pelo menos por aqueles que vivem a tirar ganancioso proveito do que a multidão nem imaginava acontecer. Junte-se a isso as proclamadas omissões e displicências de certos governos a fomentar sequelas como a grave questão do desemprego; a falta de uma melhor regularização e fundamentos econômicos sólidos; as estimativas equivocadas da situação econômica; e as inefáveis cobiça e arrogância, que têm sido o túmulo de tanta coisa apreciável que nem ao menos teve tempo de nascer, para orfandade das massas. Como vaticinava o Gandhi (1869-1948), “chegará o dia em que aqueles que estão na corrida louca de multiplicar os seus bens na vã tentativa de engrandecimento (extensão de territórios, acúmulo de armas, de riquezas, de poderes…) reavaliarão os seus atos e dirão: Que fizemos nós?”.
Por isso tudo, prefiro primeiramente confiar em Jesus, que o Mahatma, indiano, mas acima de tudo universalista, tanto respeitava, assim como o fazem os irmãos islâmicos. O Cordeiro de Deus não trai nem entra em crise. Para nossa segurança, Ele havia-nos confortado, ao revelar:
“Eu sou o Pão da Vida; quem vem a mim de forma alguma terá fome; e quem em mim crê jamais terá sede! (…) Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém dele comer, viverá eternamente” (Evangelho, segundo João, 6:35 e 51).
Ora, tudo neste planeta pode ficar além do controle dos homens, mas nada escapa ao comando de Deus. Todavia, quando os seres humanos verdadeiramente se reúnem com o fito de achar-se uma solução, mesmo que para os mais espinhosos problemas, ela surge. Mas é “preciso que haja Boa Vontade”, consoante propunha o saudoso fundador da LBV, Alziro Zarur (1914-1979), desde que não seja confundida com boa intenção, com a qual está calçado o inferno, como diz o povo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

21set/17

Desarmar os corações

Paiva Netto

Relendo o meu livro Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade, lançado em 8 de novembro de 2014, achei alguns modestos apontamentos, os quais gostaria de apresentar a vocês, que me honram com a leitura.
Por infelicidade, os povos ainda não regularam suas lentes para enxergar que a verdadeira harmonia nasce no íntimo esclarecido de cada criatura, pelo conhecimento espiritual, pela generosidade e pela justiça. Consoante costumo afirmar e, outras vezes, comentarei, eles geram fartura. A tranquilidade que o Pai-Mãe Celeste tem a oferecer — visto, de lado a lado, com equilíbrio e reconhecido como inspirador da Fraternidade Ecumênica — em nada se assemelha às frustradas tratativas e acordos ineficientes ao longo da nossa História. O engenheiro e abolicionista brasileiro André Rebouças (1838-1898) traduziu em metáfora a inércia das perspectivas exclusivamente humanas: “(…) A paz armada está para a guerra como as moléstias crônicas para as moléstias agudas; como uma febre renitente para um tifo. Todas essas moléstias aniquilam e matam as nações; é só uma questão de tempo”. (O destaque é nosso.)
Ora, vivenciar a Paz desarmada, a partir da fraternal instrução de todas as nações, é medida inadiável para a sobrevivência dos povos. Mas, para isso, é preciso, primeiro, desarmar os corações, conservando o bom senso, conforme enfatizei à compacta massa de jovens de todas as idades que me ouviam em Jundiaí/SP, Brasil, em setembro de 1983 e publiquei na Folha de S.Paulo, de 30 de novembro de 1986. Até porque, como pude dizer àquela altura, o perigo real não está unicamente nos armamentos, mas também nos cérebros que criam as armas; e que engendram condições, locais e mundiais, para que sejam usadas, que pressionam os gatilhos e os dedos os quais apertam os botões.
Armas sozinhas nada fazem nem surgem por “geração espontânea”. No entanto, são perigosas mesmo que armazenadas em paióis. Podem explodir e enferrujam, poluindo o ambiente. Elas são efeito da causa ser humano quando afastado de Deus, a Causa Causarum*, que é Amor (Primeira Epístola de João, 4:16). Nós é que, se distantes do Bem, somos as verdadeiras bombas atômicas, as armas bacteriológicas, químicas, os canhões, os fuzis, enquanto descumpridores ou descumpridoras das ordens de Fraternidade, de Solidariedade, de Generosidade e de Justiça do Cristo, que é o Senhor Todo-Poderoso deste orbe.
No dia em que o indivíduo, reeducado sabiamente, não tiver mais ódio bastante para disparar artefatos mortíferos, mentais e físicos, estes perderão todo o seu terrível significado, toda a sua má razão de “existir”. E não mais serão construídos.
É necessário desativar os explosivos, cessar os rancores, que insistem em habitar os corações humanos. Eis a grande mensagem da Religião do Terceiro Milênio, que se inspira no Cristo, o Príncipe da Paz: desarmar, com uma força maior que o ódio, a ira que dispara as armas. Trata-se de um trabalho de educação de largo espectro; mais que isso, de reeducação. E essa energia poderosa é o Amor — não o ainda incipiente amor dos homens —, mas o Amor de Deus, de que todos nós nos precisamos alimentar. Temos, nas nossas mãos, a mais potente ferramenta do mundo. Essa, sim, é que vai evitar os diferentes tipos de guerra, que, de início, nascem na Alma, quando enferma, do ser vivente.
As pessoas discutem o problema da violência no rádio, na televisão, na imprensa ou na internet e ficam cada vez mais perplexas por não descobrir a solução para erradicá-la, apesar de tantas e brilhantes teses. Em geral, procuram-na longe e por caminhos intrincados. Ela, porém, não se encontra distante; está pertinho, dentro de nós: Deus!
“(…) o Reino de Deus está dentro de vós” Jesus (Lucas, 17:21).
E devemos sempre repetir que o Pai Celestial é Amor! Não o amor banalizado, mas a Força que move os Universos. Lamentavelmente, a maioria esmagadora dos chamados poderosos da Terra ainda não acredita bem nesse fato e tenta em vão desqualificá-lo. São os pretensos donos da verdade… Entretanto, “o próximo e último Armagedom mudará a mentalidade das nações e dos seus governantes”, afiançava Alziro Zarur (1914-1979). E eu peço licença a ele para acrescentar: governantes sobreviventes.
Conforme anunciado no austero capítulo 16, versículo 16, do Livro da Revelação, o Apocalipse, “Então, os ajuntaram num lugar que em hebraico se chama Armagedom”. (Armagedom, local onde reis, príncipes e governantes são agrupados para a batalha decisiva.)

Sobrepujar os obstáculos
Zarur dizia, “na verdade, quem ama a Deus ama ao próximo, seja qual for sua religião, ou irreligião”.
Recordo uma meditação minha que coloquei no livro Reflexões da Alma (2003): O coração torna-se mais propenso a ouvir quando o Amor é o fundamento do diálogo.
E um bom diálogo é básico para o exercício da democracia, que é o regime da responsabilidade.
Ao encerrar este despretensioso artigo, recorro a um argumento que apresentei, durante palestras sobre o Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração, apropriado igualmente aos que porventura pensem que a construção responsável da Paz seja uma impossibilidade: (…) Isso é utopia? Ué?! Tudo o que hoje é visto como progresso foi considerado delirante num passado nem tão remoto assim. (…)
Muito mais se investisse em educação, instrução, cultura e alimentação, iluminadas pela Espiritualidade Superior, melhor saúde teriam os povos, portanto, maior qualificação espiritual, moral, mental e física, para a vida e o trabalho, e menores seriam os gastos com segurança. “Ah! é esforço para muito tempo?!” Então, comecemos ontem! Senão, as conquistas civilizatórias no mundo, que ameaçam ruir, poderão dar passagem ao contágio da desilusão que atingirá toda a Terra.


  • Causa Causarum — Expressão em latim que significa Causa das causas — no caso, Deus.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

19set/17

Em Ipatinga, projeto da LBV trabalha a consciência ambiental aliada ao avanço tecnológico

As meninas e os meninos atendidos participaram de diversas atividades debatendo o tema e colocando a mão na massa

Com o objetivo de despertar crianças e adolescentes para a conscientização dos cuidados com a natureza utilizando os recursos da tecnologia, a LBV desenvolveu, em seu Centro Comunitário de Assistência Social, o projeto “Progresso sim, destruição não!”, coordenado pela educadora Débora Gonzaga.

Durante projeto, as crianças descobriram que no Japão, em dezembro de 2014, foi inaugurada no país a cidade de Fujisawa, cidade inteligente, planejada para gastar o mínimo possível dos recursos naturais, como a água, e economizar no consumo de combustíveis fósseis. Desta forma, elas confeccionaram uma maquete da cidade inteligente.

A iniciativa faz parte das ações do 15º Fórum Internacional dos Soldadinhos de Deus, da LBV, que, na edição 2017, traz uma série de atividades e reflexões sobre o tema Na sintonia do coração, eu comunico a Paz. O evento, criado pelo educador Paiva Netto, tem o objetivo de promover o protagonismo infantojuvenil e dar “voz” para as crianças refletirem sobre temas importantes e colocarem a mão na massa para as mudanças de atitudes.

Neste projeto, as meninas e os meninos aprenderam informações básicas sobre o necessário avanço tecnológico, seus benefícios e também os malefícios. Roda de conversa, pesquisas, músicas, vídeos, filmes, contação de história, exposição de desenhos, confecção de maquetes, cartazes e objetos tecnológicos usando materiais recicláveis, foram algumas das atividades realizadas durante o projeto.

“Aprendi que, com criatividade, podemos usar a tecnologia para preservação e sustentabilidade do meio ambiente”, destacou a atendida Jamilly Victória, de 11 anos. Ana Lívia, 9 anos, citou ainda mais detalhes de seu aprendizado: “Foi muito legal! Aprendi que a tecnologia pode ser usada a favor do planeta, a partir de instrumentos super legais. Descobrimos que as empresas estão preocupadas com o uso correto da energia e foram criando diversas coisas como, por exemplo, os coletes e árvores solares, mouse e computador carregável através da energia solar, entre outros”.

A conclusão do projeto “Progresso sim, destruição não! aconteceu com um desfile das crianças apresentando tudo o que confeccionaram durante a realização do projeto.

“Com esse projeto, mostramos para as crianças e adolescentes a evolução da tecnologia e seus impactos em nossa vida e levei-os a refletirem sobre como seria o mundo se toda tecnologia fosse feita para cuidar da natureza e das pessoas. Eles entenderam a importância de preservar e cuidar do meio em que vivem. Com certeza serão cidadãos responsáveis e comprometidos com a sociedade, sendo capazes de estabelecer relações, interagir, transformar e reelaborar neste meio e em outras realidades”, disse a educadora social Débora Gonzaga.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

14set/17

Caridade Integral

Paiva Netto

Meditando sobre o imenso valor da Caridade, ressalto que não basta dar o pão material, que depois pelo corpo é lançado fora… Necessário se faz também atender às carências do Espírito, de modo que ele, mesmo quando reencarnado, descubra as extraordinárias qualidades que, como Templo do Deus Vivo, traz dentro de si próprio. Assim aprenderá a empregá-las com pleno conhecimento das Leis Divinas. E saberá livrar-se dos erros, cuja origem — para os que têm “olhos de ver e ouvidos de ouvir” — acha-se no campo espiritual. Espírito enfermo, matéria enferma. Mente perturbada, corpo afetado. A solução é psicossomática. Pensamento é força realmente. Escreveu Adelaide Coutinho (1905-1975 aprox.), pela psicografia do médium Francisco Cândido Xavier: “Se não lapidarmos o coração, sobrevém, para nós, a tempestade. São os votos malcumpridos, as promessas olvidadas, as tarefas no abandono, os compromissos relegados ao esquecimento e a ânsia doentia de colher sem plantar e auferir lucros sem esforços, na grande jornada da matéria, em que, juntos de nossos amigos e adversários, tanto poderíamos realizar em nosso próprio proveito”, completadas por estas de Emmanuel (Espírito): “O desânimo absorve-te o coração? Lembra-te de que o tédio é um insulto à fraternidade humana, porque a dor e a necessidade, a tristeza e a doença, a pobreza e a morte não se acham longe de ti”.
Eis por que a Legião da Boa Vontade não cuida somente do corpo, mas também do Espírito. De outra forma, há sempre o perigo de se promover a vagabundagem, coisa que absolutamente não fazemos. Como dizia o abade, poeta e tradutor francês Jacques Delille (1738-1813), “a Caridade que se faz por meio de esmola é uma forma de conservar a miséria”.
Que ninguém, todavia, se furte ao dever de ajudar. Amanhã poderá situar-se entre os suplicantes, necessitado urgente da esmola do que passa… “Hodie mihi, cras tibi.” (Hoje, eu; amanhã, você.)
Alimente-se, pois, o corpo combalido, mas que se lhe salve a Alma com o Evangelho e o Apocalipse de Jesus, em Espírito e Verdade, à luz do Novo Mandamento, de forma que o ser humano, conhecendo e vivendo as Leis de Deus, livre de sectarismos e fanatismos que tanto têm prejudicado as religiões no mundo, descubra que, sendo Templo do Deus Vivo, como ensinava Jesus, pode libertar-se da miséria. Descoberta a riqueza interior, a exterior, mais dia menos dia, surgirá. Analisando o trabalho de grandes pensadores, escreveu Henry Thomas (1886-1970) a respeito do filósofo e físico judeu-árabe Maimônides (1135-1204), conhecido como o Aristóteles da Idade Média: “(…) É especialmente famoso pelos seus Oito Degraus de Ouro da Caridade. Neste ensaio, expõe que há uma diferença entre dar e dar. Podeis dar com a mão, o pensamento e o coração. O primeiro e mais baixo degrau na escala da Caridade é dar com relutância. O segundo é dar insuficientemente. O terceiro é dar somente quando se é solicitado. E, assim por diante, até chegarmos ao oitavo degrau. Este é impedir a pobreza para evitar a necessidade da caridade. Este, conclui ele, é o mais alto degrau e o cume da escada de ouro da Caridade”.
Entretanto, não se deve restringir a Caridade ao louvável serviço da assistência material. Caridade é muito mais. Dirige-se ao Espírito do ser humano. Mesmo que os governos do mundo resolvessem toda a problemática social de seus povos, a Caridade seria necessária. Ela é, como prega a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Amor. Deus é Amor. Ninguém vive sem Ele, nem mesmo os Irmãos ateus…

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

11set/17

Vá sem pressa, faça uma prece!

Paiva Netto

Sempre tenho chamado a atenção das pessoas para que tomem cuidado com o trânsito nas estradas e nas metrópoles.
Há muitos anos, num editorial do conceituado jornal brasileiro Folha de S.Paulo, encontrei este pensamento de Goethe (1749-1832), famoso vate e escritor alemão: “A morte é, de certa forma, uma impossibilidade que, de repente, se torna realidade”. Realmente, a maioria dos seres humanos não pensa que um dia terá de “passar desta para melhor ou para pior”, de acordo com o seu comportamento na Terra.
O grande equívoco da Humanidade é viver como se depois da morte nada houvesse. Certamente, conforme nos revelam os Mentores Espirituais, um dos maiores dramas na Pátria da Verdade é a chegada de multidões livres das algemas da carne, mas completamente ignorantes do que seja o Mundo Invisível.
Mas voltemos ao editorial da Folha de S.Paulo sobre violência no trânsito, cujo conteúdo, infelizmente, ainda é atualíssimo: “(…) a frase do grande poeta alemão reflete com admirável precisão a maneira como muitos encaram a morte. E não resta dúvida de que essa visão é especialmente comum entre os jovens, cuja inexperiência aliada a um arrebatamento natural como que lhes confere um sentimento de onipotência e imortalidade. E esse sentimento, por ser extremamente enganoso, tem muitas vezes consequências terríveis. As mais notáveis e perversas se fazem ver no alto índice de envolvimento de jovens em acidentes de trânsito no mundo inteiro. Desastres do tráfego já são a principal causa de morte nessa faixa etária, fazendo mais vítimas do que a aids ou outras doenças incuráveis”.
Não adianta dispor leis para os seres humanos. É preciso prepará-los para a Lei. O código de trânsito já existe. Todos sabem que têm de utilizar o cinto de segurança, diminuir a velocidade e respeitar sinais e faixas. No entanto, por que muitos não cumprem essas normas? Talvez porque não valorizem a própria existência.
A campanha Vá sem pressa, faça uma prece!, promovida pela Legião da Boa Vontade (LBV), visa à conscientização de motoristas e pedestres, para que venham a acatar as leis de trânsito por Amor à sua vida e à dos semelhantes.
Fica aqui, portanto, a nossa contribuição para o fim da violência no trânsito, de forma que a velocidade irresponsável ainda existente nas ruas se sublime em atos cada vez mais velozes de respeito a todos e de socorro às pessoas em situação de pobreza. Eis o nosso lema: Promover Desenvolvimento Social e Sustentável, Educação e Cultura, Arte e Esporte, com Espiritualidade Ecumênica, para que haja Consciência Socioambiental, Alimentação, Segurança, Saúde e Trabalho para todos, no despertar do Cidadão Planetário.
Vá sem pressa, faça uma prece!

LBV — trânsito livre para a Vida
Educação e trânsito
Lamentavelmente, poucos refletem no fato de que, no Brasil, o trânsito tem feito um número maior de vítimas do que muitas guerras. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em média 150 pessoas morrem por dia nesses acidentes no Brasil. Boa parte desses casos não ocorreria se motoristas e pedestres fossem mais prudentes e observassem dicas simples ao conduzir um veículo ou ao atravessar uma rua. Atitudes iguais a essas evitariam o sofrimento de milhares de famílias e o prejuízo que, todos os anos, é superior a R$ 30 bilhões, segundo estimativas do Denatran, em consequência dos acidentes de trânsito nas rodovias e vias urbanas.
Por isso, é fundamental:
— não dirigir cansado, sob a influência de emoções ou sob efeito de bebidas alcoólicas e/ou de qualquer substância entorpecente;
— não trafegar acima dos limites de velocidade;
— usar constantemente o cinto de segurança;
— conhecer bem o veículo que se dirige e mantê-lo em boas condições de funcionamento;
— desenvolver uma direção defensiva, prevenindo, dessa maneira, acidentes; e
— levar as crianças até 10 anos de idade no banco traseiro do carro.
A conscientização é o primeiro passo para o fim da “guerra” nas estradas e ruas brasileiras. Para isso, é muito importante, acima de tudo, que a Boa Vontade esteja presente entre motoristas e pedestres.
Vivamos, todos nós, em paz no trânsito!

A Prece do Motorista*
Extraída da revista BOA VONTADE no 26, de agosto de 1958, a oração ficou famosa na interpretação de Alziro Zarur (1914-1979), saudoso fundador da LBV e Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, em seus programas radiofônicos.
“Jesus,
“quero que sejas
“a Luz dos meus olhos,
“para que eu veja sempre o caminho certo!
“O Guia dos meus braços,
“para que eu me dirija sempre para o Bem!
“A Força da minha vida,
“para que eu resista na luta diária pelo pão!
“O meu Amigo constante,
“para que eu sirva a todos com Boa Vontade!
“O Amor do meu coração,
“para que eu ame a todos como a mim mesmo!
“Que a Paz de Deus ilumine os nossos caminhos.
“E viva Jesus!”

Nota do autor
* Constante de meu livro Ao Coração de Deus — Coletânea Ecumênica de Orações (versão pocket), 69a edição, p. 139, publicada pela Editora Elevação.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

04set/17

Campanha da LBV Eu Ajudo a Mudar!

Iniciativa leva amparo às famílias e promove maior conscientização sobre os recursos naturais

Por meio de sua campanha Eu Ajudo a Mudar!, a Legião da Boa Vontade (LBV) está mobilizando a sociedade a contribuir para a manutenção dos programas socioeducacionais que realiza diariamente em todo o Brasil. Nesta edição, a iniciativa apresenta ações de educação ambiental, com o objetivo de sensibilizar a população ao combate do desperdício de água e à separação do lixo para reciclagem.

Desde 1950, a LBV promove ações ambientais em suas escolas, Centros Comunitários e lares para idosos. São palestras, oficinas lúdicas e atividades práticas sobre a importância de preservar os recursos naturais. A separação correta do lixo, a reciclagem e a economia de água são temas constantes abordados nas unidades da Instituição. As crianças, por exemplo, ensinam por meio de ações simples, mas importantes, como preservar o meio ambiente.

Vale ressaltar que os recursos angariados por essa campanha são investidos na melhoria e na ampliação das unidades de atendimento da Instituição, que diariamente promovem diversos serviços em prol das populações em situação de vulnerabilidade social.

Para dar continuidade a esse amplo trabalho, a LBV conta com a ajuda do povo para mudar! Torne-se, também, parte desse time solidário. Colabore: www.lbv.org/doar.

Se preferir, entre em contato com uma das unidades da Instituição acessando os endereços na página www.lbv.org/enderecos. Acompanhe também a LBV pelas redes sociais: Facebook/LBVBrasil, YouTube/LBVBrasil e Instagram/@LBVBrasil.

25ago/17

Seja um voluntário no Lar Alziro Zarur, da LBV, em Teófilo Otoni

Conheça a história de quem encontrou no voluntariado uma forma de viver mais feliz!
Há 54 anos, o Lar Alziro Zarur da LBV, em Teófilo Otoni/MG, atende idosos em regime de longa permanência em situação de vulnerabilidade social. É um espaço amplo, arejado e os idosos contam com atendimento médico, social, de enfermagem, terapia ocupacional, fisioterapia e nutrição. Este conjunto de ações privilegiam o bem-estar, o convívio e a socialização, estimulando o desempenho físico, psicológico e cognitivo dos atendidos.

Eventos internos também são realizados e colaboram para a interatividade tão benéfica nesta e em todas as outras fases da vida. Os idosos recebem também a visita de familiares, amigos e voluntários que participam de diversas formas e sempre proporcionam mais alegria aos atendidos.
A Legião da Boa Vontade convida aspessoas para atuar como voluntárias em suas Unidades de atendimento. Veja o caso da senhora Edy Ferreira: ela é voluntária no Lar da LBV há mais de 20 anos. Além de conversar com os idosos, ela faz tapetes, jogos para banheiro, panos de prato, pesos em forma de bichinhos, enfim, diversos artesanatos para o bazar da Instituição. “Amo conviver com os idosos. É uma troca de experiência. Tenho um carinho enorme por todos eles. São pessoas carentes que precisam da nossa atenção e a gente só tem a ganhar dedicando um pouco do nosso tempo a eles”, ressaltou com imensa satisfação a senhora Edy.

E os idosos também se sentem muito felizes neste recanto de paz. “Eu gosto de todos aqui, me tratam muito bem, todos têm um carinho enorme comigo e eu me sinto muito feliz!”, disse a senhora Maria Lucia, 89 anos, que reside neste Lar há 1 ano e 3 meses.

Visite, conheça e ajude! O Lar Alziro Zarur da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua Capitão Leonardo,620 – Grão Pará. Teófilo Otoni/MG. Ligue: (33) 9522 – 6555

23ago/17

Conscientização hoje…

… antes que seja tarde para os inquilinos da Terra.

Paiva Netto

Durante a 21a Conferência das Partes (COP 21), realizada de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015, em Paris, na França, apresentei contributo modesto aos debates que a agenda do clima urgentemente reclama. Por ser um tema sempre atual, compartilho com vocês, prezados(as) leitores(as), alguns extratos do documento que enviamos ao evento:
Há décadas, venho insistindo que a destruição da Natureza é a extinção da raça humana. Fica evidente que essa não é uma simples frase de efeito para chamar a atenção desta Humanidade, sempre apressada, muitas vezes rumo ao próprio extermínio.
Em geral, as criaturas se movem como se não houvesse amanhã. Desse modo, deixam de avaliar o resultado futuro de seus atos no presente. É preocupante, porque, quando os efeitos devastadores da má semeadura chegam, o quadro pode ser irreversível ou acompanhado de imensos prejuízos.
Sustentabilidade é palavra da moda. Contudo, agimos em consonância com seu significado? Os problemas relacionados aos recursos naturais aumentam a cada dia. Vejam a diminuição dos reservatórios de água em diversas cidades brasileiras e do mundo!
Vez por outra, vêm à tona estudos demonstrando que qualquer ação desenfreada contra o meio ambiente traz algum tipo de desequilíbrio local ou à distância. Mesmo assim, as árvores continuam sendo “estorvo” ou objeto de ganância sem fim na Amazônia, na Mata Atlântica ou em qualquer lugar. Até quando?

Atitudes decididas de preservação
Na década de 1980, pesquisadores já alertavam para o risco de a capital bandeirante vivenciar clima semelhante ao do Nordeste do Brasil. Com seguidas massas de ar seco sobre a região, falta de chuva recorrente, poluição sem controle, sua famosa marca de “terra da garoa” vai ficando no passado. Ainda que o comportamento climático também seja cíclico, tal fato não sugere que devamos baixar a guarda.
A esperança é que o povo — e isso em todo o orbe, desde as pessoas mais simples às que dirigem as nações — tome atitudes decididas de preservação de nossa espécie. Se as coisas persistirem como andam, lá na frente poderemos ler anúncios assim: “Restam poucos exemplares humanos em tal localidade. A região, antes repleta de vida, tornou-se hostil, sendo totalmente prejudicada pela aridez e pela falta de visão de seus moradores”. Pode ser chocante, mas os filhos da atual geração e, posteriormente, netos dela própria pedem socorro aos que hoje gastam, de maneira condenável, o que o planeta lhes oferece.

Hawking: colonizar o espaço para sobreviver
O conceituado astrofísico inglês Stephen Hawking chegou mesmo às raias de afirmar ao site Big Think que “nossa única chance de sobrevivência em longo prazo não é permanecer na Terra, mas se espalhar pelo espaço”. E prossegue: “Eu vejo um grande perigo para a raça humana. Houve vezes, no passado, em que a sobrevivência [do ser humano] foi incerta. (…) Nossa população e o uso de recursos finitos do planeta Terra estão crescendo exponencialmente, assim como nossa capacidade técnica de mudar o ambiente para o bem e para o mal”, disse Hawking. Vejam que não se trata de nenhum alarmista.
É de se destacar também que muita gente idealista e pragmática — a exemplo do próprio ex-professor lucasiano emérito da Universidade de Cambridge — vem dando voz ativa à fauna e à flora que nos cercam. Entretanto, é preciso que essa consciência se multiplique por toda parte, começando pelas crianças, em casa e nas escolas.

Aplacar as tempestades
Confiantes, rogamos a Deus que aplaque as intempéries meteorológicas que levam, todos os anos, sofrimento a multidões no mundo. E sejamos cidadãos conscientes de que, se merecedores, Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, em pessoa novamente, fará os prodígios relatados no Evangelho, segundo Lucas, 8:24, quando o Celeste Timoneiro acalma uma tempestade.
O Mestre dos Milênios virá e repreenderá o vento e a fúria da água, hoje simbolizada igualmente pela sua escassez. Usufruir de bonança na atualidade depende do convívio harmônico com a Natureza.
E finalizo este texto com trechos da mensagem “LBV, Rio-92 e os desafios da Rio+20”, que humildemente enderecei aos chefes de Estado do mundo inteiro e a suas comitivas, além de aos representantes da sociedade civil, presentes à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (CNUDS), a Rio+20, realizada entre os dias 13 e 22 de junho de 2012, na capital fluminense. Especialmente para o evento, remetemos a revista especial BOA VONTADE Meio Ambiente nos idiomas português, inglês, espanhol e francês:

Gente que luta
Para que nosso planeta sobreviva aos efeitos de tanta ganância pelos séculos, verdade seja dita, temos visto notáveis esforços de pesquisadores e de cidadãos engajados na melhora da qualidade de vida por todo o globo. Aliados às iniciativas que buscam a alimentação saudável, por intermédio da agricultura orgânica, meios de transporte alternativos e a proteção do meio ambiente, pela reciclagem e pelo tratamento racional do lixo e aproveitamento das águas da chuva, excelentes trabalhos de cientistas e outros estudiosos prometem bons resultados no curto e no longo prazo. Por exemplo, é intensa a pesquisa na área energética, sobretudo em relação a fontes renováveis e limpas: biocombustível, biomassa, energia azul, energia geotérmica, energia hidráulica, hidreletricidade, energia solar, energia maremotriz, energia das ondas e energia eólica, além de outros objetos de estudo pouco conhecidos e aqueles que nem mesmo sabemos ainda que serão descobertos. A Fé é o combustível das Boas Obras.

“Não jogam a toalha”
Destaco, por devido, o esforço militante, pela causa do meio ambiente, de entidades governamentais e do Terceiro Setor, sérias e ativas, no Brasil e no mundo; de multidões de idealistas que “não jogam a toalha” e continuam na linha de frente pelejando por um planeta realmente melhor.
Nosso brado é este: Educar. Preservar. Sobreviver. Humanamente também somos Natureza.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

17ago/17

“Saúde Bucal” é tema de palestra na LBV

Com objetivo de promover prevenção e conscientização sobre a Saúde Bucal em crianças e adolescentes, a Legião da Boa Vontade (LBV) promoveu nesta quinta-feira, 17, uma importante palestra para os meninos e meninas atendidos no Programa Criança: Futuro no Presente!, desenvolvido em seu Centro Comunitário de Assistência Social, em Ipatinga/MG.

A palestra foi ministrada pela estudante em odontologia, com formação em Letras, Hosineyde Beatriz Carvalho. “Todas as vezes que falamos em saúde, primeiramente devemos abordar a questão de que é um direito e assim devemos promovê-lo. Com a saúde bucal não é diferente, precisamos trabalhar de maneira integral. É importante que estas orientações sejam conhecidas ainda na infância, pois é neste momento que estimulamos, criamos hábitos corretos de higiene bucal e trabalhamos também as habilidades, as competências da criança para que ela, desde pequena, trabalhe o autocuidado, a promoção da saúde e assim se torne um adulto consciente. A participação de todos foi muito efetiva e produtiva demonstrando muito interesse”, ressaltou Hosineyde.

A iniciativa também faz parte dos cuidados que a Instituição tem ao longo do ano, em desenvolver ações que promovem melhorias na qualidade de vida das crianças e adolescentes atendidos, em todos os ramos do saber humano. Sobre estas ações da LBV, a palestrante disse: “A Instituição está de parabéns por promover momentos de aprendizagem como este, para as crianças”.

Ao final da atividade, a garotada recebeu um kit de higiene bucal. “Gostei muito da palestra porque explicou muitas coisas que eu não sabia, como por exemplo, o jeito de passar o fio dental e como escovar os dentes. Aprendi que a escova deve ser macia, não pode ser dura porque machuca a gengiva. Gostei de ganhar uma escova e creme dental para levar para casa! Por isso eu gosto muito de ficar aqui na LBV, sempre nos tratam bem, nos ajudam e só querem o nosso bem”, disse a atendida Camila Aparecida, 10 anos.

Em todas as suas unidades socioeducacionais, a LBV proporciona diversos momentos de debates sobre temas prioritários para a saúde dos atendidos.
“Após uma palestra, é possível no dia a dia os educadores observarem as atitudes dos atendidos e perceberem que eles buscam modificar suas atitudes para melhor, diante das temáticas abordadas. Procuramos trabalhar sempre a prevenção, pois eles assimilam os hábitos que irão fazer parte de suas vidas. Além das palestras, utilizamos rodas de conversa, filmes educativos, jogos e brincadeiras. Procuramos sempre de maneira lúdica e bastante atrativa, falar de temas importantes para o crescimento saudável da garotada”, destacou a gestora administrativa municipal, Rariane Oliveira.

Conheça esse trabalho de perto: Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822 – 8600.

11ago/17

Pais de boas obras

Paiva Netto

Dia dos Pais! Nosso pensamento se eleva em primeiro lugar ao Pai de todos, o Celestial, que gerou nossos pais e fez igualmente de nós pais. Alguns argumentam: “E como ficam os homens que não têm filhos?”
Já expliquei que pai também é aquele que faz nascer boas obras — como que suas filhas —, o que levanta indispensáveis construções espirituais e sociais — como que seus filhos. Grandes figuras da Humanidade não foram genitores no sentido literal da palavra, contudo trouxeram à Terra filhos livros, descobertas científicas e desbravamentos filosóficos, morais, políticos, religiosos. São admiráveis descendentes que beneficiam multidões, geração após geração.
Aos pais de filhos espirituais, carnais, morais, sociais, o reconhecimento fraterno da Legião da Boa Vontade, dos seus Centros Comunitários, Educacionais, Culturais, Artísticos, Esportivos, do Conjunto Educacional Boa Vontade, em São Paulo/SP, do Centro Comunitário de Assistência Social Alziro Zarur, da LBV, em Glorinha/RS, de todas as obras que sustentamos pela força da Fé Realizante, porque a Fé, ensinou Jesus, remove montanhas.
E mais afirmou o Divino Chefe: “Tudo é possível àquele que crê” (Evangelho, segundo Marcos, 9:23).
A quantos o Excelso Taumaturgo tem convidado: “Levantai e andai!” (Evangelho, consoante Lucas, 5:23). E caminharam. A quantas pessoas ordenou: “Vede!” E viram. O Cristo curou cegos de nascença (Evangelho, segundo João, 9:1 a 91). Porque a cada um, Ele mesmo adverte: “de acordo com as obras de cada um” (Evangelho, segundo Mateus, 16:27, e Apocalipse, 20:13).
Seres de Boa Vontade, do Brasil, do mundo, do plano espiritual ainda invisível aos nossos parcos sentidos físicos, para a frente e para o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista! Como disse o Irmão André Luiz, Espírito: “A LBV é a nossa caravana de agora. Não nos iludamos: Jesus segue na vanguarda do nosso Movimento”.

Oração dedicada aos pais
Vamos elevar o nosso pensamento a Deus, ao Pai Celestial. Pedir a Ele a proteção para os pais terrenos. Na dor, no sofrimento, na guerra, a primeira invocação que se ouve por parte dos que padecem é o nome daqueles que os geraram. Agora, vamos orar a Prece Ecumênica de Jesus, a Oração do Senhor deste planeta, que se encontra no Seu Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13.

“Pai Nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa Vontade assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia dai-nos hoje. Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoarmos aos nossos ofensores. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre. Amém!”

O sentido da liberdade verdadeira
“O pão nosso de cada dia dai-nos hoje. Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoarmos aos nossos ofensores.”
Fosse essa a súplica permanente do mundo e muita coisa se transformaria. Porque, para começar, estaríamos pedindo ao Criador o pão espiritual, a fortaleza para a nossa mente, o sentido da liberdade verdadeira, a independência de julgamento, que só pode vir pela celeste inspiração. Se o corpo precisa do alimento material, o Espírito necessita do pão da liberdade.
Mas o que é a liberdade? As mãos livres para fazer mal ao semelhante? Para infamar, para caluniar, uma comunidade, uma família? Não! Isso seria o mal estabelecido. A liberdade tem de ser iluminada pelo coração que ama, respeitando-se a Justiça que provém de Deus. Isso é que é moral, justo! Todavia, para que essa concepção possa, na verdade, viger, edificando um país, temos de procurar a compreensão do que seja realmente a Lei Divina.
Urge nos conscientizarmos de que o Amor Fraterno é também Justiça, não condescendência com o erro. Alguém pode perguntar: “Mas o que está certo e o que está errado?”
O que causa prejuízo e dor não pode estar correto. O desequilíbrio da Humanidade vem muito disso.

Jesus como paradigma
Salve o Dia dos Pais, o Dia das Mães, dos Avós! Salve Jesus! Às crianças e aos jovens do Brasil e do exterior, a nossa saudação! Que a grama verde (a mocidade), descrita no estudo sem tabus do Apocalipse, não seja destruída. Do contrário, não haverá continuidade de vida na Terra. E quando falamos não ser aniquilada a juventude, não pensamos somente no sentido restrito da morte do corpo físico, porque, se a consciência estiver falida, estaremos mortos também. Existem o intelecto e a consciência. A segunda conduz-nos à sabedoria, quando iluminada, se assim o quisermos, pela Bondade Divina.
Que a Paz de Deus esteja agora e sempre no coração de todos e de todas, quer acreditem na Espiritualidade Superior, quer sejam ateus ou ateias. O importante é ser honesta, digna; ser honesto, digno. Aí está o segredo: Jesus como paradigma! Que Ele tenha piedade de nós, e que a Sua generosidade conduza os nossos destinos!
Finalizando, registro, emocionado, meus sinceros agradecimentos ao meu saudoso pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000). Um dos principais responsáveis pela minha formação cultural, ainda que modesta. Constantemente me presenteava com livros, preocupado que foi com a educação do filho, como também de minha irmã, Lícia Margarida (1942-2010). Receba, seu Bruno, onde estiver, ao lado de dona Idalina (1913-1994), um beijo no coração!

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

02ago/17

Hiroshima

Paiva Netto

Em 6 de agosto de 2017, precisamente às 8h15, completam-se 72 anos do lançamento da bomba atômica sobre Hiroshima, depois foi a vez de Nagasaki, também no Japão. Data que jamais será varrida das consciências sob risco de que — esquecidos desse abominável atentado à vida humana — o repitamos num grau de intensidade ainda maior, devastando não apenas uma cidade, mas o próprio planeta.

Um pouco de história
Agosto de 1945. Na Europa, Hitler (1889-1945) se encontrava derrotado e morto. Berlim, destruída e ocupada pelos russos. Em 25 de julho, dias antes do impacto de “Little Boy” — apelido do petardo de cinco toneladas que matou cerca de 100 mil pessoas em solo japonês —, o presidente norte-americano, Harry Truman (1884-1972), decide usar contra o naquele tempo inimigo asiático o que ele mesmo designou em seu diário como “a coisa mais terrível já descoberta”.
Paul Tibbets (1915-2007) foi o piloto da marinha escolhido para comandar o B-29 que decolou da ilha de Tinian. O avião, batizado com o nome de sua mãe, Enola Gay, levantou voo às 2h45min. Ao seu lado, na missão que entraria para a história e mudaria a geopolítica do século 20, estava o copiloto Robert Lewis, autor da famosa exclamação: “Meu Deus, o que fizemos!”
Décadas se foram. Todavia, o relato de muitos sobreviventes a respeito do sofrimento atroz por que passaram é, sem dúvida, uma das mais importantes bandeiras na luta pelo desarmamento e pela não proliferação de armas nucleares.

“O perigo é real”
Contudo, acontecimentos diversos continuam sugerindo que a possibilidade de uma Terceira Guerra Mundial não é ilusória. A Humanidade corteja a morte. Basta lembrar os maus-tratos que promove contra sua própria moradia. A paz quase que não tem passado de figura de retórica. Em grande parte da trajetória humana, o período em que ela prevaleceu é ínfimo. Se é que já houve verdadeira paz neste mundo… Somente na Alma de alguns bem-aventurados é que tem conseguido habitar. Por isso, com certeza, advertiu o papa João Paulo II (1920-2005), numa memorável alocução, na década de 1980, que “o perigo é real”.
A concórdia entre religiosos é a primeira a ser conquistada. A paz de consciência dos seres terrenos, gerada por uma nova postura ecumênica, porquanto altamente fraterna, prenuncia a paz social, a paz entre as instituições e a desejada paz mundial, sob a proteção do Pai Celeste, o maior diplomata da história deste orbe, não obstante nosso recorrente mau uso do livre-arbítrio. Para os que riem dessa realidade, uma pequena recordação do cético Voltaire (1694-1778): “Se Deus não existisse, precisaria ser inventado”.

John Kennedy e a Paz
Muitas nações não estão diretamente envolvidas nos conflitos armados que nos flagelam, porém todas sofrem a opressão do medo ou da miséria, pela violência dos armamentos novos ou pelo desvio global de verba para a indústria da morte. Tudo isso em prejuízo da justa economia que gera instrução, educação, espiritualização, segurança, alimentação e saúde dos povos. Portanto, a guerra nos ofende a todos nestes tempos de comunicação rápida e de temporais de informações, que ameaçam, com seus raios e trovoadas, dar curto-circuito nos cérebros. Daí a inclusão que faço, neste bate-papo com vocês, do pensamento de John Kennedy (1917-1963): “Só as armas não bastam para guardar a paz. Ela deve ser protegida pelos homens (…). A mera ausência de guerra não é paz”.
A Terra só descobrirá a Paz quando viver o Amor espiritual e souber reconhecer a Verdade Divina. No entanto, a Divina Verdade de um Deus que é Amor. Não a de um ser brutal e vingativo, inventado pelos desatinos humanos.
De fato, o perigo continua real. E nós, como tontos, no meio dele, nessa “briga de foice no escuro”. “Quousque tandem, Catilina?”
É essencial salientar as propostas e ações de autêntico entendimento. Conflitante rota para os povos será a do remédio amargo.
Por isso mesmo, não percamos a esperança. Perseveremos trabalhando “por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz”. Eis a direção da vitória. E não se trata de argumento simplório. A vida ensina, mas quantos de nós aprendemos a tempo?
As soluções dos graves problemas de nossa sociedade passam pela devida valorização do Capital de Deus, ou seja, o Espírito Eterno do ser humano. Do contrário, acabaremos por enfrentar um conflito mundial maior que as duas grandes guerras do século 20 que, numa análise histórica, podem ser classificadas como uma só dividida em duas partes. Que Deus nos livre da terceira!

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

25jul/17

Não se aposente da vida

Paiva Netto

Por ocasião do Dia dos Avós, comemorado em 26/7, recordei-me de minha saudosa vó Laura. Viveu nesta encarnação 99 anos, lúcida, ativa e juvenil. Veio a falecer — vejam vocês o dinamismo dela — alguns dias depois de voltar da feira, e por causa de um acidente quando retornava para casa. Com sua sabedoria, adquirida nos longos embates da vida, ensinava: “Aos que chegam, na sua existência, ao fundo do poço, só resta levantar a cabeça e começar a subir”. Sábias palavras.
Por sinal, em palestra que proferi sobre o que é ser jovem, veiculada pela Super RBV de Comunicação (rádio, TV e internet), destaquei esta máxima de Samuel Ullman (1840-1924), a qual muito aprecio: “A juventude não é um tempo de vida, é um estado de espírito”. Por isso, ao ouvir o incentivo que damos ao Jovem de Boa Vontade, o vovô ou a vovó jamais deve sentir-se excluído das nossas atividades. Eu mesmo, com muito gosto, já tenho quase 80 anos. Há décadas venho dizendo: aposentar-se do trabalho não significa aposentar-se da vida. Ela continua sempre. Portanto, é um erro descartar grandes valores porque estão “em idade avançada”. Descobertas importantíssimas foram feitas por homens e mulheres quando ultrapassavam os 60, 70 ou 80 anos. É preciso, pois, aliar ao patrimônio da experiência dos mais velhos a energia dadivosa dos mais moços.
Enquanto houver um sopro de vida, de alguma maneira poderemos ser úteis. Façamos continuamente o Bem.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

13jul/17

“Prevenção às drogas” é tema de projeto na LBV em Ipatinga

Segundo dados do relatório Mundial sobre Drogas da ONU, cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, o que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas usam drogas ilícitas. Os motivos que podem levar uma pessoa a se entregar ao vício de drogas são vários e vão desde a necessidade de aceitação por um grupo até um problema de cunho familiar ou emocional.

Por isso, com objetivo de trabalhar a prevenção, promovendo informação e conscientização sobre os perigos das drogas lícitas e ilícitas, a Legião da Boa Vontade (LBV) desenvolveu durante um mês, o projeto “Drogas, o melhor é a informação” com crianças e adolescentes atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social, em Ipatinga/MG. “Informar e educar são os melhores caminhos para prevenir. Pensando nisso, decidimos abordar esse tema, pois se faz necessário uma conscientização de todos sobre os efeitos e consequências dessas substâncias à vida humana em todos seus aspectos”, ressaltou a educadora social Patrícia Costa.

Neste período, meninos e meninas aprenderam informações básicas, necessárias à prevenção ao consumo de álcool e drogas. Rodas de conversa, pesquisas, vídeos e filmes sobre o assunto, palestra com militar que integra o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), testemunho de um jovem que já vivenciou o mundo das drogas, teatro, confecção de cartazes e jornal informativo foram algumas das atividades realizadas durante o projeto.

“Este projeto me ensinou várias coisas como: os malefícios que as drogas trazem para as pessoas e que devemos ficar bem longe delas. As drogas fazem mal para a saúde. Fizemos muitas atividades interessantes, mas a que mais gostei foi da palestra com o policial porque ele explicou muito bem e contou casos que aconteceram com crianças, jovens e adultos que usaram drogas. Eu gosto muito de participar da LBV porque as oficinas são todas legais e aprendemos muito. Faz pouco tempo que estou na LBV e já aprendi bastante coisas importantes e, com certeza, vou aprender muito mais”, destacou a atendida Kariny de Oliveira, 12 anos.

O encerramento do projeto aconteceu nesta quarta-feira, 12, com apresentação teatral e distribuição do jornal confeccionado durante o projeto contendo informações, estatísticas e charges sobre o tema. A garotada demonstrou através do teatro o que realmente aprendeu quanto aos perigos, os efeitos e os riscos das drogas.

A atendida Andressa Moreira, 14 anos, disse: “Gostei muito de fazer o jornal! Fizemos um resumo de tudo que aprendemos, são informações importantes sobre a prevenção às drogas, curiosidades, caça palavras e outros. O teatro também foi muito legal porque mostramos que estamos conscientes do mal que as drogas podem fazer em nossas vidas e que devemos ficar longe delas, seja qual for, todas são prejudiciais para a nossa saúde, para a nossa vida”.

A Instituição entende que quando as crianças e adolescentes são conscientizadas dos perigos que estão, infelizmente, presentes na nossa sociedade, elas são mais capazes de perceber e prevenir. Por isso, em todas as Unidades socioeducacionais da LBV são realizados debates sobre temas prioritários para a saúde infantil e jovem durante todo o ano, contribuindo para uma qualidade de vida melhor para crianças, adolescentes e suas famílias.

“Temos o cuidado de sempre buscar temas relevantes para que possamos discutir, refletir e oferecer informações para que as crianças e adolescentes possam se prevenir contra as drogas”, disse a assistente social da LBV, Cristina de Vasconcelos.

Conheça esse trabalho de perto! Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

11jul/17

A queda de todas as bastilhas

Hoje se faz necessário pôr abaixo as bastilhas invisíveis, todavia, de consequências bem palpáveis: espirituais, morais, psicológicas, do sentimento.

Paiva Netto

Dia 14 de julho. Completam-se 228 anos da Queda da Bastilha, episódio que deflagrou a Revolução Francesa (infelizmente manchada pelo sangue dos guilhotinados), cujas origens remontam aos enciclopedistas, vanguardeiros do iluminismo. Relativo ao tema, selecionei apontamentos meus, ao longo do tempo, de palestras, programas de rádio, TV e de artigos publicados no Brasil e no exterior.
Não tenho pretensão de discutir aspectos históricos ― existem bons livros para isso ―, contudo extrair uma importante analogia sobre quanto ainda é forçoso trilhar a fim de que as populações da Terra deixem ruir de suas mentes e corações a pior de todas as bastilhas: a ignorância acerca da realidade gritante da vida após o fenômeno da morte. Fator decisivo para que a valorização do ser integral (corpo e Espírito) dite as regras dos governos das nações no Terceiro Milênio: Quando garoto, devia ter 9 para 10 anos, assisti com meu pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000), no Rio de Janeiro, a um filme sobre o 14 de Julho.
Nos séculos 17 e 18, o absolutismo monárquico atingira intensa projeção. Como geralmente acontece nas relações cotidianas, se afastadas do respeito ao Espírito Eterno do ser humano, houve por parte da monarquia francesa um descaso tremendo com as necessidades básicas do seu povo, cuja expressão mais grotesca seria a frase que teria sido proferida pela rainha Maria Antonieta (1755-1793), ao ser informada por um dos cortesões de que o barulho que a importunava vinha das massas famintas clamando por pão: “Por que não comem brioche?”.
Tal contingência desumana tinha de desmoronar por força do curso inexorável da História. A população de Paris, em 14 de julho de 1789, desesperada, marchou contra a prisão, símbolo da tirania de que desejava livrar-se.

Abrir caminhos
Nesse filme há uma cena impressionante. Ela representa as pessoas que não temem abrir caminhos: o povo estava de um lado e aqueles que protegiam a Bastilha, do outro. Entretanto, os que ameaçavam invadi-la, com temor, não avançavam. De repente, um homem destacou-se do meio daquela multidão e atravessou a ponte que cobria o fosso, sendo abatido por uma descarga de tiros. Esse ato de coragem fez com que os demais o imitassem e, assim, conseguissem entrar na fortaleza. Parece perspectiva romântica de um momento trágico, porém retrata de modo irretocável uma verdade: há sempre alguém que se sacrifica pela mudança substancial do status quo. Não é preciso levar bala para que as transformações ocorram. Há outros choques que ferem mais os vanguardeiros, a exemplo da incompreensão, da inveja, do preconceito, da perseguição e do boicote.
Na sequência do longa-metragem, observamos a tomada da prisão, destruída de cima a baixo.
Existem aqueles que, tentando minimizar o fato histórico, apresentam uma argumentação frugal de que o famoso cárcere não mais tinha relevância naquele período, pois apenas uns poucos presos lá se encontravam.
Ora, o que o povo demoliu não só foi a construção de pedra; no entanto, o mais expressivo emblema, para ele, do absolutismo dinástico!
E a palavra dinastia pode, por extensão, significar muita coisa, uma vez que funciona tanto no feudalismo quanto na burguesia, no capitalismo e no próprio comunismo. Dinastia não implica somente a sucessão por sangue. Existe uma pior: a da ambição desmedida que arrasa o ser vivente, sob qualquer regime.

Uma nova civilização
Hoje se faz necessário pôr abaixo as bastilhas invisíveis, todavia, de consequências bem palpáveis: espirituais, morais, psicológicas, do sentimento.
Façamos florescer uma civilização nova a partir da postura mental e espiritual elevada de cada criatura. Já dizia o filósofo: “A fronteira mais difícil a ser transposta é a do cérebro humano”. O homem foi à Lua, mas ainda não conhece a si mesmo.
O Templo da Boa Vontade — aclamado pelo povo como uma das sete maravilhas de Brasília e que, segundo dados oficiais da Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF), é o monumento mais visitado da capital do país — convida as criaturas a essa epopeia de empreender uma viagem ao seu próprio interior. Feito isso, sair até mesmo da Via Láctea será facílimo: desde que descubramos o âmago celeste de nosso ser, pois, na verdade, para o Espírito, o espaço não existe.
Assegurou Jesus: “Tudo é possível àquele que crê” (Evangelho, segundo Marcos, 9:23).

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

10jul/17

LBV celebra seus 54 anos de atuação em Ipatinga

Em um clima de muita alegria, a Legião da Boa Vontade (LBV) vai comemorar seus 54 anos de fundação na cidade de Ipatinga/MG. São mais de cinco décadas realizando campanhas e desenvolvendo programas socioassistenciais pela melhoria da qualidade de vida das pessoas atendidas neste município.

O evento comemorativo será realizado dia 05 de julho, quarta-feira, às 9 horas. A iniciativa conta com o importante apoio de parceiros, colaboradores e voluntários que ajudam a tornar possível e, com qualidade, o atendimento prestado à meninas e meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente!, provenientes de famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e/ou pessoal.

Para abrilhantar a cerimônia, as crianças farão uma apresentação musical em agradecimento a todos que, ao longo destas décadas têm ajudado a LBV a transformar para melhor a vida de todos que são atendidos nesta Unidade da instituição.

Serviço:
Evento: Comemoração dos 54 anos de trabalho da LBV em Ipatinga/MG
Data: 05 de julho (quarta-feira)
Horário: 9 horas
Local: Centro Comunitário de Assistência Social da LBV
Endereço: Rua João Patrício de Araújo, 225, Veneza I — Ipatinga/MG
Informações: (31) 3822-8600 | www.lbv.org

04jul/17

O patrimônio da Caridade

Paiva Netto
A Caridade é o conforto de Deus para as Almas e o relacionamento cordial entre criaturas que firmemente desejam a preservação deste mundo. Ela é uma função espiritual e social, não apenas um ato particular de socorrer apressadamente o mais próximo. É uma política dignificante, um planejamento humanitário, uma estratégia, uma logística de Deus, entendido como Amor — “Deus é Amor” (Primeira Epístola de João, 4:8) —, a nós oferecida, de modo que haja sobreviventes à cupidez humana. A Caridade é a Força Divina que nos mantém de pé. Sabemos, e basta ir ao dicionário, que Caridade é sinônimo de Amor. Portanto, é respeito, solidariedade, companheirismo, cidadania sem ferocidades. O mundo precisa de carinho e Amor. Quem diz que não quer ser amado está doente ou mentindo, o que, no fundo, no caso em questão, é a mesma coisa. Pode ter certeza de que a pessoa está gritando lá dentro: “Socorro! Preciso ser amado! ou, preciso ser amada! Mas não tenho coragem de dizer! Tenho vergonha de reivindicar, um pouco que seja, da Fraternidade dos meus irmãos humanos! Mas escutem o meu apelo desesperado e silencioso!”.
Como escrevi em Como Vencer o Sofrimento (2002), o Amor revela a Luz, e a Luz espanta a treva. Que mais quereremos nós? O ser humano tem carência de Amor verdadeiro. É o que muitos dirigentes dos povos em definitivo precisam entender. Governa bem aquele que governa o coração. Exclamam alguns: “— Ah, eu não falo em Caridade!”. Infelizmente creem que ela se resume em dar às pressas esmola ao mendicante que os interpela. Já estão em falta quando se irritam diante do necessitado, que em geral é efeito e não causa. Devem refletir sobre este ditado latino: “Hodie mihi; cras, tibi”. (Hoje, eu; amanhã, você). Ou seja: agora, o pedinte é ele; amanhã, poderemos ser nós. O pior é que alguns transferem essa “amofinação” para um sentimento elevadíssimo, que é a Caridade, que eles não entendem muito bem, mas que se personifica na cola que junta as partes separadas da sociedade mundial. Enfim, Caridade é a esperança que repousa em Deus.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

28jun/17

LBV promove 5º Concurso de Desenho Infantojuvenil

Anualmente, a Legião da Boa Vontade (LBV) promove o Concurso de Desenho Infantojuvenil, direcionado a crianças e adolescentes com idade entre 6 e 18 anos, que participam dos programas socioeducacionais desenvolvidos nos Centros Comunitários de Assistência Social e nas escolas da Instituição. Neste ano, os trabalhos são norteados pelo tema “Retrato da biodiversidade brasileira – Educar. Preservar. Sobreviver. Humanamente também somos Natureza”, temática essa inspirada em teses do diretor-presidente da LBV, José de Paiva Netto.

A iniciativa tem como objetivo estimular a criatividade e a reflexão sobre a biodiversidade no Brasil e estimular a utilização do desenho como forma de comunicação e expressão. As obras serão selecionadas por critérios de criação, capricho e se atendem a temática. Os desenhos escolhidos estamparão parte do material que comporá o kit da próxima edição da campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro!, a ser entregue em 2018.

Para esta 5ª edição do concurso, o Centro Comunitário de Assistência Social da LBV em Ipatinga, recebeu uma comissão de jurados residentes na cidade, composta por escritor, assistente social e voluntários para a escolha dos melhores desenhos. Vale ressaltar que, em 2015, um dos vencedores foi a pequena Lis Lainy, de 6 anos, atendida pela LBV em Ipatinga.

Esta e muitas outras iniciativas da LBV que promovem o desenvolvimento humano e social de seus atendidos podem ser conferidas acessando o site www.lbv.org. Em Ipatinga/MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 – Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822 – 8600.

19jun/17

Erradicar o trabalho infantil

Paiva Netto

Volto ao assunto com o objetivo de contribuir para a erradicação desse preocupante quadro social. É preciso maior discernimento de todos nós dos malefícios que o trabalho infantil traz às novas gerações. As mulheres — que, por sinal, comemoram o seu dia em 8 de março, detentoras do sublime dom da maternidade — compreendem bem essa proteção especial que a sociedade deve às crianças.
Para a procuradora de Justiça dra. Maria José Pereira do Vale, o primeiro passo para o sucesso dessa empreitada é modificar a cultura que acha benéfico para os pequeninos o trabalho na fase infantojuvenil.

Conscientização familiar
Coordenadora colegiada do Fórum Paulista de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, a dra. Maria José, ao participar do programa Sociedade Solidária, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), apresentou providencial campanha promovida entre organizações da sociedade civil e o poder público, cujo slogan esclarece: “Criança que estuda pode escolher o seu futuro. A que trabalha não”.
Defendeu a procuradora: “Essa mudança de cultura que dá prevalência ao estudo requer uma conscientização dos pais. Eles têm de estar muito cientes de que o estudo é fundamental na vida dos filhos, que nessa fase têm de se ocupar com a escola, com as atividades e brincar. Brincar é um direito que está no nosso ordenamento jurídico, e a brincadeira influi, e muito, no crescimento da criança e estimula a criatividade. É muito importante também para a fase adulta”.

O que é trabalho infantil?
Quanto aos adolescentes, de acordo com a legislação trabalhista brasileira, a dra. Maria José enfatizou que “eles podem trabalhar a partir dos 16 anos. Essa é a idade permitida por lei com registro em carteira, desde que não seja em hora extra, turno noturno e atividades que comprometam o desenvolvimento da sua moralidade”.
Existem, porém, casos em que o indivíduo ingressa no mercado de trabalho a partir dos 14 anos. A procuradora explicou: “Trata-se de um contrato de aprendizagem. Além do registro em carteira, ele propicia ao adolescente o estudo de uma ocupação, que o tornará, em dois anos, um profissional na área em que atua”.
Conforme ela ressaltou, nosso país é signatário da Convenção Internacional 182, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que proíbe as formas mais graves de trabalho infantil, entre as quais a exploração sexual e o trabalho nos lixões e no meio de substâncias entorpecentes. As penas para esses crimes são severas.
Você sabe que, em pleno terceiro milênio, o Brasil ainda possui 3,3 milhões de crianças envolvidas com o trabalho infantil? Os dados constam de pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2014, divulgadas em 2015.
Se presenciar a exploração de crianças e adolescentes, ligue — de qualquer parte do território nacional brasileiro — para o Disque-denúncia da Procuradoria Regional do Trabalho da 2a Região: 0800 11 1616.
Grato, dra. Maria José, pelas elucidativas informações. Na Legião da Boa Vontade, há décadas, oferecemos o programa Criança: Futuro no Presente!, que colabora para o protagonismo de crianças e adolescentes de 6 a 15 anos em situação de vulnerabilidade social, considerando a história de vida e as singularidades deles. É uma ação que proporciona reforço didático, desperta, pelo lúdico, competências e habilidades, promove os valores espirituais, éticos e ecumênicos e integra a família.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

09jun/17

Dia dos Namorados

co aos que se amam — e os enamorados pela vida também estão incluídos — trecho de uma prece ecumênica que proferi, de improviso, na Super Rede Boa Vontade de Rádio:
Ó Jesus, cuja misericórdia nos sustenta, hoje o nosso pedido é em favor daqueles que se amam, se unem, se casam, que pela força do Amor enfrentam as dificuldades do caminho, criam seus filhos — se os têm — e avançam na direção de Deus, o Amor Supremo que liga realmente os corações dos que se amam.
Amor é medicina para a Alma. É o segredo do sucesso permanente. Amor, ensinamento de Jesus, é, nesta definição do Apóstolo Pedro (I-4:8), o poder que “cobre uma multidão de pecados”, isto é, quem age em função dele transforma seus erros e os dos demais em semente para tempos melhores; constrói a segurança que o mundo, por desfazer do Amor, não consegue realizar ainda. O segredo está em saber amar na medida deixada por Ti, Cristo Ecumênico, Divino Estadista, para todos os povos, porque o Amor derruba as fronteiras. É a maior força da Vida. É o que sustenta todas as obras de Boa Vontade. Que nos impede de claudicar. Que nos alimenta e nos dá força, afastando de nós as carências.
É ele, o Amor, que vibra nas nossas Almas, que mantém juntos os que realmente se respeitam. Por isso, se amam, e amam-se porque se respeitam. Para todos esses, sem exceção, o nosso pedido a Deus, ao Cristo e ao Espírito Santo para que se realizem no Amor eternamente.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

06jun/17

LBV promove ações de educação ambiental e distribui mudas de árvores

Com objetivo de conscientizar sobre a importância da preservação e valorização do Meio Ambiente, a Legião da Boa Vontade (LBV) promoveu, nesta segunda-feira 5/6), ações de Educação Ambiental voltadas às crianças e aos adolescentes atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social em Ipatinga/MG. A iniciativa que celebrou o Dia Mundial do Meio Ambiente contou com exibição de filme temático, elaboração de oficinas de desenho e de pintura no azulejo, além de exposição e distribuição de mudas de árvores.

A garotada também participou da elaboração de desenhos para a edição 2017 do Concurso de Desenho Infantojuvenil promovido pela LBV, sob o tema “Retrato da Biodiversidade Brasileira”. Ao término das oficinas ocorreu uma exposição aberta ao público com os trabalhos produzidos pelos meninos e meninas e distribuição de mudas de árvores frutíferas e ornamentais. Os desenhos ganhadores do concurso estamparão parte do material que comporá o kit de material pedagógico que a LBV entregará em 2018.

“Das atividades que mais gostei foi da distribuição de mudas, porque interagimos com as pessoas e percebemos o quanto elas estavam gostando de receber uma planta. Foi muito legal ouvir as pessoas agradecer e dizer que estamos de parabéns, que a LBV está no caminho certo, que é para continuarmos, porque com certeza vamos ajudar a melhorar o planeta”, falou emocionada Sthefane Vitoria, 12 anos.

A pequena Ana Lívia, 8 anos, disse que aprendeu muito: “Gostei mais da pintura no azulejo, porque a gente exercitou o pensamento de cuidar bem do meio ambiente e eu gosto muito de pintar. Aprendi que tem que deixar o meio ambiente bem limpinho, águas limpas, tem que plantar bastante árvores. A gente mora nesse lugar, então tem que ter um cuidado especial. Aqui [na LBV] é um lugar muito legal, a gente aprende como cuidar do meio ambiente da maneira correta”, destacou Ana Lívia.

Ao entregar as mudinhas de plantas para as pessoas, Lívia perguntava se elas ajudavam a conservar a Natureza, quais são os cuidados que o meio ambiente merece e exclamava: “Hoje é o Dia Mundial do Meio Ambiente que a gente tanto ama!”.

Na Legião da Boa Vontade, esse trabalho de educação ambiental é permanente. Há décadas, a Instituição promove ações de não desperdício da água, dos cuidados que se deve ter com os recursos naturais, além de outros temas de preservação da Natureza e ao comportamento sustentável.

A gestora administrativa da LBV, Rariane Oliveira, reforça a ação da LBV nestes mais de 67 anos de fundação: “Existe atualmente uma preocupação muito grande acerca do meio ambiente e dos impactos negativos da ação do homem. A Legião da Boa Vontade busca conscientizar os atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social por meio de ações educativas que gerem impactos, incentivem a mudança imediata de hábitos, que despertam o interesse pela reciclagem e pela reutilização de materiais, por meio de oficinas socioeducativas com as crianças e suas famílias”.

A educadora social da LBV Rosimery Teixeira complementou: “As crianças e adolescentes foram muito participativos se envolveram tanto nas oficinas quanto na abordagem às pessoas para entregarem as mudas. Surpreenderam nas palavras que diziam, demonstrando entendimento sobre o assunto, conseguindo transmitir o que aprenderam com segurança e clareza”.

Quer saber mais sobre as ações da LBV em Ipatinga? Anote o endereço do Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade: Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I — Tel.: (31) 3822-8600. Informações acesse www.lbv.org

01jun/17

Web, educação e poder

Não é novidade que a internet se tornou ferramenta indispensável em nossa rotina. Ao acessá-la, vêm abaixo fronteiras antes intransponíveis para a maioria dos cidadãos. Contudo, jamais nos esqueçamos — também para o bom uso do meio cibernético — de que educação é poder. Sem o devido ensino, aliado à Espiritualidade Ecumênica, o manuseio desse influente recurso pode ser desastroso.
A dra. Lilian Castelani, especialista em Direito Eletrônico e Processo do Trabalho, de São Paulo/SP, fez um comentário de recorrente interesse das famílias:
“O principal perigo no mundo virtual é a exposição exacerbada. As pessoas não estão preparadas para usar a internet. Elas têm que ter maior responsabilidade pelo que vão publicar, principalmente nas redes sociais, nas quais a gente expõe as ideias, os nossos familiares, a nossa imagem. É importante adequar aquilo que deve, de fato, ser passado para a frente, porque, colocado na internet, está para o mundo. Dissemina-se muito rápido a informação, e ela hoje é muito valiosa”.
Recomenda a dra. Lilian: “Seja nas redes sociais ou quando você vai comprar um serviço qualquer na internet, é preciso avaliar se o site é idôneo, se os termos de uso estão de acordo com aquilo que você acha certo. Tomar esses pequenos cuidados é primordial para uma boa segurança da sua privacidade. Senão você será vítima de ilícito por culpa própria”.
O respeito ao próximo foi também ressaltado pela advogada: “É muito importante saber se o que você está colocando na internet vai magoar um terceiro, se será realmente útil para alguém ou até para si mesmo”.
Muita atenção agora ao que disse a dra. Lilian: “Às vezes, as pessoas postam fotos íntimas e não sabem a repercussão que isso vai dar na internet. Com um clique, isso se dissemina para milhões de pessoas, é imensurável para quantas outras daí em diante. E para tirar da internet é muito difícil! A gente consegue a retirada do ar de ilícitos, mas de coisas que você mesmo coloca é complicado, e daí você está exposto ao cyberbullying, a humilhações. É preciso cautela ainda ao expor opiniões muito polêmicas. Então, tem que tomar esses cuidados na hora de colocar a cara na internet”.
O sociólogo Daniel Guimarães, do programa Sociedade Solidária, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), expôs à dra. Lilian este quadro: “As crianças e os adolescentes são usuários ávidos dessas tecnologias. É comum as dominarem mais do que os próprios pais e, em geral, não têm tanta maturidade para compreender a questão dos limites”.
A orientação da especialista em Direito Eletrônico é que “os pais devem estar atentos à rotina da criança. Por exemplo, não deixar computador de maior uso em ambientes fechados, deixar em locais de maior circulação. Tudo bem que é difícil; hoje há os smartphones, os tablets. Mas a atenção do pai tem que ser sempre maior, observar o comportamento da criança, conversar com ela. Acho que proibir é tirá-la da sociedade hoje, porque ela está inclusa nesse meio social do virtual. Então, pelo bate-papo, deixar mais próximos pais e filhos. Entender que, às vezes, um ato do filho pode responsabilizar o pai de um crime, porque ele é responsável pelo filho. O pai não pode chegar em casa cansado e dormir. Não! Vamos saber como foi o dia e ver se o filho está mais chateado ou não. Acho que essa conversa em família é que dá maior responsabilidade”.
Para a dra. Lilian, “a palavra de ordem é educação”. Esse é o caminho para se prevenir dos crimes, que, segundo ela, “estão aí, são os mesmos, os meios é que são alterados. E hoje a gente está com uma ferramenta digital que dá uma disseminação para os crimes muito maior. Educar-se para mexer com internet é a grande segurança. Dar-se privacidade, tomar cuidado com o que expõe são as medidas mais coerentes para trafegar nesse mundo”.
Grato, dra. Lilian Castelani, pelos esclarecimentos de grande utilidade social.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

23maio/17

O que é urgente para você?

pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 7 milhões de pessoas convivem com a fome no Brasil. A pesquisa mais recente, publicada em 2014, constatou ainda que, em 2,1 milhões de domicílios, pelo menos uma pessoa passou um dia inteiro sem comer pela falta de dinheiro para comprar comida.

Toda ação é importante para ajudar a minimizar o sofrimento das pessoas que passam por esse desafio. Na maioria das vezes, para muitas famílias, a Solidariedade é o único recurso. Por isso, além de todo o trabalho diário que realiza em suas 81 unidades de atendimento, a Legião da Boa Vontade (LBV) promove ações permanentes em apoio às populações que padecem. Umas das iniciativas é a campanha Diga Sim!, por meio da qual a LBV mobiliza a sociedade a fazer doações e, mediante os recursos, entrega, neste período do ano, cestas de alimentos e cobertores para famílias que enfrentam a seca e as baixas temperaturas. A campanha, nesta edição, tem como slogan “O que é urgente para você?” e chama a atenção da sociedade para o que é prioridade para as famílias que dependem do alimento para sobreviverem ou de, pelo menos, um cobertor para que estejam aquecidas no inverno.

A LBV tem como meta entregar, nos meses de maio a julho, 11 mil cestas de alimentos, contendo itens básicos e que estejam de acordo com os costumes regionais, para famílias nos seguintes Estados: Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Sergipe e Tocantins; e 15 mil cobertores no Distrito Federal e nos Estados do Mato Grosso do Sul, do Paraná, de Santa Catarina, de São Paulo e do Rio Grande do Sul.

As doações para a campanha podem ser feitas acessando o site www.lbv.org/digasim, pelo 0800 055 50 99 ou, ainda, diretamente em uma das unidades da Instituição (ver endereços no site www.lbv.org).

Quando a LBV chamar, atenda com o coração. DIGA SIM! Acompanhe a Legião da Boa Vontade pelas redes sociais: Facebook (LBVBrasil), YouTube (LBVBrasil) Twitter (@LBVBrasil) e Instagram (@LBVBrasil).

15maio/17

Até quando cativos?

Paiva Netto
Dezoito de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Trata-se do cumprimento da Lei 9.970, de maio de 2000.
Segundo o Comitê Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, “a data é uma lembrança a toda a sociedade brasileira sobre a menina sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com 8 anos, quando foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. Muita gente acompanhou o desenrolar do caso, poucos, entretanto, foram capazes de denunciar o acontecido”.
Já se passaram mais de 40 anos desse lamentável episódio! É verdade que muitas louváveis iniciativas pelo país se empenham para evitar novas Aracelis. Contudo, até agora, não foi possível impedir que outras vítimas surjam a cada dia.
O brado renovado aqui é que a sociedade e seus órgãos constituídos jamais fechem seus olhos para tamanha calamidade. Esse “seriado” horripilante, cujas temporadas prosseguem ininterruptas e ainda sem data de término, não é uma ficção. A realidade de dramas inumeráveis continua clamando por mais segurança, bom senso, atitudes preventivas, justiça e caridade de todos nós.
E nada melhor do que abordarmos esse horror no ensejo da celebração da Lei Áurea no Brasil (13 de maio). Enquanto um só indivíduo, independentemente de sua etnia – seja criança, adolescente, jovem, adulto, idoso, mulher, homem – sofrer qualquer tipo de violação de seus direitos de cidadania, vivenciaremos um estado de cativeiro.

Marca da inclusão
Sob diferenciado espírito acolhedor, funciona a nossa rede de ensino pelo país, na qual desenvolvemos a Pedagogia do Afeto e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, diretrizes da linha educacional que adotamos, que têm como alicerce a Espiritualidade Ecumênica.
Em 2014, o Conjunto Educacional Boa Vontade, em São Paulo/SP, recebeu integrantes da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP): a professora doutora Emília Cipriano Sanches, do curso de Pedagogia; a professora Regina Helena Zerbini Denigres; e as estudantes de Pedagogia Isadora Prados, Gabriela Romera, Melissa Rodrigues, Adriana Rocha e Paula Scobosa.
O Coral e o Grupo de Instrumentistas Infantojuvenis Boa Vontade as recepcionaram com uma canção de boas-vindas e uma música em Libras (Língua Brasileira de Sinais), que eles aprendem em sala de aula.
A dra. Emília Sanches, também coordenadora da Consultoria e Assessoria Educacional Aprender a Ser, destacou aos alunos: “Uma emoção muito grande! Quem educa educa para transformar, e vocês estão transformando. Fiquei olhando a expressão de cada um, a felicidade. Agradeço com muito carinho por vocês me fazerem acreditar que é possível ter crianças e jovens trabalhando numa perspectiva de transformação. A música que apresentaram traz uma mensagem maravilhosa, que é da inclusão. E a grande marca desta Instituição é a inclusão. Parabéns por fazerem essa verdade da inclusão se manifestar nas nossas vidas. Muito obrigada!”.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

12maio/17

LBV comemora Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

“Os pais devem conversar muito com os filhos sobre sexualidade, orientar, incentivar a falarem, não guardarem segredo”
A Legião da Boa Vontade (LBV), em Ipatinga, recebeu na manhã desta quinta-feira, 11, a equipe do projeto “Fique de Olho – Disque 100”, desenvolvido pelo Núcleo de Atendimento e Aprendizagem de Adolescentes e Jovens (EPTOM), que atua no enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, incentivando a participação e o protagonismo juvenil.
O EPTOM realiza ações de mobilização da população por meio de intervenções em entidades, escolas e audiências públicas, para que denunciem abusos. Na LBV também esta equipe é muito bem-vinda e realiza pela segunda vez atividades em seu Centro Comunitário de Assistência Social com crianças e adolescentes que participam do programa Criança: Futuro no Presente!
Visto que se trata de um assunto de extrema importância, sendo necessário um trabalho contínuo, por ocasião ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado no dia 18 de maio, a Instituição decidiu realizar para os meninos e as meninas atendidos diversas atividades abordando novamente a questão da exploração e abuso sexual.
O tema foi abordado com todos os atendidos formando dois grupos. Com as crianças, de forma lúdica foi realizado uma contação de história, roda de conversas e desenhos explicando sobre abuso e violência, ensinando que nunca devem ficar calados se acharem que estão sendo abusados.
O pequeno Kaic Miguel, 8 anos, disse o que entendeu com as orientações: “A gente precisa conversar com os nossos pais sobre abuso e violência sexual. Não é feio e não precisa ter vergonha porque eles podem ajudar a não acontecer isso porque eles sabem quando alguém quer fazer maldade com a gente. Temos que ser respeitados na nossa casa, na casa dos colegas, na escola, em todo lugar, não pode deixar ninguém passar mão falando que está fazendo carinho porque é mentira”.
Para os adolescentes, após assistirem a um filme sobre o tema, em uma roda de conversas discutiram o assunto com uma linguagem mais avançada, participaram de uma dinâmica, sempre reforçando a importância de não se calar. Vejam o aprendizado da adolescente Kamylly Iolanda, 12 anos:
“Nem sempre é fácil conversar sobre abuso e violência sexual porque é muito íntimo, deixa a gente com vergonha, parece que acham que a gente está praticando isso. Mas, temos que parar de ter vergonha e conversar sempre e assim evitamos que possa acontecer com a gente, é conversar para ficarmos mais atentos e com mais cuidado. As vezes a gente acha que não está sendo abusado porque não tem conhecimento, então quanto mais orientação tivermos será bom para nossa segurança”. Isso mesmo Kamylly!
Sobre as atitudes preventivas que os pais devem ter, a coordenadora do Projeto, Ana Cláudia Silva ressaltou: “Os pais devem conversar muito com os filhos sobre sexualidade, orientar, incentivar a falarem, não guardar segredo. Muitos sofrem por falta de instrução. Devem conhecer os amigos de seus filhos e suas famílias e estimular a não ficarem isolados. Por isso é necessária muita atenção no sentido de protegê-las. Para identificar se a criança está sendo vítima de abuso é observar se houve mudança de comportamento, se está agressiva, calada, o rendimento escolar. Se ao dormirem, acordam assustados, algo errado está acontecendo. Se achar necessário, procure ajuda de um psicólogo”.
A LBV proporciona, durante todo o ano, orientações que contribuam para uma qualidade de vida melhor porque se preocupa com as crianças, adolescentes e suas famílias. “A LBV trabalha sempre temas de extrema relevância. Precisamos mobilizar toda a sociedade para criarmos uma rede de proteção para os atendidos”, disse a assistente social da LBV, Cristina de Vasconcelos.
“A gente vê aqui que as crianças são bem tratadas, um ambiente muito agradável, aqui vocês têm falado nesse assunto, tenho certeza de que vocês são parceiros nesta luta que é de todos nós”, ressaltou a assistente social e coordenadora do projeto, Ana Cláudia Silva.
A Instituição entende que quando as crianças conhecem os direitos e deveres crescem como cidadãos conscientes e tornam o mundo melhor. Por isso, em todas as suas Unidades, os mais valorosos sentimentos fazem parte dos projetos oportunizando aos atendidos vivenciá-los dia a dia.
Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

08maio/17

Dia do Trabalho

Paiva Netto

O primeiro Congresso da LBV dedicado aos Trabalhadores de Boa Vontade ocorreu no Rio de Janeiro/RJ, a 1o de maio de 1983, na sede do Botafogo Futebol e Regatas. A LBV, desde Alziro Zarur (1914-1979), seu saudoso fundador, chama esses milhões de batalhadores de Irmãos Operários de Deus, porque não há incentivo maior do que colocá-los sob a Proteção Divina. É preciso acreditar no brasileiro, que só pede seja respeitado, para que o tão auspicioso milagre aconteça. O povo trabalha! E, se há no Brasil quem não o faça, certamente não é ele.
Naquela ocasião, tendo como lema: “Todos somos iguais perante Deus. O trabalho é que estabelece as diferenças”, assim me expressei: Quem é o exemplo de trabalhador? Jesus, no planeta Terra, porque o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, que é o nosso modelo e em Quem sempre vamos buscar inspiração, disse que o maior de todos é o próprio Deus: “Meu Pai não cessa de trabalhar” (Boa Nova do Cristo, segundo João, 5o:17). Como podemos abrir mão da melhor referência? O mundo carece de bons exemplos. Não existem maiores que Deus e Jesus. (…) Eis, pois, que o Pai Celestial é o Operário-Padrão para o Universo, e o Cristo, para este orbe. Ora, que querem os Irmãos trabalhadores senão uma vida mais digna? E, quando falo neles, não me refiro apenas ao Irmão proletário, mas aos homens e às mulheres de diferentes condições sociais que realmente laboram, porque todos somos operários em nossa existência.
Em 1988, nessa mesma data (1o de maio), encontrava-me na capital fluminense para comandar o 6o Congresso dos Irmãos Operários de Deus. Naquela oportunidade, ao ser entrevistado, comentei com o repórter Lorival Vitorino, da Rádio Nacional:
Espalhou-se no Brasil uma ideia contra a qual me levanto: a de que o brasileiro é malandro. Surpreendentemente há aqueles que, de forma jocosa, divulgam esse ponto de vista, quase que aderindo à calúnia. Ora, quem vemos pelas madrugadas pendurados nos ônibus e trens? Pessoas que só conseguem estar com seus filhos no fim de semana. E quando conseguem!… A gente brasileira labuta, sim senhor! A elite de um país é o seu povo!

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

04maio/17

“Pequeno Consumidor” é tema de projeto na LBV em Ipatinga

De acordo com a cartilha da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor Seja um Consumidor Consciente, “a defesa do consumidor é tarefa bastante difícil e depende da consciência e informação do próprio consumidor, para que ele seja protegido de atitudes abusivas e desleais por parte dos fornecedores. Assim, para que os direitos do consumidor sejam resguardados, o primeiro passo é conhecê-los”.

Então, orientações corretas precisam ser conhecidas desde a infância para que a vivência de direitos e deveres seja plena. Por isso, a Legião da Boa Vontade (LBV) desenvolveu, na cidade de Ipatinga, durante um mês e meio, o projeto “Pequeno Consumidor” com crianças e adolescentes atendidos em seu Centro Comunitário de Assistência Social.

Neste período, meninos e meninas aprenderam informações básicas, necessárias à proteção de seus direitos no dia a dia. Roda de conversa, pesquisas, vídeos/filmes sobre o assunto, palestra com advogados do Procon, visita à estabelecimentos comerciais, confecção de cartazes e cartilha do Pequeno Consumidor, teatro e gincana foram algumas das atividades realizadas durante o projeto.
“Eu gostei muito de aprender sobre os direitos do consumidor! Eu não sabia que se alguém comprasse um produto com problema, poderia devolver. Das atividades que fizemos, a que mais gostei foi de assistir a um filme que mostra muitos direitos que o consumidor tem e eu descobri mais coisas que não sabia, foi muito bom! Gostei também da palestra com os advogados e aprendi que o Procon existe para nos ajudar”, destacou a atendida Hilari Souza, 11 anos.
A atendida Rayane Pereira, 13 anos, citou ainda mais detalhes de seu aprendizado: “Eu não imaginava que tínhamos tantos direitos, como por exemplo, se no produto tiver um preço e na hora de pagar aparecer outro preço, temos o direito de pagar o valor mais barato. O que mais gostei foi de visitar vários comércios, fazer pesquisa de preço, verificar a data de validade dos produtos, a higiene e outras coisas que devemos olhar quando formos comprar e sempre pedir nota fiscal. Agora vou prestar mais atenção quando eu for comprar ou acompanhar minha mãe. E se tiver alguma coisa errada, hoje sei que posso falar e se não me atenderem posso ir ao Procon”, disse. Parabéns, Rayane!

O encerramento do projeto aconteceu na última quinta-feira, 27, com apresentação teatral durante o Encontro de famílias para os pais e responsáveis. A garotada demonstrou através da peça que realmente aprendeu sobre Direitos e Deveres do consumidor e qual órgão público devem procurar para ajudá-los a resguardar esses direitos.
“É muito importante as crianças aprenderem sobre os direitos que temos. O teatro foi muito legal, eles mostraram direitinho o que devemos fazer se acontecer algo parecido com a gente e deram exemplos de coisas que acontecem na realidade. Colocar meu filho na LBV foi a melhor coisa que eu fiz. Aqui ele está em um ambiente seguro, protegido e aprendendo somente coisas boas que poderá levar para a vida toda. Agradeço a todos da LBV que sempre tratam com muito carinho meu filho e a mim também. Agora estou desempregada. Se preciso de ajuda, sou bem atendida”, destacou a mãe, senhora Ivone Ferreira.

A educadora social Patrícia Costa ressaltou a importância de as crianças reconhecerem seus direitos e se conscientizarem sobre o seu papel de consumidor: “Devido ao descaso que presenciamos todos os dias perante a este tema, notamos a necessidade de trabalhar as questões de direitos e deveres do cidadão, os valores éticos e despertar nas crianças e adolescentes a necessidade de agir perante uma injustiça, ter atitudes de cobrar e manter as suas responsabilidades. Precisamos contribuir na formação e conscientização dos usuários para que tenhamos bons cidadãos”.

Em Ipatinga/ MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

03maio/17

Oração, trabalho e Paz

Paiva Netto

Meu filho mais novo, hoje um adolescente, desde pequenino, ao proferir com nossos familiares e amigos uma breve prece à mesa antes das refeições, sensibiliza a todos com um simples mantra, que poderia resumir grandes compêndios de sabedoria, aquela que compartilha Solidariedade sem fronteiras de qualquer espécie. Exclama o jovenzinho:
“Deus, peço-Te que não falte a comida no prato de ninguém nem no nosso!”.
Por ocasião do Dia do Trabalho, 1o de maio, e diante de desafiadoras lutas que os povos enfrentam pelo mundo, é de muita valia invocar aos Poderes Celestiais análoga súplica: Que não falte o decente meio de ganhar o próprio sustento a nenhum dedicado trabalhador e nem aos nossos familiares! Amém!
Façamos juntos essa rogativa, mas na atuante esperança de que esse “assim seja” encontre, nos planos de governos do mundo, acertadas providências que atendam às urgentes necessidades das populações.
Seres humanos bem empregados e devidamente valorizados em seus esforços são garantia de Paz e sustentável progresso para todos.
José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

24abr/17

Sua doação vale muito

Com o imprescindível apoio de seus colaboradores, a Legião da Boa Vontade (LBV) trabalha há mais de 67 anos para ajudar na transformação do Brasil. Diariamente, ela ampara crianças, adolescentes, jovens, adultos, gestantes e idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio de suas 81 unidades de atendimento, compostas por Centros Comunitários de Assistência Social, lares para idosos e escolas. Desta maneira, fornece aos atendidos condições e informações a fim de que possam buscar os próprios direitos e, ainda, colaborar para a construção de uma sociedade melhor.

Saiba como ajudar a LBV
Você pode se tornar um voluntário, ajudar a divulgar esta iniciativa ou, então, contribuir financeiramente, doando alimentos não perecíveis e enxovais para bebês. Um simples gesto pode melhorar a vida de muita gente. Indique amigos, familiares, vizinhos e empresas para apoiarem as atividades que a Legião da Boa Vontade realiza em todo o Brasil. Acesse www.lbv.org/doe ou ligue para 0800 055 50 99. Acompanhe, siga, curta e compartilhe as ações da LBV nas redes sociais: youtube.com/LBVBrasil, facebook.com/LBVBrasil, twitter.com/LBVBrasil e instagram/LBV Brasil.

20abr/17

Brasil, berço da esperança

Paiva Netto

O Brasil é o berço de esperança de uma sociedade em que, a despeito de todos os dissabores, será possível viver em Paz consigo mesmo e com o próximo. Trata-se de terra generosa, em que a Solidariedade assumirá o papel de garantir o ensejo de uma vida próspera para todos, como descreveu o filósofo e sociólogo italiano Pietro Ubaldi (1886-1972): “A grande qualidade do Brasil, o que estabelece sua função vital, é o sentimento, o coração. Nesta terra estão as raízes daquela expansividade de afetos, que é a qualidade humana que, mais tarde, evoluindo, será a mais apta a sublimar-se no amor evangélico”.
Ainda teremos uma pátria em que cada um se sentirá incluído no significado maior da existência humana e cidadã: louvar o Criador enquanto serve à criatura, porque esta particulariza o sagrado altar no qual Ele deve ser adorado. Não há outra forma de engrandecer a Divindade, que é Amor, aliando Fé à Ação, construindo uma Política que tenha o bem-estar do povo, a ter início no elevado ensino para a sua Alma, como meta. É um trabalho que leva tempo? É um ideal ilusório?! Grande equívoco o de quem pensa assim. Há bastante tempo, Jean-Baptiste Descuret (1795-1872) demonstrou que “muito se engana quem acredita poder afirmar que a paciência é a força dos fracos, pois é preciso ser muito forte e moderado para tê-la em qualquer ocasião”. (…) Há leitores ateus que me honram com sua cortesia às minhas modestas considerações. A eles, com humildade, digo que, no tocante a Deus, pode ser entendido como Fraternidade e Solidariedade, a melhor maneira de viver como povo. (…) O Brasil realmente será o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho-Apocalipse, apesar de todos os que ainda querem espalhar frustração por onde a Esperança persevera. Ensinou Jesus: “O que não é possível ao homem para Deus é sempre possível” (Boa Nova, segundo Mateus, 19:26).

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

11abr/17

Morte e Ressurreição

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Pelos milênios, a celebração da Semana Santa demonstra-nos o inigualável suplício vivenciado por Jesus, o Cristo Ecumênico, o Celeste Estadista, na Sua dedicação extremada em prol da Humanidade, como no drama do Getsêmani. Sendo Espírito sem mácula, o Ungido de Deus voluntariamente carregou nossos erros sobre Seus ombros, a fim de nos livrar da ignorância que origina a Dor.
Pouco antes de ser preso pelos beleguins do poder da época, de conformidade com a narrativa de Lucas (22:39 a 46), o Divino Crucificado reitera para todos nós:

Jesus no Getsêmani
“E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os Seus discípulos O seguiram. E, quando Jesus chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação! E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, afasta de mim este cálice; todavia, não se faça a minha vontade, mas a Tua.
“Então, Lhe apareceu um Anjo do Céu, que O confortava. E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o Seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.
“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos e os achou como que dormindo de tristeza. E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação”.

Jesus, o Senhor do Apocalipse, o Pão que desceu do Céu, doa a Sua própria vida
De que modo o ser humano pode manter-se acordado dignamente, perante Jesus e a Sua Política Eterna, a ponto de compreender o significado divino da Dor, que fez com que Deus O abençoasse com Poder e Autoridade? Alimentando-se do Pão que desceu do Céu, porquanto, antes da definitiva reforma social, necessário se faz realizar a do Espírito, mas com Amor, Fraternidade, Solidariedade e Generosidade. Afinal, as palavras e os exemplos do Sublime Ser, que derramou Seu sangue para o nosso resgate, constituem esse alimento eterno, consoante lemos nas Escrituras:
I —“Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém comer desse Pão, viverá eternamente” (Evangelho de Jesus, segundo João, 6:51); e
II — “(…) pelo Seu sangue [Jesus] nos libertou dos nossos pecados” (Apocalipse, 1:5).

Não há Política sem Amor Solidário
Como?! É o seguinte: dizer que Jesus nos libertou dos nossos pecados significa asseverar também que o Divino Mestre nos deixou um roteiro doutrinário excelente para nossa vitória. Ao seguirmos esse Sagrado Estatuto com verdadeiro espírito de Caridade e de Justiça, nos transformaremos no esteio de nossos semelhantes na Terra. Porquanto não há pecado maior do que a ausência de Amor solidário para com os cidadãos (ou cidadãs) de cada país.

E nós ressuscitamos com Ele
Prossigamos, pois, aprendendo com Jesus que, superando os dramas do Getsêmani e do Gólgota, ressuscitou dentre os mortos para conforto e esclarecimento dos corações terrenos. E repetiremos, então, o que bradamos em 1997, no Rio de Janeiro/RJ, no dia 31 de dezembro, na passagem do ano-novo: Jesus ressuscitou, e nós, com Ele. Graças a Deus!
A morte é apenas a abertura de novas experiências de vida. Todavia, que ninguém considere o violento ato do suicídio e suas trágicas consequências como uma escolha libertadora. Tudo, até a morte, tem leis disciplinantes.
Esses e outros modestos comentários fazem parte de meu livro Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade (2014), que, para meu gáudio, tem comovido muitos corações.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

07abr/17

Crianças e adolescentes da LBV assistem a um espetáculo musical, em comemoração ao dia do Livro Infantil

dia do livro-teatro (2)Nos Centros Comunitários de Assistência Social da Legião da Boa Vontade (LBV) a leitura é constante. Durante o ano, é intenso o convívio com os livros para que seja cada vez melhor o universo informacional dos atendidos. E a Instituição, ao celebrar o Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado neste 18 de abril, procura mostrar também as diferentes formas de se apreciar uma boa história, por exemplo através do teatro e da música.
Por isso, nesta quarta-feira, 05, a LBV propiciou às meninas e meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente! um divertido passeio ao Teatro do Centro Cultural Usiminas. Na oportunidade, eles assistiram ao espetáculo musical “O que você vai ser quando crescer? ”, que conta a história de um menino que sonha em ser mágico. E, ao sair perguntando aos que estavam ao redor o que eles queriam ser, as respostas abrem um novo caminho para o menino e ele começa a redimensionar os sonhos.
“Para mim a leitura é muito mais do que sentar e ler um livro. É ter criatividade e nos imaginarmos dentro da história, no lugar dos personagens. No teatro que assisti hoje, eu me imaginei produzindo a peça, protagonizando, então, eu amei o espetáculo! Eles cantam falando nomes de algumas profissões e mostrando que as vezes mudamos de ideia antes de cursar uma faculdade. Eu quero ser veterinária”, disse a atendida Andressa Mayra, 12 anos.
A pequena Ana Lívia, 8 anos, ficou encantada com este jeito divertido de apresentar uma história. “O passeio foi bem animado! No espetáculo, teve partes que nós rimos bastante, foi cheio de danças e músicas, tudo muito criativo. Nós comemoramos o dia do livro assistindo histórias contadas e cantadas, foi uma atividade bem diferente e legal. Eu gostei! ”, disse.
Despertar o gosto pelo Livro é uma proposta também das unidades socioeducacionais da Legião da Boa Vontade (LBV) que desenvolve diversas atividades com os atendidos sempre de forma lúdica e educativa. Em Ipatinga, a instituição realiza, há 53 anos, o seu trabalho socioassistencial. Por meio de oficinas lúdicas, recreativas, esportivas e educativas, promove conhecimento e contribui para a participação dos atendidos na sociedade. A Entidade oferece também a eles um ambiente seguro e apoio de profissionais capacitados, proporcionando melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes e suas famílias.
“A leitura faz parte da nossa vida cotidiana e várias atividades podem nos estimular à leitura, como o teatro. Nesse espetáculo que as crianças tiveram oportunidade de assistir, foi citado personagens da literatura infantil, então elas não ficaram perdidas. O teatro oferece uma história que permite à criança viajar, sonhar, assim como nos livros”, ressaltou a educadora social da LBV, Rosimery Teixeira.
Em Ipatinga/ MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600

06abr/17

Reflexão de Boa Vontade — Por Paiva Netto*

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorJacobinos, guilhotina e a esquecida Fraternidade

Ao responder à jornalista portuguesa Ana Serra, em 19 de setembro de 2008, sobre qual foi meu objetivo ao escrever Reflexões da Alma e lançá-lo em terras lusitanas, afirmei que, a princípio, atender os amigos que me solicitaram a publicação de algumas das minhas experiências no decorrer de todos esses anos, relatadas em reuniões administrativas, discursos e palestras, na mídia escrita e eletrônica, no Brasil, em Portugal e em outras partes do mundo. Procurei, então, modestamente compartilhar isso, imprimindo em letras lições dispostas no caminho de todos os que querem aprender algo que a existência terrestre e espiritual sempre tem a ofertar-nos.

Necessária se torna a concepção de que uma decisiva mudança deva brotar primeiro na Alma de todos nós. A principal chave do sucesso, no transcorrer do terceiro milênio, resume-se em cuidar do Espírito, reformar o ser humano, pois assim tudo será aperfeiçoado, tendo como luzeiro a tantas vezes menoscabada Fraternidade Universal, referida em último lugar no tripé ideológico da Revolução Francesa — 1o Liberdade, 2o Igualdade e 3o Fraternidade —, logo devidamente esquecida, resultando no que se sabe: depois de cortar a cabeça dos que consideravam adversários, os jacobinos passaram a guilhotinar-se entre si próprios. Nem o infrene Robespierre (1758-1794) escapou. Terror atrai terror, quando não superterror. O famoso poeta francês Victor Hugo (1802-1885), talvez versando sobre o tema, proclamava que — o que se deve derramar, em vez de sangue, para fecundar o campo em que germina o futuro dos povos são as ideias.

Exato!

* José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

21mar/17

Crianças e adolescentes aprimoram seus conhecimentos sobre a Água

dia da agua-copasa-criancas-palestraNesta quarta-feira, 22, comemora-se o Dia Mundial da Água. Para comemorar a data, a Legião da Boa Vontade (LBV) intensificou o seu trabalho de educação ambiental e promoveu para as meninas e os meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente! em Ipatinga, dia 20, uma palestra sobre “Água na Atualidade”.
A iniciativa contou com o apoio do técnico de Meio Ambiente Herlon Cardoso Silva e o técnico em Química Alan dos Reis Souza, da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA, no Distrito Regional Vale do Aço – DTVA. E, de forma bem criativa e lúdica, através de dinâmica e vídeo, os palestrantes abordaram os conceitos atuais da água no planeta, o que devemos fazer para preservação e economia desse bem tão precioso para a humanidade, entre outros.
“O que eu mais gostei foi de saber como é o funcionamento da água potável que chega para nós, porque isso eu não sabia. Não podemos desperdiçar água, nem poluir os rios, temos que economizar para que ela não acabe porque a água é muito importante para nós”, disse Társila Silva, 12 anos.
A adolescente Greiziele Ferreira, 12 anos, também ressaltou seu aprendizado. “Antes eu pensava que a água do mundo nunca iria acabar porque existe muita água. Mas, hoje fiquei sabendo que um dia a água doce do mundo poderá acabar se o ser humano continuar poluindo e desperdiçando água. Então, devemos cuidar para que isso não aconteça porque todo ser vivo precisa da água para viver. A palestra de hoje mostrou o quanto a água é importante na nossa vida”. Parabéns, Greiziele!
“Acredito que nesses espaços de diálogos, criados na LBV, com os atendidos, fortalecem ainda mais a disseminação dos diversos valores, contribuindo para o conhecimento, para a troca de experiências, com a concepção ética e respeito ao meio ambiente. Parabéns pela dedicação e profissionalismo de toda equipe envolvida, que proporciona permanentemente melhoria da qualidade de vida das crianças, bem como às de suas famílias! ”, destacou o técnico de Meio Ambiente Herlon Cardoso Silva.
20-3 (82)Finalizando essa atividade especial, o técnico em química, Alan dos Reis Souza fez uma demonstração para as crianças e adolescentes, ensinando como é realizada a análise da qualidade da água. “O que mais gostei foi quando ele mostrou como fazem para testar a água, para saber se ela está boa para usar. Outra coisa que eu não sabia é que tem muita água salgada e pouca água doce no mundo, então temos que economizar e cuidar para não ficarmos sem água. Água é vida! ”, afirmou Layane Francisco,13 anos.
A Legião da Boa Vontade, desde os seus primórdios, promove ações socioambientais como essa. Em seus Centros Comunitários, Escolas e Lares para idosos, a Entidade realiza, ao longo do ano, palestras, oficinas lúdicas e atividades práticas sobre a importância de preservar o Meio Ambiente. Reciclagem, separação correta do lixo, não desperdiçar água e cultivar a planta são temas sempre presentes nas atividades com os atendidos.
“É preciso que as crianças e adolescentes recebam orientação desde cedo, no sentido de preservar o meio ambiente e principalmente os recursos hídricos. A LBV acredita que a cultura de preservação deve ser tratada desde cedo pois só dessa forma, conseguiremos promover transformações na sociedade”, destacou a gestora administrativa, Rariane Oliveira.dia da agua-copasa-criancas-palestrantes
Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

16mar/17

Recreação ao ar livre para celebrar o Dia Mundial da Infância

dia da infancia-passeio-criancas-balancoDia 21, comemora-se o Dia Mundial da Infância. Para celebrar a data, a Legião da Boa Vontade (LBV) em Ipatinga, promoveu um dia diferente e divertido para as meninas e os meninos que integram o programa Criança: Futuro no Presente! em seu Centro Comunitário de Assistência Social.

Nessa terça-feira, 14, a garotada se divertiu no Parque Ipanema, área de lazer da cidade. Brincaram de bola, de roda, nos diversos brinquedos do parquinho, na areia, enfim, se divertiram muito aproveitando a tranquilidade e frescor que o local proporciona a todos os visitantes, com uma belíssima paisagem. “O passeio foi muito legal! Gostei de tudo, foi um dia muito divertido e gostoso”, afirmou muito feliz, a pequena Rhiany Stephany, 6 anos.
“Comemorar o dia da infância numa área verde, com natureza e cheio de brinquedos foi muito bom! Todas as crianças deveriam ter sempre dias como esse, sempre alegres e sem violência. As pessoas precisam lembrar do dia da infância todo dia para nunca maltratar uma criança e só proteger, não deixar faltar comida, amor e educação”, destacou a atendida Hana Martins, 12 anos.dia da infancia-passeio-criancas-futebol

A Legião da Boa Vontade (LBV) dedica especial atenção à infância, promovendo Educação com Espiritualidade Ecumênica. Nas escolas e Centros Comunitários de Assistência Social da Instituição, programas socioeducativos estimulam o desenvolvimento cognitivo da criança, por meio de atividades pedagógicas, culturais e de lazer, ao lado do ensino de bons valores e dos princípios de cidadania. Busca-se, assim, a formação do Ser integral.
“O brincar é muito importante para o desenvolvimento da criança, pois contribui para exercitar habilidades como: raciocínio, criatividade, relacionamento interpessoal, autonomia, limites, cooperação e outros. Conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, no artigo 16 do parágrafo IV, o direito à liberdade compreende “brincar, praticar esportes e divertir-se”. Todos nós devemos garantir às crianças e adolescentes momentos de prazer e diversão. Por isso os levamos para comemorar o Dia Mundial da Infância em um dos pontos turísticos da cidade que possui área verde, espaço para brincar e se divertir”, destacou a assistente social da LBV, Cristina Vasconcelos.dia da infancia-passeio-criancas-parque

Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

14mar/17

Dia Mundial do Rim

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Em todo mês de março, mundialmente é comemorado o Dia do Rim. A iniciativa tem como prioridade a prevenção da Doença Renal Crônica (DRC), fornecendo informações sobre a importância do diagnóstico precoce e quanto aos cuidados com os fatores de risco, entre eles a hipertensão arterial, o diabetes mellitus, a obesidade, o tabagismo e a presença de histórico familiar de doença renal.
Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), em 2015, mais de 1,5 milhão de pessoas estiveram em terapia renal substitutiva (Diálise Peritoneal, Hemodiálise ou Transplante Renal), sendo 100 mil só no Brasil.
O dr. Daniel Rinaldi dos Santos, ex-presidente da SBN, ressaltou que, “através de exames extremamente simples, você consegue detectar precocemente se é portador de alguma alteração renal e tomar medidas preventivas para evitar a evolução da doença”. Portanto, não deixemos para amanhã providências que podem impedir graves problemas.
Em 2014, ao comentar a campanha de conscientização da SBN realizada naquele ano, mas que continua com o seu recado sempre atual, o conhecido nefrologista afirmou: “Uma das coisas que a equipe da Sociedade Internacional [de Nefrologia] está preconizando é que se comemore o Dia Mundial do Rim, bebendo um copo d’água! Uma forma de lembrar que a água faz bem para o rim. Todo mundo brindar com um copo d’água!”.
Para outras informações, acesse os sites www.sbn.org.br e www.boavontade.com.

Saúde material e espiritual
Os rins devem ser muito bem tratados. Do seu bom funcionamento depende a saúde geral do organismo. Ao filtrar o sangue, tirando-lhe as impurezas, torna-se um parceiro indispensável do coração que, por sua vez, faz o fluido vital circular pelo corpo.
Não é por acaso que esses dois órgãos estão destacadamente mencionados nas Escrituras Sagradas. No Apocalipse de Jesus, 2:23, temos a famosa passagem em que o Médico Celeste declara: “Todas as igrejas conhecerão que Eu sou aquele que sonda rins e corações. E retribuirei a cada um segundo as suas obras”. Ele conhece bem o nosso íntimo e os processos com que nos intoxicamos e desintoxicamos, porque os rins (como de certo modo o fígado) são os filtros do corpo. Espiritualmente falando, ocorre o mesmo.
É possível observar que o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, nos avalia de acordo com o que produzimos, de bom ou de mau, resultante de nossas emoções (coração) e pensamentos (rins). Contudo, fica subentendido ainda que a qualidade da saúde será um reflexo do tratamento dado a essa admirável engenharia fisiológica (corpo humano) que serve ao Espírito de instrumento para evolução na Terra.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

09mar/17

Mulheres Cidadãs

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

O futuro do mundo depende essencialmente da atenção e da magnanimidade de suas mulheres. Temos extraordinários exemplos delas em todos os países, desde as mais destacadas às mais simples, a começar pela mais singela das mães. Aqui exalto, por oportuno, a grandeza da doceira de Goiás, no vasto interior do Brasil, e exímia poetisa Cora Coralina (1889-1985). Tendo apenas instrução primária, ela publicou seu primeiro livro aos 75 anos de idade. A escritora tem seu rosto retratado no painel A Evolução da Humanidade, no Salão Nobre do Templo da Boa Vontade, situado em Brasília/DF, Brasil. Disse a saudosa Cora: “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.
É o talento do povo bem instruído e espiritualizado que transforma miséria em riqueza! A fortuna de um país situa-se, antes de tudo, no coração solidário e na consciência esclarecida de sua gente. É neles que se encontra a capacidade criadora. É assim em todas as nações.
Há muito levantara-se Benjamin Franklin (1706-1790) para dizer: “A verdadeira sabedoria consiste em promover o bem-estar da Humanidade”.

Há muito que aprender com o próximo
Conforme afirmei, em 1981, ao jornalista italiano radicado no Brasil Paulo Rappoccio Parisi (1921-2016) e reproduzi em Globalização do Amor Fraterno, nunca como agora se fez tão indispensável unir os esforços na luta contra a fome e pela conservação da vida no planeta. É imperioso aproveitar o empenho de todos, ecologistas e seus detratores, assim como trabalhadores, empresários, o pessoal da mídia (escrita, falada e televisionada, e, agora, eu incluo a internet), sindicalistas, políticos, militares, advogados, cientistas, religiosos, céticos, ateus, filósofos, sociólogos, antropólogos, artistas, esportistas, professores, médicos, estudantes ou não (bem que gostaríamos que todos se encontrassem nos bancos escolares), donas de casa, chefes de família, barbeiros, manicures, taxistas, varredores de rua e demais segmentos da sociedade.
A primeira mulher a ir ao espaço (1963), a cosmonauta russa Valentina Tereshkova, resumiu numa frase que muito tem a ver com a gravidade do que estamos enfrentando ante o problema do aquecimento global: “Uma vez que você já esteve no espaço, poderá apreciar quão pequena e frágil a Terra é”.
O assunto tornou-se dramático, e suas perspectivas, trágicas. Pelos mesmos motivos, urge o fortalecimento de um ecumenismo que supere barreiras, aplaque ódios, promova a troca de experiências que instigue a criatividade global, corroborando o valor da cooperação sócio-humanitária das parcerias, como, por exemplo, nas cooperativas populares em que as mulheres têm forte desempenho, destacado o fato de que são frontalmente contra o desperdício. Há muito que aprender uns com os outros. O roteiro diverso comprovadamente é o da violência, da brutalidade, das guerras, que invadiram lares por todo o orbe. Alziro Zarur (1914-1979), saudoso fundador da Legião da Boa Vontade, enfatizava que as batalhas pelo Bem exigem denodo. Simone de Beauvoir (1908-1986), escritora, filósofa e feminista francesa, acertou ao destacar: “Todo êxito envolve um sacrifício”.
Resumindo: cada vez que suplantarmos arrogância e preconceito, existirá sempre o que absorver de justo e bom dos componentes desta ampla “Arca de Noé”, que é o mundo globalizado de hoje. Daí preconizarmos a união de todos pelo bem de todos, porquanto compartilhamos uma única morada, a Terra. Os abusos de seus habitantes vêm exigindo providência imperativa: ou integra ou desintegra (…), razão por que devemos trabalhar estrategicamente em parcerias que promovam prosperidade efetiva para as massas populares.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

03mar/17

Erigir um Império de Boa Vontade

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

A Caridade, na sua expressão mais profunda, deveria ser um dos principais estatutos da Política, porque não se restringe ao simples e louvável ato de dar um pão. É o sentimento que — iluminando a Alma do governante, do parlamentar e do magistrado — conduzirá o povo ao regime em que a Solidariedade é a base da Economia, entendida no seu mais amplo significado. Isso exige uma reestruturação da Cultura, por intermédio da Espiritualidade Ecumênica e da Pedagogia do Afeto, no meio popular e como disciplina acadêmica. Contudo, no campo intelectual, que o seja sem qualquer tipo de preconceito que reduza, em determinadas ocasiões, a perspectiva de grandes pensadores analíticos, pelo fato de alguns deles se submeterem a certos dogmatismos ideológicos e científicos, o que é inconcebível partindo de mentes, no supino, lucubradoras. Até porque a Ciência é pródiga em conquistas para o bem comum. Mas também, no seio dela, houve os que muito sofreram incompreensão, por causa do convencionalismo castrador, mesmo de certos pares que apressadamente os prejulgavam. Vítimas deles foram Sócrates, Bias, Baruch Spinoza, Dante Alighieri, Galileu Galilei, Semmelweis, William Harvey, Samuel Hahnemann, Maria Montessori, Luiza Mahin, Dr. Barry J. Marshall, Dr. J. Robin Warren e outros nomes célebres, universalmente acatados.

Em suma, a Caridade, sinônimo de Amor, é uma Ciência especial, a vanguarda de um mundo em que o ser humano será tratado como merece: de forma humana, portanto, civilizada. Estaríamos, assim, erigindo um Império de Boa Vontade neste planeta, o estado excelente para o Capital de Deus, que circula por todos os cantos e não mais pode aceitar especulação criminosa de si mesmo. (…)

Esta ponderação da educadora e escritora brasileira Cinira Riedel de Figueiredo (1893-1987) vem ao encontro do que anteriormente abordamos: “De cada homem e cada mulher depende o aprimoramento de tudo quanto nasce, cresce, vive e se transforma sobre a Terra, porque, de fato, nada morre. Existe uma contínua transmutação, e devemos ser os guias para que essa transformação se faça uma ascensão constante, tornando-se cada vez mais bela e mais perfeita para representar melhor a vida que a anima”.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

17fev/17

À procura de equilíbrio

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Agora, mais do que nunca, torna-se imprescindível a vivência do Amor Solidário Divino, porque ele é o único capaz de afastar da Terra as trevas do crime, da miséria e da dor quando compreendido e desempenhado — em todo o seu poder compassivo, justo e, portanto, eficaz —, não somente pela Religião, mas também pela Política, pela Ciência, pela Economia, pela Arte, pelo Esporte, pelos relacionamentos internacionais, pelo trabalhador mais simples e pelo mais projetado homem público.
Na verdade, o ser humano, sabendo ou não, procura instintivamente o equilíbrio, que só pode advir do exercício da Fraternidade, a grande esquecida — como lamentava Dom João Bosco (1815-1888) — da trilogia da Revolução Francesa (Liberté, Égalité, Fraternité), tanto que sua posição é a final do lema reformista, quando deveria ocupar a vanguarda deste. Por isso deu no que deu, com tanta gente guilhotinada. (…)
Não foi sem motivo que o notável escritor Victor Hugo (1802-1885) declarou: “Sem Fraternidade não pode haver Paz”.

Só se constrói a Paz com tolerância
O inspirado vate francês está corretíssimo. Portanto, não abdiquemos
das medidas práticas para a edificação dessa nova e fraterna sociedade, pois, como revela o Espírito dr. Bezerra de Menezes (1831-1900), pela psicografia de Chico Periotto: “A Paz, a tão desejada Paz, é o sonho de todos, do Mundo Espiritual e da Terra. Apenas se constrói a Paz com tolerância. É impossível acreditarmos que o caminho da guerra, do ódio e da violência possa gerar Paz verdadeira. Mas o mundo trilha caminhos inesperados. Logo, é realmente importante exercitarmos o caminho do Ecumenismo e da confraternização entre os países”.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

16fev/17

Crianças e adolescentes atendidos pela LBV recebem material escolar

Criança Nota 10!,mochilas,kitsAconteceu nesta terça-feira, 14, a entrega dos kits de material pedagógico da campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro, para centenas de crianças e adolescentes que participam do programa Criança: Futuro no Presente!, no Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade (LBV), em Ipatinga/MG.
A ajuda serve de motivação para a continuidade dos estudos, além de representar um importante apoio aos pais e/ou responsáveis que não têm recursos para adquirir o material escolar. Os kits são compostos de acordo com a faixa etária dos estudantes e contém itens, a exemplo de: estojo, lápis preto e de cor, canetas, apontador, borrachas, tesoura, tubos de cola, cadernos, mochila, régua, entre outros.
Para celebrar, a Instituição reuniu, voluntários, parceiros, atendidos e colaboradores. O evento foi abrilhantado com diversas apresentações musicais da garotada e contou com a participação especial da escritora Nena de Castro que realizou uma Contação de História, caracterizada como a Palhaça Jujuba. “Isso é a minha vida: levar alegria para as crianças, conversar com elas sobre a importância da leitura, sobre a valorização do que elas têm”, afirmou a escritora.
Nena já visitou a Instituição e desta vez ressaltou: “Conheço este trabalho maravilhoso da LBV. É muito importante esses kits para as crianças porque sem o material escolar a criança se sente menosprezada, infeliz, sem condição de acompanhar. Recebendo esse material, tão lindo e de boa qualidade, ela se sente assim: ‘é mais um elo! Vou estudar para fazer jus a toda assistência que eu recebi’. Agradeço por participar e poder trazer alegria para as crianças. Na vida a gente vai formando elos de carinho, de amizade, valorizando a cultura, isso vai se difundindo e acaba dando certo. Viva o trabalho maravilhoso, da LBV! ”, disse emocionada a escritora.
Eliane Rodrigues, mãe de duas crianças atendidas pela LBV, falou de sua gratidão pelo recebimento do material escolar: “A LBV tem sido minha parceira nesta caminhada com meus filhos, só tenho que agradecer e elogiar. Que as pessoas continuem contribuindo porque estarão ajudando muitas mães que precisam trabalhar. Eu sou pai e mãe, minha vida nunca foi fácil, eu sou uma guerreira. Eu não tenho condição de comprar material escolar porque as coisas estão muito caras, então este kit ajuda muito e é material para o ano todo”.Criança Nota 10!,menino,caderno
Quando as crianças receberam o kit pedagógico, além do intenso brilho nos olhos, do sorriso, o que se ouvia era muito legal! “Oba! Tem tudo aqui, vai dar para o ano todo, é muita coisa!”, disse muito feliz e surpreso, o atendido Pietro Lopes, de 7 anos. “É tudo lindo, novinho, gostei de tudo! Minha mãe vai ficar feliz igual eu porque ela vai poder gastar o dinheiro pagando as contas. Ela não vai precisar comprar nada para a escola porque aqui na mochila tem tudo, estou muito feliz! Obrigada LBV!”, disse com muita alegria, a atendida Ana Clara, de 10 anos.
A Legião da Boa Vontade acredita que a educação iluminada por valores espirituais, éticos e ecumênicos transforma o ser humano para melhor, por isso, há mais de 67 anos, ela atua ao lado das populações em situação de vulnerabilidade social. “Na LBV desenvolvemos várias ações com os atendidos como o Encontro das famílias que acontece mensalmente, encaminhamentos, atendimentos e visitas domiciliares. O diferencial é que trabalhamos com a linha pedagógica em que o indivíduo é visto como um ser biopsicossocial e por isso é compreendido em sua totalidade, contribuindo para valorização de suas habilidades. E trabalhando as famílias junto com as crianças e adolescente, nosso objetivo é alcançado”, destacou a assistente social da LBV, Cristina Vasconcelos.Criança Nota 10!,criancas,kits
Em Ipatinga, a Legião da Boa Vontade mantém o Centro Comunitário de Assistência Social na Rua João Patrício de Araújo, 225, Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822 – 8600 ou acesse o site www.lbv.org.

08fev/17

Efeito social da prece

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Em entrevista à jornalista portuguesa Ana Serra, comentei que — a acepção de Fraternidade e Espiritualidade Ecumênica coloca-nos em sadio contato íntimo com nós mesmos e com o Criador do Universo e Suas criaturas, que constituem o mais perfeito altar onde devemos adorá-Lo, conforme destaquei, em 5 de novembro de 1983, no discurso de lançamento da pedra fundamental da sede da Legião da Boa Vontade, em São Paulo/SP, Brasil, durante o 8o Congresso dos Noivos e Casais Legionários. Na obra Ao Coração de Deus — Coletânea Ecumênica de Orações (1990), afirmei: Quando se ora, a Alma respira, fertilizando a existência humana. Fazer prece é essencial para desanuviar o horizonte do coração. E isso se encontra ao alcance de todos, porquanto possuímos a inata capacidade de meditar para escolher o caminho adequado e resolver transtornos que se iniciam no Espírito e, depois, se manifestam no corpo humano, muita vez em forma de doença, e no campo social.
Escrevi em Reflexões da Alma (2003) que quem, religioso ou ateu, souber usufruir do silêncio de Alma fará brotar, de dentro de si, todas as riquezas que o mundo não lhe pode oferecer, a começar pela paz de espírito, que Deus nos prometeu e que ninguém, além Dele, nos pode integralmente proporcionar, porque nem na sua totalidade ainda a conhecemos: “Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus, que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie, porque Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim dos tempos” (Evangelho de Jesus, segundo João, 14:27; e Mateus, 28:20). Não há um pensador sério, guardadas as exceções de praxe, que não necessite entrar, mesmo que vez por outra, no ambiente inspirador da reflexão, dando-lhe este ou aquele nome. E isso não favorece apenas a quietude psíquica, mas igualmente a serenidade somática.

Ideia cuja hora chegou
Em Somos todos Profetas (1999), digo: Estamos corpo, mas somos Espírito. A nação que compreender e administrar essa Verdade empolgará e governará o mundo no transcorrer do terceiro milênio. E, se alguém julgar tal raciocínio um delírio, apresento-lhe este aforismo do genial Victor Hugo (1802-1885): “Aqueles que hoje afirmam que uma coisa é impossível de ser concretizada tacitamente se colocam do lado dos que vão perder”.
Bem a propósito, o filósofo e sociólogo italiano Pietro Ubaldi (1886-1972), correspondente de Einstein (1879-1955) e grande admirador da Legião da Boa Vontade — que definiu como “um movimento novo na História da Humanidade. Colocará o Brasil na vanguarda do mundo” —, numa de suas conferências, lembrou-se deste outro apontamento do gigante de Besançon: “Há uma coisa mais poderosa que todos os exércitos: é uma ideia cujo tempo tenha chegado”.
Hoje, até a ciência já considera que a Espiritualidade Ecumênica pode reduzir o risco de doenças tidas como graves ou incuráveis. Em entrevista à Super Rede Boa Vontade de Comunicação (TV, rádio e internet), em 2009, acerca do tema, declarou o pesquisador, professor e psicobiólogo Ricardo Monezi, do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp): “Atualmente já temos diversos relatos na Ciência de que uma pessoa que exercita o bom pensar, a felicidade, todos os bons sentimentos, tem um potencial de defesa do corpo muito maior do que uma pessoa pessimista. (…) Uma pessoa otimista, quando vai ser vacinada, desenvolve anticorpos com uma rapidez muito maior do que a pessimista. E tem muito mais chances de atravessar um processo de adoecimento crônico em relação a uma pessoa pessimista”.
Eis aí: Espírito saudável é medicina preventiva para o corpo.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

07fev/17

Crianças e adolescentes recebem kits pedagógicos da LBV

Ação solidária visa combate ao analfabetismo
lbv3Mais de 17 mil crianças e adolescentes de famílias de baixa renda de 90 municípios brasileiros receberão os kits de material pedagógico dentro da campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro. A iniciativa promovida pela Legião da Boa Vontade (LBV) visa apoiar os pais que não tem recursos para a compra do material escolar e contribuir para o combate ao analfabetismo. Segundo dados divulgados pelo PNAD/IBGE 2014, o Brasil, tem 13 milhões de analfabetos absolutos, com mais de 15 anos de idade, definidos como “pessoas que não sabem ler e escrever um bilhete simples no idioma que conhecem”.
Em Ipatinga, receberão as doações 150 crianças e adolescentes atendidos pela LBV e por organizações parceiras. Os kits são compostos de acordo com a faixa etária dos estudantes e contém itens como: estojo, lápis preto e de cor, canetas, apontador, borrachas, tesoura, tubos de cola, cadernos, mochila, régua, entre outros.
Como ajudar:
Para a realização da campanha, a LBV conta com doações da população, de colaboradores, de voluntários, de empresas parceiras e o apoio da mídia. As doações podem ser feitas pelo site www.lbv.org ou pelo tel.: 0800 055 50 99.
A LBV
A Legião da Boa Vontade acredita que a educação iluminada por valores éticos, espirituais e ecumênicos transforma o ser humano para melhor, por isso, há mais de 67 anos, ela atua ao lado das populações em situação de vulnerabilidade social. Nas cinco escolas e nos 66 Centros Comunitários de Assistência Social que atendem crianças e adolescentes, a LBV oferece o apoio necessário às famílias para que os filhos tenham acesso à Educação e a garantia e proteção de seus direitos, além de outros benefícios, realiza atividades socioeducativas, esportivas, culturais, artísticas, lúdicas e recreativas e projetos permanentes de incentivo à leitura.
Serviço: lbv2
Evento: Entrega de kits de material pedagógico da Legião da Boa Vontade — LBV
Data: 14/02/2017 — terça-feira | Horário: 9h30
Local: Rua João Patrício de Araújo, 225, Veneza I — Ipatinga/MG
Informações: (31)3822-8600
www.lbv.org.br
Redes sociais: LBV Brasil no Facebook, no YouTube ou no Instagram

03fev/17

Câncer de Mama

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

O Dia Mundial Contra o Câncer e o Dia Nacional da Mamografia (respectivamente em 4 e 5 de fevereiro) chamam-nos a atenção sobre um mal que acomete cada vez mais pessoas.
A Agência Brasil, informa que “o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente da doença no mundo (atrás do câncer de pulmão)”. Deverá ter quase 60 mil novos casos no país a cada ano, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca).
Conforme ressalta o Inca, “o exame clínico da mama deve ser feito uma vez por ano pelas mulheres entre 40 e 49 anos. E a mamografia deve ser realizada a cada dois anos por mulheres entre 50 e 69 anos, ou segundo recomendação médica”. E mais: “Embora a hereditariedade seja responsável por apenas 10% do total de casos, mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente se uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmãs) foram acometidas antes dos 50 anos, apresentam maior risco de desenvolver a doença. Esse grupo deve ser acompanhado por médico a partir dos 35 anos (…)”.
Quando detectado nos estágios iniciais, as chances de cura são de aproximadamente 95%. Contudo, aponta Ricardo Caponero, presidente do Conselho Técnico-Científico da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), “ainda falta conscientização das mulheres para a importância da realização periódica da mamografia. (…) Apenas 30% das mulheres fazem o exame”. Desde 2009, o exame tem cobertura gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), direito assegurado pela Lei no 11.664/2008. Em prol de sua saúde, as mulheres não podem abrir mão desse benefício.

Prevenção
Para melhor conhecimento de todos sobre o assunto, vale consultar o site do Inca (www.inca.gov.br). Vejam, por exemplo, algumas dicas de prevenção: “Evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos, é uma recomendação básica para prevenir o câncer de mama, já que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. A ingestão de álcool, mesmo em quantidade moderada, é contraindicada, pois é fator de risco para esse tipo de tumor, assim como a exposição a radiações ionizantes [raios X, por exemplo] em idade inferior aos 35 anos”.
Não prescindamos igualmente de recorrer ao Amparo Celeste, que tem em Jesus, o Divino Médico, o abundante manancial da saúde almejada por todos.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

02fev/17

LBV promove campanha para melhoria da Educação

lbv2Iniciativa beneficiará crianças e adolescentes de famílias de baixa renda
“Educação de Qualidade” é um dos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que compõem a agenda mundial adotada em 2015, durante reunião de cúpula das Nações Unidas, e que devem ser cumpridas até 2030. O Brasil avançou no acesso à Educação, porém há muito a se fazer ainda. Todos os esforços devem ser empreendidos para o combate ao analfabetismo e a redução dos índices de reprovação e de abandono escolar.
Pela melhoria da Educação
A Legião da Boa Vontade acredita que a educação iluminada por valores éticos, espirituais e ecumênicos transforma o ser humano para melhor, por isso, há mais de 67 anos, ela atua ao lado das populações em situação de vulnerabilidade social. Por meio de suas escolas, Centros Comunitários de Assistência Social e campanhas oferece o apoio necessário às famílias para que os filhos tenham acesso garantido à Educação.
Uma das iniciativas da LBV é a campanha Criança Nota 10 — Proteger a infância é acreditar no futuro, que teve sua edição 2017 lançada na primeira semana de janeiro (2/1) e que consiste em mobilizar a sociedade e os meios de comunicação a fortalecer o protagonismo infantojuvenil, garantindo, assim, a proteção dos direitos de crianças e adolescentes.
Entre os meses de janeiro e fevereiro, a campanha entregará kits de material pedagógico a alunos da rede de escolas da Legião da Boa Vontade e a crianças e adolescentes (6 a 17 anos) que participam de programas socioassistenciais promovidos nos Centros Comunitários da Instituição. Também recebem as doações os participantes da EJA — Educação de Jovens e Adultos (São Paulo/SP); os atendidos pelo Projeto de Apoio a Ex-alunos (Curitiba/PR); além de estudantes amparados por organizações parceiras da LBV.
Os recursos obtidos também nesta ação solidária contribuirão para a manutenção das atividades promovidas ao longo do ano pela LBV, em favor desses públicos, por meio do oferecimento de alimentação, atividades artísticas, culturais, esportivas, recreativas, lúdicas, além do acompanhamento social, incentivando-os a aprender mais e desenvolver habilidades, longe dos perigos das ruas ou do isolamento.
Mais de 17 mil kits serão entregues, além de 30 mil conjuntos de uniformes. A ajuda serve de motivação para a continuidade dos estudos, além de representar um importante apoio aos pais e/ou responsáveis que não têm recursos para adquirir o material escolar. Os kits são compostos de acordo com a faixa etária dos estudantes e contém itens, a exemplo de: estojo, lápis preto e de cor, canetas, apontador, borrachas, tesoura, tubos de cola, tinta guache, cadernos, mochila, régua, entre outros.
Colabore:
Acesse o site www.lbv.org ou ligue 0800 055 50 99 e faça a sua doação. Acompanhe, siga, curta e compartilhe as ações da LBV nas redes sociais: Facebook (LBVBrasil), YouTube (LBVBrasil) e Instagram (LBVBrasil).

27dez/16

Ano-Novo e ação humana

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Com a proximidade de um novo ano, repete-se o salutar costume dos votos de esperança por tempos mais felizes. Na palestra que proferi em 20 de dezembro de 2008, transmitida pela Boa Vontade TV, pela Super RBV de rádio e internet (www.boavontade.com), procurei analisar esse anseio de renovação, fundamentando minhas palavras nos versículos iniciais do capítulo 21 do Apocalipse de Jesus, segundo São João, e nos derradeiros do capítulo 22.
Visei com a mensagem demonstrar que o Livro das Profecias Finais apenas relata as consequências dos feitos humanos. Em nossa intimidade, escrevemos as páginas do nosso destino. Logo, quanto mais educado o povo, instruído e espiritualizado, melhor o rumo das nações. Como sempre ressalto: Ano-novo! Ano-bom? Depende de nós!…

Continue lendo o artigo
Ano-Novo e ação humana

20dez/16

Atendidos da LBV em Ipatinga recebem visita de alunos do Senac

A Legião da Boa Vontade (LBV) recebeu recentemente, a visita de alunos das turmas de Aprendizagem em Serviços Administrativos e de Aprendizagem em Serviços de Vendas, do programa Jovem Aprendiz, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em Ipatinga.senac-natal-teatro

Por conta do projeto Ação Social e Práticas de Gentileza desenvolvido com os jovens, eles vieram realizar atividades culturais com os atendidos pelo programa Criança: Futuro no Presente!, famílias e voluntários, no Centro Comunitário de Assistência Social da LBV.
“O Senac é um programa de aprendizagem comercial, onde a gente trabalha a formação do jovem e sua inserção no mercado do trabalho. Hoje em dia as pessoas estão perdendo a característica de ser gentil, de fazer a diferença nos pequenos gestos. É extremamente importante trabalhar isso com os jovens. E é fundamental que essas orientações sejam conhecidas ainda na infância para que as crianças cresçam percebendo que coisas grandiosas nascem dos pequenos gestos de gentileza”, afirmou a orientadora de curso do Senac, Mônica Souza.

A garotada se divertiu muito com as dinâmicas, as apresentações musicais e a encenação da peça “O ladrão da alegria”. No final, mais alegria ainda: ganharam saquinhos surpresa, algodão doce, pipoca e presentes escolhidos por seus respectivos “padrinhos”, enfatizando o Natal solidário.
Aluna do curso de Aprendizagem em Serviços de Vendas, Karine Rocha, 17 anos, muito emocionada disse: “Foi muito gratificante realizar o projeto aqui na LBV porque aprendemos com as crianças. Fizemos um trabalho voluntario e quem saiu ganhando fomos nós. Ver a alegria no rosto de cada um nos deixou felizes. Estou muito emocionada em poder trabalhar com as crianças, eu não conhecia a LBV, fiquei muito encantada!”

Os atendidos também gostaram muito. Sobre as atividades, Hana Martins, 12 anos, destacou: “Eu gostei do teatro, da música, das brincadeiras porque foram atividades diferenciadas, na LBV temos bastante isso, mas hoje foi com outras pessoas. O teatro, além de ser engraçado ensinou que nenhum bem material traz a felicidade. Na LBV o que mais gosto é de fazer esculturas de argila e bichinhos de biscuit”.

Enquanto alguns alunos realizavam atividades com as crianças e adolescentes, outros ministraram palestra sobre Práticas de Gentileza para voluntários e famílias das crianças atendidas. A pedagoga e voluntaria na LBV, Delmira Rodrigues disse: “Sempre temos que agradecer as pessoas, fazer o bem, e nesse mundo conturbado em que estamos vivendo quase não vemos isso, precisamos sempre prestar atenção nessas coisas porque um gesto vale muito. As orientações que as famílias recebem aqui são muito importantes porque elas passam para os filhos. As crianças são a base da sociedade e se formarmos crianças educadas e gentis temos esperança de um mundo melhor, com respeito ao próximo, sem violência”.senac-natal-palestra-voluntarios

Durante o ano todo, a Legião da Boa Vontade se preocupa com as pessoas atendidas (crianças, adolescentes e suas famílias) e proporciona a elas orientações necessárias a uma vida com qualidade em seus mais variados aspectos. Em Ipatinga, as ações são desenvolvidas por meio do programa Criança: Futuro no Presente!, que promove o protagonismo de crianças e adolescentes de 6 a 15 anos.

No final das atividades, a orientadora Mônica ressaltou: “Eu conhecia a LBV através da TV e de informativos. Hoje tive a oportunidade de conhecer pessoalmente e estou encantada com o trabalho da LBV! Eu percebo que é algo mais, trabalha a família, trabalha a criança, preocupa com a formação do jovem”, ressaltou Mônica Souza.senac-natal-presente-meninas

O Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

12dez/16

Direitos Humanos e Deveres Espirituais

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Em 10/12, comemora-se oficialmente o 68o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, votada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, no Palácio de Chaillot, no ano de 1948. Ela se tornou uma das principais cartas que regem as nobres iniciativas da ONU, inspirando a elaboração de outros importantes documentos e constituições, a exemplo da Carta brasileira, proclamada em 1988, a “constituição cidadã”, na definição do deputado Ulysses Guimarães (1916-1992), que presidiu a Assembleia Nacional Constituinte.

O “Rascunho de Genebra”
Eleanor Roosevelt (1884-1962), viúva do presidente norte-americano Franklin Delano Roosevelt (1882-1945), comandara desde janeiro de 1947 o Comitê dos Direitos Humanos, reunido pela ONU, até a adoção dos 30 artigos naquele memorável dezembro de 1948…

Continue lendo o artigo
Direitos Humanos e Deveres Espirituais

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

30nov/16

LBV mobiliza 2.000 voluntários para o Dia de Solidariedade do Instituto GPA

A Legião da Boa Vontade (LBV) mobilizará cerca de 2.000 voluntários para participar do Dia de Solidariedade, que ocorrerá no sábado (3/12), das 8h30 às 19h30.

A iniciativa, criada pelo Instituto GPA em parceria com a Fundação Grupo Casino, visa sensibilizar a sociedade sobre a fome e a miséria no Brasil e propõe aos clientes a doarem, à época do Natal, alimentos não perecíveis a instituições beneficentes.

Neste dia, as lojas do Pão de Açúcar, Extra Hipermercados, Extra Supermercados e Assaí recebem milhares de voluntários para uma grande ação de arrecadação de alimentos. A cada 10 quilos de alimentos arrecadados, o Instituto GPA doa mais 1 quilo às entidades participantes. Os voluntários da Legião da Boa Vontade estarão distribuídos em 95 lojas do GPA em 36 cidades brasileiras.

Natal Permanente da LBV
As doações arrecadadas farão parte da campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, que, neste mês de dezembro, entregará, nas cinco regiões brasileiras, cestas de alimentos a mais de 50 mil famílias que participam dos programas de desenvolvimento social da Legião da Boa Vontade e de organizações parceiras da Instituição.

Cada cesta é composta de itens de acordo com os costumes de cada região, como arroz, feijão, açúcar, massa para cuscuz, macarrão, fubá, óleo, mistura para bolo, farinha de trigo, goiabada, entre outros.

Participe!
Participe do Dia de Solidariedade promovido pelo Instituto GPA e ajude a fazer um Natal mais feliz a milhares de famílias!

Faça a sua doação! Para outras informações, acesse www.lbv.org ou ligue 0800 055 50 99. Curta e compartilhe as ações da LBV nas redes sociais: Facebook (LBVBrasil), YouTube (LBVBrasil) Twitter (@LBVBrasil) e Instagram (@LBVBrasil).

16nov/16

Consciência Negra

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Numa homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, e à lembrança do valente Zumbi, publico trecho de um artigo que preparei para a Folha de S.Paulo em 15 de maio de 1988. Nele enfatizo a necessária prática do Ecumenismo entre as mais variadas etnias:
Zumbi deu o brado que nenhum Domingos Jorge Velho poderia abafar: Liberdade! Dignidade! Somos seres humanos!
Morreu-lhe o corpo. Mas a Alma — quem conseguirá matá-la? — permanece… e se multiplica nas palavras e atos de um Patrocínio, Joaquim Serra, Luís Gama, Salvador de Mendonça, André Rebouças, Castro Alves, Joaquim Nabuco e de tantos outros negros, brancos e mestiços. Se ainda não há democracia étnica dentro de nossas fronteiras — embora o Brasil seja nação de etnias mescladas, para cuja sobrevivência é essencial estar plenamente legitimada e vivida a sua brilhante mestiçagem —, é porque o espírito de senzala continua grassando. Contudo, é justamente na natureza miscigenada que consiste a sua força. O Brasil é uma grei globalizante…

Continue lendo o artigo
Consciência Negra

03nov/16

Celebrando a Vida Eterna

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Dois de novembro é dia de celebrar a vida. Respeitamos o gesto dos que vão reverenciar os mortos, em visita a túmulos de parentes e amigos. Porém, acreditamos que a destinação de nosso Espírito, depois de se despedir do corpo físico, é muito superior. Por isso, convidamos todos a lembrar-se dos entes queridos com a natural saudade de sua companhia, mas sem tristeza e enviando-lhes, acima de tudo, vibrações de Amor Fraterno e Paz, porquanto, para alegria nossa, permanecem vivos. Aos que porventura se encontram desesperados pela perda de um familiar ou pessoa amiga, vislumbrando até no suicídio o alívio para suas dores, aproveito o ensejo para esclarecer: O suicida mata-se à procura da paz, todavia, depara com o maior tormento, algo pior que o nada, que, por sua vez, não existe, pois a vida não cessa…

Continue lendo o artigo
Celebrando a Vida Eterna

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

26out/16

LBV participa de simpósio da ONU sobre desafios globais

O Comitê de ONGs sobre Espiritualidade, Valores e Interesses Globais das Nações Unidas realizará, em 27 de outubro, o simpósio “Igualdade de participação dos jovens para os desafios globais”. O evento é parte das comemorações da Semana de Espiritualidade (entre os dias 25 e 28 de outubro) e pretende mostrar como a juventude pode ser determinante para que o planeta supere alguns obstáculos.

A Legião da Boa Vontade palestrará no simpósio representando a América Latina e o Caribe, compartilhando suas experiências de 66 anos de trabalho socioeducacional e incentivo ao protagonismo infantojuvenil. “A primeira coisa que me veio à mente foi a LBV e os maravilhosos programas educacionais que desenvolve e que eu tive a oportunidade de conhecer quando estive no Brasil há dois anos”, destacou a presidente emérita do Comitê da ONU e coordenadora do simpósio, Sharon Hamilton Getz.

“A grande questão é os jovens não pensarem que somos nós que sabemos tudo, mas que podemos mostrar que pode haver igualdade, parceria, e oferecer-lhes todo o apoio que precisarem. Tenho certeza que teremos um resultado maravilhoso”, disse a sra. Getz.

Por iniciativa dos organizadores, o encontro também celebrará os trinta anos da LBV dos Estados Unidos (30 de outubro) e contará com a apresentação do Coral Ecumênico Infantojuvenil Boa Vontade de São Paulo/SP, Brasil, que cantará via internet na abertura do evento.

LBV NA ONU
A Legião da Boa Vontade possui, desde 1999, status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc) das Nações Unidas, além de ser associada ao Departamento de Informação Pública (DPI) da ONU, desde 1994. Essa condição permite à Instituição participar e contribuir na discussão dos temas do Ecosoc em Nova York (EUA), em Genebra (Suíça) e em Viena (Áustria), compartilhando suas recomendações quanto à implementação de políticas públicas e ações humanitárias internacionais. Em 2004, a LBV foi cofundadora do Comitê de ONGs sobre Espiritualidade, Valores e Interesses Globais nas Nações Unidas em Nova York.

24out/16

Saúde ocular

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorA falta de informação e de exames preventivos leva a maioria das pessoas a procurar auxílio apenas quando a doença se encontra em estágio avançado.

Paiva Netto

Ainda hoje, em pleno terceiro milênio, ouve-se nos consultórios médicos que a falta de informação e de exames preventivos leva a maioria das pessoas a procurar auxílio apenas quando a doença se encontra em estágio avançado.
Diante dessa realidade, vi-me no dever de utilizar este espaço para também trazer à população esclarecimentos de especialistas das mais variadas áreas de saúde.
Assisti no programa Viver é Melhor, na Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), o valioso bate-papo da jornalista Angélica Beck com o dr. Jorge Mitre, oftalmologista e diretor do Hospital de Olhos de São Paulo.
Destaco, a seguir, alguns trechos dessa entrevista…

Continue lendo o artigo
Saúde ocular

04out/16

Linkados com a Eternidade

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - Menor Paiva Netto

Em palestra, veiculada pela Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV e internet), defendi que o sentido da juventude, perante o Novo Mandamento do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, deve ser repensado, pois, diante da Eternidade, não existe um único fator sempre moderno. É o óbvio. O conceito de moderno, contemporâneo ou antiquado é relativo. A Equação da Relatividade, de Albert Einstein (1879-1955), continua atual.
Na década de 1920, supermodernos eram as danças e os maneirismos que se espalharam, a partir dos EUA, com as melindrosas. Hoje é algo ultrapassado. De fato, devemos estar perenemente linkados com o Eterno, com a Fraternidade de Deus, que não passa. Não é velha nem nova. Possui o tônus perene por ter origem no luminoso seio do Criador. Nele…

Continue lendo o artigo
Linkados com a Eternidade

30set/16

Receita de um jovem para os jovens

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto
Em 1961, escrevi um documento* à Mocidade Brasileira, quando, àquela altura, já desempenhava o papel de secretário particular do saudoso proclamador da Religião do Terceiro Milênio, Alziro Zarur (1914-1979). Na ocasião, com apenas 20 anos, convidei-a a cerrar fileiras no grande Ideal da Boa Vontade, “por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz”. A pedido de meus editores, trago a seguir a referida mensagem, que me sugeriram chamar “Receita de um jovem para os jovens”: 
Jovem esclarecido do Brasil: Tu que lutas pelo bem-estar do povo brasileiro, por que te enganas? Só o Novo Mandamento de Jesus trará o equilíbrio social à nossa Pátria!
Moços de Boa Vontade: O Brasil já foi colônia; depois, vice-reino; a seguir, reino unido ao de Portugal e Algarves; veio o Império; a República; uma escadinha ascensional construída por aqueles que viam nestas mudanças a solução dos problemas que esmagam o povo. A maioria morreu desiludida. Por quê? Ora…

Continue lendo o artigo
Receita de um jovem para os jovens

23set/16

A Fé e a dor

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Num artigo assinado por Ian Sample, datado de 1/10/2008, publicado no periódico inglês The Guardian, tomamos conhecimento de uma pesquisa científica que confirma a eficácia da religiosidade no combate à dor. De acordo com a matéria, uma equipe de cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, chegou a essa conclusão ao realizar exames de imagens cerebrais em uma série de indivíduos que foram submetidos a choques elétricos, após observar estampas religiosas. Afirma ainda o texto que “o trabalho contou com dois grupos: um de católicos praticantes e outro de ateus e agnósticos. O experimento consistiu em mostrar a eles a figura da Virgem Maria, do artista italiano Bartolo de Sassoferrato, e a pintura ‘A Dama com Arminho’, de Leonardo da Vinci. Após admirar uma das imagens durante meio minuto, os participantes recebiam descargas elétricas durante 12 segundos e deviam qualificar o nível de dor que sentiam. Os católicos e os agnósticos registraram…

Continue lendo o artigo
A Fé e a dor

A Fé e a dor

21set/16

Crianças da LBV em Ipatinga comemoram Dia da Árvore com visita ao Viveiro

thumbnail_dia-da-arvore-viveiro-criancasQuais espécies de árvore você conhece? As crianças atendidas pela Legião da Boa Vontade (LBV) conheceram muitas espécies porque recentemente, elas visitaram o Viveiro Municipal da cidade de Ipatinga. A atividade fez parte das comemorações do Dia da Árvore, celebrado neste 21 de setembro.

Na ocasião, a responsável técnica ambiental do Viveiro Municipal, Flaviany Evaristo Barroso, conduziu a visita e ressaltou: “Há uma estimativa de mais ou menos trezentas espécies diferentes de árvores aqui no viveiro, frutíferas, medicinais, ornamentais e a cada seis meses fazemos o levantamento. Geralmente recebemos um público bem diversificado, com frequência os que estão acima de 30 anos e principalmente idosos, à procura de plantas medicinais. Precisamos de parceiros como a LBV trazendo as crianças aqui, é importante para nós e ficamos muito felizes em recebê-las. A árvore é de suma importância para a nossa qualidade de vida, é um dos elementos principais da natureza”.

thumbnail_dia-da-arvore-viveiro-plantioDurante o passeio, além de se beneficiarem do frescor do ambiente, dos mais diversos aromas das plantas, os meninos e meninas atendidos pela LBV conheceram várias espécies de árvores nativas, ornamentais, frutíferas e ainda aprenderam suas utilidades para o meio ambiente e para a saúde. Os pequeninos foram também orientados sobre como preparar a terra para o plantio. E, para a alegria da garotada, no final da visita cada um recebeu uma muda de planta.

Assunto somente de gente grande? Não, veja o que disse a pequena Giselle dos Santos, 8 anos: “Eu achei mais interessante as plantas medicinais porque são muito importantes para nossa saúde, muito bom para curar. Eu gostei mais das palmeiras porque elas são muito bonitas. Todas as árvores são muito importantes, temos que cuidar mais delas para o mundo ficar bem colorido”, disse a atendida Giselle dos Santos, 8 anos.

Kemily Rezende, 10 anos, também se expressou: “Achei interessante as árvores, conheci muitos tipos diferentes e a que eu mais gostei foi da cacaueira, achei muito legal saber que esta árvore cresce muito e rápido. As árvores são necessárias em todo planeta porque sem elas não iriamos viver, precisamos do oxigênio”.thumbnail_dia-da-arvore-viveiro-arvore

A Legião da Boa Vontade, sob o lema: “A destruição da natureza é a extinção da raça humana”, contribui com a reflexão e transformação de comportamentos e atitudes, auxiliando no crescimento individual e Espiritual em prol da preservação da natureza para a melhoria da qualidade de vida e para o desenvolvimento sustentável do planeta.thumbnail_dia-da-arvore-viveiro-mudas

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário e Educacional da Legião da Boa Vontade localiza-se na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.

14set/16

Jesus, a medicina preventiva

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorReflexão de Boa Vontade extraída do livro Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade, de novembro de 2014.

Paiva Netto

Alguns pensam que só nos devemos lembrar do Amigo Celeste quando enfrentamos o sofrimento. Todavia, Jesus é a medicina preventiva de que as nações necessitam. Daí O considerarmos a Religião da Vida, neste e no Outro Lado da existência. Afinal de contas, Ele superou a Dor, tão presente no mundo. Do infortúnio, do qual tantos retiram derrota, sob a inspiração de Deus construiu a Sua Autoridade e estabeleceu o Seu Poder diante dos olhos materiais, visto que, reiteramos, já os possuía antes mesmo da criação do planeta. “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e nada do que se fez foi feito sem Ele: Cristo Jesus. A vida estava Nele, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, mas as trevas não prevaleceram contra ela” (Evangelho de Jesus, segundo João, 1:1 a 5)…

Continue lendo o artigo
Jesus, a medicina preventiva

12ago/16

Reflexão sobre o Dia dos Pais

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorPaiva Netto

Neste domingo comemoraremos o Dia dos Pais. Em 12 de agosto de 2000, no Rio de Janeiro/RJ, preparei uma mensagem que enderecei a eles, deste e do Mundo Invisível, pois os mortos não morrem. Selecionei alguns trechos para apresentá-los a vocês, caros leitores.
Ao observar o crescimento orgânico e estruturado da Legião da Boa Vontade, e tudo o que dela brotou, continua despontando e ainda surgirá do trabalho de Fé Realizante e Boa Vontade, nossa Alma se comove porque vemos progredir a semente lançada por Alziro Zarur (1914-1979), da qual estamos com extremo cuidado tratando, para que se desenvolva com a brandura e honre a grandeza das questões divinas.
Diante disso, percebemos a magnitude do Criador, o Pai de todos nós, e a comprovação de Sua onisciência, onipresença, onipotência, onidirigência e majestade…

Continue lendo o artigo
Reflexão sobre o Dia dos Pais

08ago/16

LBV promove visita de crianças à Exposição de Sons, Cores e Sabores

visita-exposicao-artes-criancasCrianças e adolescentes atendidos pela Legião da Boa Vontade em seu Centro Comunitário de Assistência Social, visitaram recentemente, a exposição Sons, Cores e Sabores realizada no Espaço Cultural da Inter TV dos Vales, afiliada da Rede Globo. A exposição apresenta trabalhos de escultura, pintura, desenhos, moda, artesanatos, fotografias, entre outros, de artistas da região.

As obras produzidas com materiais recicláveis foram as que mais impressionaram os pequenos. “O que eu achei mais importante foi a forma que eles utilizaram os materiais. Juntaram a criatividade com a reciclagem e formaram trabalhos maravilhosos. Parabéns aos artistas! Eu também já fiz alguns trabalhos de artesanato na LBV, já pintei em tela, foi bastante legal e eu fiquei feliz”, afirmou Andressa Moreira, 13 anos.

visita-exposicao-artes-artesanatosO Analista de Marketing da TV, Victor Caldeira apresentou o espaço e falou sobre a exposição: “A arte tem uma linguagem universal, ela consegue transmitir a mensagem mesmo que a pessoa não seja conhecedora de arte. É importante que a arte faça parte, principalmente, do convívio das crianças para que elas descubram também essa forma de se expressar e não apenas contemplem o que outras pessoas expressam”, pontuou.

Victor ressaltou ainda a principal mensagem que os artistas transmitem nessa exposição: “Você pode fazer arte com coisas do cotidiano como reaproveitar retalhos. Você pode ser um grande artesão, transformando em arte o que a gente julga muitas vezes ‘sem valor’.

Após visitarem a exposição, crianças e adolescentes conheceram as dependências da emissora e ficaram muito surpresos ao saberem como é o estúdio de uma TV. Brincaram de apresentadores na bancada do jornal, viram suas imagens na tela e conversaram com os profissionais da emissora. Foram momentos de aprendizado e alegria.

visita-exposicao-artes-estudio-tv“A visita das crianças da LBV, na exposição e na TV, foi muito positiva, foi muito bom ver que tem um brilho nos olhos delas, que a arte passa sua mensagem e que a TV consegue trazer as crianças pra dentro do seu ambiente profissional e mostrar a elas que é acessível. Foi bom ver que algumas têm o sonho de ser jornalistas e que isso é possível aqui em Ipatinga, que não é preciso ir muito longe para realizar isso”.

Este passeio complementou as atividades culturais desenvolvidas com as crianças nas oficinas lúdicas que despertam a criatividade e as habilidades artísticas dentro do programa Criança: Futuro no Presente! Pois, já realizaram muitas produções com argila, massas de modelar, biscuit, pintura em superfícies diferentes, variados estilos de ilustrações e artesanatos.

visita-exposicao-artes-estudio-criancas“Por meio da Arte a criança expressa seus sentimentos, adquire a capacidade e sensibilidade de lidar com imagens, formas, cores, sons, com a fala e outras expressões. Ao apreciarem exposições artísticas, elas podem perceber ou questionar como foi produzida cada obra, em que tempo ou cultura, materiais utilizados e várias outras descobertas. Algumas crianças completam suas ideias a partir do que vêm, outras são capazes de reproduzir com muito detalhe a partir da observação”, afirmou a educadora social da LBV, Rosimery Teixeira.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Ipatinga, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Rua João Patrício de Araújo, 225 — Veneza I. Para outras informações, ligue: (31) 3822-8600.visita-exposicao-artes

29jul/16

O Libertador Divino*1

José de Paiva Netto - fevereiro 2011 - MenorA extraordinária presença luminosa que resiste à passagem do tempo
Paiva Netto

Existe um Libertador cuja influência transcende limites ou datas humanas: maio ou novembro*²? Sua atuação é constante. Enquanto houver fome, desemprego, falta de teto, menores sem escola e carinho, idosos sem amparo e afeto, gente sem quem a conforte, há uma inadiável emancipação de todas as etnias ainda por fazer.
Consigna a História personagens notáveis, que dignificaram a existência terrestre (…). Entretanto, ao inexorável passar do tempo, da lembrança dos povos vai esmaecendo a fama das realizações de muitos deles, somente restando os seus nomes e uma pálida recordação dos seus feitos.
Um desses vultos históricos de todos os tempos e de todas as nações gloriosamente resiste. Cada vez mais fulgura a presença luminosa. Sua marca indelével firma-se na memória dos homens…

Continue lendo o artigo
O Libertador Divino*1